Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENTRANDO PELO CANO

Por causa do balacobaco
voce entra num buraco
que não tem como escapolir.
Tem que ser liso como quiabo
tem que dar rasteira no diabo
ou deitar na cama do faquir.

E pior que furacão na Sumatra
quando o tiro sai pela culatra
voce e cutucado com espora.
Gruda como carrapato de boi
tem que dizer onde e que foi
dizer os minutos e a hora.

Já vai perdendo a esperança
ao ver aumentar as criança
e não adianta mais resmungar.
Depois do filé vem o osso
agora e carne de pescoço
agora e so sarna pra coçar.

Para fugir dessa armadilha
so se enforcando na forquilha
a situação fica encardida.
Quando se aproximar desse bicho
ja pode preparar o esguicho
e o remédio pra sua ferida.

Num momento que fui fraco
fui mais burro que um macaco
ate hoje estou falando sozinho.
Isso e marimbondo de goiabeira
me estrepei pela vida inteira
ate hoje danço miudinho.

Depois que assinei a papelada
a minha sorte foi lacrada
e não adianta o esperneio.
Ainda estou boquiaberto
e ainda tenho que ser esperto
senão o sogro me desce o reio.
GIL DE OLIVE
Enviado por GIL DE OLIVE em 09/09/2007
Código do texto: T644978
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GIL DE OLIVE
Campos do Jordão - São Paulo - Brasil
2611 textos (231175 leituras)
31 e-livros (2316 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 14:01)
GIL DE OLIVE