Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEPULTAMENTO COLETIVO


Já que os mortais nasceram condenados a morrerem, e isso é uma lei, muitos querem ter uma sepultura e sepultamento com honra, com direito a epitáfio e outras exéquias. Entretanto, apesar de isso ser desejo de muitos, certamente que não é e nem será direito de todos.

Alguns Faraós tiveram esses desejos cumpridos, e têm até hoje o local de sepultura. Mas a vaidade deles levou-os a serem despojados de seus túmulos, e saqueados os tesouros com os quais foram sepultados, e cuja glória pereceu quando foram confinados em seus túmulos. Com a morte deles muitos foram condenados à morte, e foram sepultados vivos por ocasião do sepultamento daquele a quem serviram em vida. Isso devido à crendice que havia entre esses antigos de que poderiam e precisavam ser servidos no mundo dos mortos, do mesmo modo como haviam sido servidos quando habitaram o mundo dos vivos. E enquanto dezenas de servos choravam e faziam rituais de sepultamento, outros servos, à mando de sacerdotes supersticiosos, fechavam a entrada dos túmulos e pirâmides, fazendo um sepultamento coletivo, de pessoas vivas. Achados arqueológicos têm evidenciado isso.

Mas têm havido várias formas de sepultamento coletivo. Alguns por algumas razões, outras por outras. E a pior delas, penso ser quando ela ocorre contra a vontade da pessoa e quando esta se encontra ainda com vida.

Diz uma escritura de Salomão, o grande sábio, que se uma pessoa, ao morrer não tiver sepultura, que é pior do que um aborto. Ec. 6:3.

Os reis do povo de Israel, que foram havidos dignos, foram sepultados com honras, tiveram queima de incenso nos seus funerais, e foram enterrados em Jerusalém, sede do reino daquele povo ou nação. Mas outros não, por não serem havidos dignos.

Também alguns, mesmo como príncipes e líderes, não tiveram essa honra, ou sofreram o vexame ou vergonha de ficarem insepultos, ou terem sepultamento coletivo. Saul foi morto no monte Gilboa, segundo relato bíblico, e foi exposto a execração pública em terra dos filisteus, povo inimigo do povo de Israel. O  líder rebelde Coré, Datã e Abirão, foram sepultados vivos, devido se terem insurgidos contra Móisés. E isso não foi por ação de Moisés, mas a própria terra abriu-se e os tragou vivos, juntamente com a sua casa, mulher e filhos.

E ainda hoje  muitos têm sido sepultados assim. Em caso de terremotos, avalanches, naufrágios, vulcões, etc. Outros, devido as circunstâncias, elevado número de mortos, são sepultados coletivamente. E ainda ocorrerá um grande sepultamento, ou sepultamento coletivo em vários lugares, quando for aberto o quarto selo previsto na escritura, veja:

E, havendo aberto o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que dizia: Vem, e vê. E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra. Ap. 6:7 e 8.

Ali diz que o inferno o seguia. E o inferno é uma palavra do latim, a qual significa sepultura; donde inferimos que os que forem mortos naquele tempo ainda serão sepultados. Mas, devido à quantidade, certamente não terão sepultura individual.

Também quando a serpente mandar gente como água atrás da mulher em fuga no deserto, a terra abrirá a sua boca e irá tragar aquela gente, sepultando-os, veja:

E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias. Ap. 12:6.

E quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem. E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente. E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar. E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca. Ap. 13:16.

Para quem é leigo em interpretação bíblica, é necessário que eu diga que, a mulher é a igreja de Deus; a serpente é Satanás; água é gente ou povo; deserto é o ermo ou solidão; tempo é ano; um tempo, dois tempos e metade de um tempo, são três anos e meio, período de tempo em que a mulher será retirada para passar a grande tribulação.

Assim, a terra irá acudir a mulher (igreja) e irá tragar o povo que pretender perseguí-la naquele tempo, sepultando-os vivos e coletivamente.
oliprest
Enviado por oliprest em 05/09/2007
Código do texto: T639400
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2161 textos (186246 leituras)
247 áudios (2695 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 00:39)
oliprest

Site do Escritor