Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 
 
Soa estridente
na minha sala
pios do pássaro
acomodado
na copa dos verdes
que vislumbro
de minha janela
é a folia da natureza
dos tons toda ela se embala.
O  dia está quente
minha alma cala
a rima sente o faro
dos vértices das alegorias
rendendo-se à beleza
recolhidos daquela escala.
Voa o pensar
O que foi que sentiu?
Será que está no cio?
Quem sabe viu a fêmea
ou a prole que geme?
Para o poeta
basta um simples piar
para nascer o poema
colhe-o no ar.
O sol por entre as brumas de inverno
aquece e a passarinhada canta
apoiada nos frutos gelados
até os galhos tremem
é um momento onde o poema pia
e o verso torna-se eterno.
Soninha Porto Poemas
Enviado por Soninha Porto Poemas em 23/08/2007
Reeditado em 09/02/2013
Código do texto: T620137
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Direitos reservados à autora Soninha Ferraresi Porto®). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Soninha Porto Poemas
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
293 textos (16656 leituras)
1 áudios (61 audições)
18 e-livros (1754 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 01:45)
Soninha Porto Poemas