Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Até mais.

Tu profere cada palavra que eu temia escutar. E a cada vírgula que tu usa com "pausa" de aproximadamente 5 segundos, acampanhado daquela tua cara que fizeste quando as coisas não procedem bem.
Meu pulmão perde todo ar, a cada respiração que tu dá. Eu conto seus passos infalsos, eu vejo os teus erros até quando estou de olhos vendados. E as suas declarações de boca pra fora, soam como bombas em meus ouvidos.
Explode meu coração identicamente a um vulcão enfúrecido. Adoecendo por completo, deixando dores incuraveís, que remédios nenhum é capaz de amenizar, cuspindo toda a tua desilusão, todas as suas encenações baratas. Queimando como queimaduras de 1º grau dentro de mim.
Quase me perco no teu olhar, que lança disfarçadamente para mim. A vontade que tenho é de me jogar no lixo, mas o que me intefere, é a chance de te encontrar lá, pois o lixo é o seu lugar.
Mas sinceramente, o que me deixa mesmo decepcionada, é eu sempre olhar o relógio e contar cada segundo anciosamente, rezando para tu me visitar, é a raiva que eu tenho de não consiguir pra outro cara olhar. É tão amedrontador, a minha vida inteira fugi tanto disso.
Perdi a conta de quantas vezes fechei os olhos, para não ver a solidão de perto. E aos poucos fui me cegando, vivendo de mentiras, e frases feitas. Mas foi tudo invão, pois a solidão já tomava conta de cada centimetro de mim, abrindo os olhos ou não.
Foi no momento que percebi eu não te amava pelo o que via, mas sim pelo o teu cheiro que sentia, pela sua presença, pela sua voz, por tudo que você dizia, e a minha "não visão" apenas me aproximou de ti, mais rapidamente.
Mas não pense nem por um segundo, só porque "recuperei" minha visão, ou pelo seu amor de boca pra fora que deixou de existir(Porque nunca tinha existido), não pense que será por causa disso que vou deixar de viver minha vida por ti.
Não pense que vou passar noites viradas pensando em você, e nem que vou ignorar outras pessoas até não te ter.
As batidas do meu coração continuaram a bater, e num dia que uma festa eu chegar, e com um cara eu te encontrar, saiba que até mesmo um "olá" eu vou te dar.
Andréia Cruz
Enviado por Andréia Cruz em 07/09/2007
Código do texto: T642411
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Andréia Cruz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 24 anos
158 textos (7029 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 01:07)
Andréia Cruz