Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEMINÁRIO DE LITERATURA - PRÉ - MODERNISMO


 
1---MOMENTO HISTÓRICO   ----------   Brasil, a partir de 1894 - novo período da história republicana com a posse do paulista PRUDENTE DE MORAIS, primeiro presidente civil, início da apelidada "República do Café-com-Leite" dos grandes proprietários rurais  (antes, "República da Espada":  marechais DEODORO e FLORIANO), época áurea da economia cafeeira no Sudeste:  em revezamento nada disfarçado, no poder os senhores do café (São Paulo) e os do gado (Minas Gerais) --- volumosa entrada de imigrantes, notadamente italianada --- esplendor amazônico do ciclo da borracha  (1896, Teatro Amazonas inaugurado em Manaus) --- surto da urbanização rápida de São Paulo --- saneamento e embelezamento do Rio de Janeiro  (Avenida Central e Chopp Cantante no Passeio Público, por exemplo).  //  Prosperidade X fortes contrastes da realidade brasileira:  época de agitações sociais ---  primeiros gritos de revolta do abandonado Nordeste --- final do século XIX, Revolta de Canudos, na Bahia, tema de "Os sertões", a mais importante obra de EUCLIDES DA CUNHA (publicação em 1902:  diferenças entre o modo de viver nas grandes cidades litorâneas X o modo de tentar viver "daqueles rudes patrícios do interior, "mais estrangeiros nesta terra que os imigrantes da Europa") --- ao início do século XX, Ceará como palco de conflitos, figura central padre Cícero, o famoso "Padim Ciço" --- sertão em tempo de cangaço, com a figura lendária de Lampião.  //  1904, Rio de Janeiro, rápida mas intensa revolta popular, luta contra vacinação obrigatória idealizada por OSVALDO CRUZ;  em realidade, revolta geral contra o alto custo de vida, o desemprego e rumos da República. / 1910, importante rebelião da marinheirada, sob a liderança de JOÃO CÂNDIDO, o "almirante negro", a "Revolta da Chibata", contra o castigo corporal. / Ao mesmo tempo, em Sampa, as classes trabalhadoras, sob orientação dita anarquista, iniciam os primeiros gritos de revolta por melhores condições de trabalho.
 
2---PRÉ-MODERNISMO  ----------   A---ÉPOCA   ----   No início do século XX, progresso e ciência prometendo destino feliz para a humanidade - automóvel, telégrafo, telefone, lâmpada elétrica, cinema  (inclusive ao ar livre para felicidade popular), avião...  //    Diversas tendências artísticas, a vanguarda europeia  (pioneirismo cultural, artístico e científico - influência futura no surgimento do movimento modernista brasileiro).  Fim da "República Velha" - centro econômico e cultural deslca-se para o Sudeste.  Tempo da "belle époque", entusiasmo só abalado com a eclosão da I GM  (1914/18 - Brasil entrará em 1917).  Classe dominante em consumo desenfreado, luta para manter privilégios - nos centros urbanos, surge a classe média dos burocratas, comerciantes e profissionais liberais exigindo maior participação na economia e na política - operariado se organizando.  //  Distanciamento entre as classes sociais - no terreno das artes, elite na valsa, polca e opereta, povo na modinha, danças populares (lundu, maxixe e samba) - CARNAVAL, principalíssima festa popular do Rio.  ----------  B---ESTILO   ---   Nesse contexto, uma LITERATURA de transição entre Realismo/Naturalismo e Modernismo.  /  Uma das propostas do PRÉ-MODERNISMO:  "(re-)descobrir o Brasil", razão na época de várias obras denunciando a realidade brasileira.  Obras escritas ou publicadas entre 1902 e 1922, realização da Semana de Arte Moderna.  /  Duas facetas transacionais:  a-Caráter conservador, permanência de elementos naturalistas e parnasianos  X  b-caráter renovador, interesse crítico na realidade social da época.  Parnasianismo, gosto das elites;  Simbolismo, pouca aceitação, ainda com adeptos.  /  Nova literatura, registro dos desequilíbrios sociais do tempo, caráter social que denúncia-questiona-propõe soluções - nova visão crítica sobretudo na prosa, exceção de AUGUSTO DOS ANJOS na poesia, ainda padrões parnasianos.   ----------   C---PROSA   -----   Traços mais marcantes:  a-Espaço físico localizado - sertão nordestino, interior dos Estados, subúrbios da Capital Federal (Rio) --- b-Personagens - sertanejo, caipira, marginalizados do processo social  (mestiço, negro, imigrante), classe média trabalhadora correndo atrás do progresso -cTemática - problemas da realidade brasileira do  momento:  Canudos;  drama do imigrante, em especial o alemão, em "Canaã", de GRAÇA ARANHA (1902);  marginalização dos suburbanos;  preconceito de cor e raça;  nacionalismo exacerbado e inútil, em "Recordação do escrivão Isaías Caminha" (1909) e "Triste fim de Policarpo Quaresma" (1915), de LIMA BARRETO;  situação do caipira paulista - figura do Jeca Tatu, de MONTEIRO LOBATO, e "Os caboclos", contos de VALDOMIRO SILVEIRA (1920), e também do homem rural gaúcho, em "Contos gauchescos", de SIMÕES LOPES NETO (1912).
 
                                      F  I  M
 
 
Rubemar Alves
Enviado por Rubemar Alves em 27/10/2019
Código do texto: T6780441
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rubemar Alves
Salto - São Paulo - Brasil, 52 anos
890 textos (51695 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/19 15:37)
Rubemar Alves