20.2- Pronomes PESSOAIS - continuação

Proponho que olhemos este DIÁLOGO:

Conversa de namorados

Ele- Amo-TE tanto...

Ela - Oh, EU também TE amo muito...

Ele - TU és o grande amor da minha vida! Vejo-TE em toda a parte!

Ela - ...e EU sonho conTIGO todas as noites. Mal adormeço, TU vens povoar os meus sonhos...

Ele - Não ME digas! CoMIGO é absolutamente a mesma coisa! É como se TU estivesses ali a dormir coMIGO...

Ela - Às vezes, desconfio que ME estás a mentir... Eu vi-TE a conversar com ELA!

Ele - Ora essa! ELA? Quem?

Ela - Sim, a serigaita da minha turma...

Ele - TU estás mas é maluca! Alguma vez EU ia olhar para ELA?

Ela - Toda a gente sabe que ELA anda doidinha por TI!...

Ele - Vai-TE lixar! Ela é que SE apaixonou por MIM!

Ela - Vai mas é TU! Que EU não estou para TE aturar!

Ele - Ai é? Então vais a ver quem é que vai ficar nas lonas!

Ela - EU?! Não ME importa nada! O que falta por aí é rapazes giros!

Ele - E EU não sou giro? Andam ELAS todas rendidas por MIM!

Ela - Vai-TE gabar pró inferno...

Ele - Vá lá, não fiques amuada... Só tenho olhos para TI!

Ela - Olha, e se NÓS fôssemos comer um gelado?

Ele - Muito gulosa ME saíste!

Ela - EU, gulosa? Quem foi que disse isso?!...

Ora bem, antes de progredirmos, recordemos o que foi dito no capítulo anterior:

Dissemos que os 3 (três) PRONOMES PESSOAIS indicam:

= a pessoa que fala, ou seja: o EMISSOR,

= a pessoa com quem se fala, ou seja: o RECEPTOR

= a pessoa de quem se fala (quando falamos de alguém que está ausente)

Assim, os Pronomes Pessoais são:

Pronome Pessoal de 1ª pessoa - Eu (no singular) / Nós (no plural)

Pronome Pessoal de 2ª pessoa: Tu (no singular) / Vós (no plural)

Pronome Pessoal de 3ª pessoa: Ele ou Ela (no singular) / Eles ou Elas (no plural)

Reparemos agora em alguns pormenores, contemplados no DIÁLOGO acima:

“Ele” começa por afirmar:

Ele- Amo-TE tanto...

O EMISSOR não precisa de dizer: “EU amo-te tanto” – Porquê?

Porque o teor da conversa não precisa disso! o RECEPTOR, intuitivamente, SUBENTENDE.

Na última fala, a namorada diz:

– Eu, gulosa?!

Também aqui, há uma palavra subentendida... Mas o Pronome de SUJEITO vem lá escrito, está EXPRESSO; o que se subentendeu... foi o verbo!

Estas subtilezas mostram a beleza da Língua, mostram como a Língua é versátil, maleável, moldável. No decurso de uma conversa, não precisamos de enunciar todas as palavras! A nossa mente SUBENTENDE!

No entanto, acontece enunciar o PRONOME, mesmo que aparentemente não seja necessário.

Porquê?

Para dar ÊNFASE ao enunciado:

–TU estás mas é maluca!

***

ORA BEM, o que é isso de FUNÇÃO de SUJEITO?

– Em Gramática, dizemos que o SUJEITO é QUEM pratica a ACÇÃO:

Recordemos mais uma vez os considerandos enunciados por QUINTILIANO (no capítulo 1):

Um enunciado deve “responder” às seguintes questões:

=QUEM? = quem fez, quem praticou um dado acto, um dado facto?

=O QUÊ? = o que é que aconteceu?

=QUANDO? = em que momento é que o facto aconteceu?

=ONDE?= Em que local o facto teve lugar?

=COMO? = Como foi que os factos aconteceram?

=PORQUÊ? = as razões pelas quais os acontecimentos relatados tiveram lugar.

1- Então, podemos dizer que numa frase, o SUJEITO é a palavra (ou palavras) que enuncia QUEM pratica a ACÇÃO:

o SUJEITO é quem fala, é o EMISSOR – é a 1ª pessoa gramatical:

Nesta fala, o rapaz está a falar de si próprio, dos seus próprios sentimentos:

– EU amo-te tanto...

2- Logo a seguir, o rapaz dirige-se à namorada, dizendo:

– TU és o grande amor da minha vida!

Nesta frase, é a rapariga, a mocinha, que é o SUJEITO, a SEGUNDA Pessoa do Singular: aí ela é RECEPTOR, ela é a PESSOA COM QUEM se fala.

Vemos, ao longo do DIÁLOGO, que umas vezes uma personagem é EMISSOR, e logo a seguir é RECPTOR.

3- Finalmente, surge uma TERCEIRA Pessoa: a garota de quem a Personagem deste diálogo está enciumada:

ELA anda doidinha

A TERCEIRA PESSOA é a PESSOA DE QUEM se fala, é a pessoa que está ausente.

No SINGULAR:

A namorada diz:

ELA anda doidinha... (ELA - 3ª pessoa do Singular)

Mais adiante, diz o rapaz:

Andam ELAS todas rendidas (ELAS - 3ª pessoa do Plural)

***

Ao longo do diálogo, assinalámos ainda outras formas dos PRONOMES PESSOAIS.

-ME / MIM

-TE / TI

TIGO

MIGO

As formas -ME, -TE, -SE: quando se dizem a seguir ao verbo, precisam do HÍFEN, o “tracinho de união":

Amo-TE

Vai-TE

Quando antecedem o verbo, não precisam:

SE apaixonou.

As formas MIGO

TIGO

Só se usam juntamente com a preposição COM: COMIGO, CONTIGO

*********

Por hoje, termino aqui, pois parece-me que já está muita matéria...

...Mas sobre os PRONOMES... ainda falta dizer mais coisas.

Por enquanto, só temos estado a falar dos PRONOMES PESSOAIS.

Myriam

Maio - 2021

Myriam Jubilot de Carvalho
Enviado por Myriam Jubilot de Carvalho em 02/05/2021
Reeditado em 06/06/2021
Código do texto: T7246548
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.