Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O NASCER DA PEÇA POÉTICA

Não te deixes desanimar, nem percas a paciência para com o poema que está nascendo. Desânimo não combina com o fazer poético, porque o poema com Poesia nasce exatamente do exercício do sentir, com o fito de animar o poeta-autor a vencer a hostilidade cotidiana e/ou a adversidade momentânea que o afeta ou o desatina. Tenho como evidente que a confecção do poema admite técnicas que auxiliam em muito a melhorar o conteúdo e o formato e/ou a forma rítmica codificada da peça poética. No entanto, esta é uma verdade para aquele fazedor de versos possuidor de “lucidez enternecida”, o que não se contenta com a primeira garatuja surgida não se sabe de onde ou de quais escaninhos memoriais do processo sensório-emocional. Aconselho sempre que se aplique fundamente na “transpiração”, o segundo momento, a fim de polir a “pedra bruta”, o necessário cinzelar do poema, tal como faz o bom artífice. O poeta é também um escultor que tem de ressaltar o brilho de sua ‘pedra’ poética. No entanto, a maioria dos poetas, em ambos os sexos, não se dá a este trabalho, talvez porque não sejam trabalhadores do ofício de poetar, e, sim, apenas aquele que se basta ou se contenta com o que o alter ego criou dentro dele no primeiro momento de criação, o da “inspiração” ou “espontaneidade”. Neste sentido, este modo de agir de tão forte e comum incidência, é uma questão de escolha pessoal. Deixemos que o poeta-leitor descubra o que lhe apraz e qual a peça que mais lhe toca ou lhe produz prazer. Afinal, sem o receptor o poema não adquire vida, é matéria morta que ainda não aprendeu a respirar...

– Do livro OFICINA DO VERSO: O Exercício do Sentir Poético, vol. 02; 2015/17.
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/6163338
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 05/11/2017
Reeditado em 05/11/2017
Código do texto: T6163338
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 71 anos
2911 textos (776780 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 11:09)
Joaquim Moncks