Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DEUS NÃO OUVE ESSA PRECE


Muitos falam de Deus dizendo que ele é bom, e por isso recorrem a ele para pedir e querer ter satisfeitas as suas pretensões, mas por terem seus anseios frustrados chegam a amaldiçoar os seus deuses ou afirmar que Deus não existe.

Os gentios pensam que por muito falar eles serão ouvidos. Por isso repetem dezenas e até centenas de vezes preces recitadas de cor, contando-as com instrumentos a que nomeiam de rosário e terço. E mesmo assim eles não são atendidos nas suas pretensões. Por que?

Deus, falando pelo profeta Isaías diz que os seus ouvidos não estão agravados para que não possa ouvir, entretanto o que vemos é que nossas orações não têm sido respondidas. Afinal Deus ouve, ou não?

Bem, se é pelas sagradas escrituras que nós conhecemos tudo sobre a natureza de Deus, são por elas também que sabemos a razão para tudo. Desde o sofrimento humano até o porquê de Deus não ouvir e atender muitas preces, e as preces de muitos.

Quando Jesus aqui viveu em carne, ele disse que os gentios por muito falarem pensam que serão ouvidos, mas que os seus discípulos não deveriam fazer assim, mas que orassem desta maneira:

Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome; venha a nós o teu reino; seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos os que nos tem ofendido; não nos deixeis cair em tentação, mas livra-nos do mal. Mt. 6:9-13.

Mas antes disso ele disse:

“E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.  E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos.  Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais.” (Mateus 6:5-8 RA)

Mas muitos aceitam isso, e assim fazem, apesar disso não são atendidos, por quê? Deve haver um motivo, e, se há, as sagradas escrituras devem dizer. Então vamos continuar a investigar.

E como as sagradas escrituras foram inspiradas, e homens santos de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo, então vejamos o que disse o Espírito Santo pelo salmista:

Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido. Sl. 66:18.
 
Desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no teu caminho. Sl.119:37. A que corresponde essa vaidade, e que é o caminho mencionado pelo salmista?

  “Porque os costumes dos povos são vaidade; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado;  com prata e ouro o enfeitam, com pregos e martelos o fixam, para que não oscile.  Os ídolos são como um espantalho em pepinal e não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, e não está neles o fazer bem.  Ninguém há semelhante a ti, ó Senhor; tu és grande, e grande é o poder do teu nome.  Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isto é a ti devido; porquanto, entre todos os sábios das nações e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti.  Mas eles todos se tornaram estúpidos e loucos; seu ensino é vão e morto como um pedaço de madeira.  Traz-se prata batida de Társis e ouro de Ufaz; os ídolos são obra de artífice e de mãos de ourives; azuis e púrpuras são as suas vestes; todos eles são obra de homens hábeis.  Mas o Senhor é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno; do seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação.  Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra desaparecerão da terra e de debaixo destes céus.  O Senhor fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus.  Fazendo ele ribombar o trovão, logo há tumulto de águas no céu, e sobem os vapores das extremidades da terra; ele cria os relâmpagos para a chuva e dos seus depósitos faz sair o vento.  Todo homem se tornou estúpido e não tem saber; todo ourives é envergonhado pela imagem que ele mesmo esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego.  Vaidade são, obra ridícula; no tempo do seu castigo, virão a perecer.” (Jeremias 10:3-15 RA)

Assim, vemos quem são gentios e porque não podem obter resposta às suas preces.

Mas, e com relação ao povo de Deus, por que eles também não estão sendo respondidos?

Disse Deus:

E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. Jr. 29:13.

 “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.” (Mateus 6:14-15 RA)

Bem, quanto a isso temos que fazer algumas considerações. Na oração que Jesus ensinou aos seus discípulos, diz: “Perdoai as nossas iniqüidade assim como nós perdoamos os que nos tem ofendido. Então o perdão de Deus além de ser condicional tem que ser do mesmo modo que nós exercitamos. Entretanto não quer isso dizer que em todos os casos deva ser dado sem que aquele que pecou reconheça e peça perdão. Pois diz outra escritura: Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe. “Lucas 17:3-4.

Então o perdão é condicional em relação a um irmão, pois o texto diz: Se ele se arrepender, perdoa-lhe. E se sete vezes vier ter contigo dizendo estou arrependido, perdoa-lhe. Donde concluímos que podemos perdoar pecados desde que eles sejam praticados contra nós.

Por conseguinte, disse mais Jesus: “Se de alguns perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, são retidos. João 20:23.

Como vimos, para perdão do pecado é sempre condição “sine qua non” confessá-lo. E isso era o que os que iam a João, o batista, para serem batizados faziam. Mas não só isso é condição para a remissão total dos pecados, pois outra escritura diz: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados”. At. 3:19.

Arrependimento e conversão. Condição imposta por Deus para alcançar o cancelamento dos pecados cometidos. Mas como isso fazer?

Vamos então conceituar arrependimento e conversão.

Arrependimento: Reconhecimento de que o que fez, fazia ou faz, não é justo, ou correto, ou digno.

Conversão: Mudança.

E isso não pode ser de acordo com a compreensão particular de cada um, mas segundo o que diz uma escritura: “Convertei-vos pela minha repreensão”. Pv. 1:23.

E esta significa os mandamentos do Senhor. Pois diz algumas escrituras:

Filho meu, não rejeites a disciplina do Senhor, nem te enfades da sua repreensão. Pv. 3:11.

O caminho para a vida é de quem guarda o ensino, mas o que abandona a repreensão anda errado. Pv 10:17.

Quem ama a disciplina ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é estúpido. Pv .12:1.

O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o escarnecedor não atende à repreensão. Provérbios 13:1.

Pobreza e afronta sobrevêm ao que rejeita a instrução, mas o que guarda a repreensão será honrado. Pv 13:18.

O insensato despreza a instrução de seu pai, mas o que atende à repreensão consegue a prudência. Pv 15:5.

Disciplina rigorosa há para o que deixa a vereda, e o que odeia a repreensão morrerá. Pv 15:10.

Os ouvidos que atendem à repreensão salutar, no meio dos sábios têm a sua morada. Pv 15:31.

O que rejeita a disciplina menospreza a sua alma, porém o que atende à repreensão adquire entendimento. Pv 15:32.

Nesses textos vemos que a repreensão nessas escrituras não significa exortação, reprimenta, ou coisa que o valha, mas: o ensino, a instrução, a doutrina, a vereda, a disciplina, o conhecimento, a prudência.

Por conseguinte diz o Espírito por Tiago: “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor. E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” (Tiago 5:14-16 RA)

Salomão falou:

“O que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável.” (Provérbios 28:9 RA)

Mas o que vemos é que, além de a lei do Senhor está sendo rejeitada pelo povo que se nomeia de povo de Deus, este também não confessa os seus pecados. E disso resulta o que disse Jó:

Se, como Adão, encobri as minhas transgressões, ocultando o meu delito no meu seio, trema eu perante uma grande multidão, e o desprezo das famílias me apavore, e eu me cale, e não saia da porta. Jó 31:33 e 34.

Portanto, confesse os seus pecados e deixe-os. Pois: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. Pv. 28:13.

Pois: Se sabemos que obtemos os pedidos que lhe temos feito, certos estamos de que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos. I João 5:15.
oliprest
Enviado por oliprest em 12/09/2007
Código do texto: T648913
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2161 textos (186122 leituras)
247 áudios (2695 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 05:23)
oliprest

Site do Escritor