Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

GEOMETRIA DO IMPOSSÍVEL
Juliana Valis




Ligo pontos concretos como versos sem fim,

Meu coração é pirâmide em sonhos simples e sós,

E todo trecho da alma que flui sempre em mim

Perde-se apenas no tempo, em labirintos de nós...




E toda angústia dilui-se em triângulos lentos,

Retângulos lídimos de versos sem calma,

Assim, dispersos, nos ângulos de tantos momentos

Que os prantos transbordam no limiar de uma alma...




Ah, mar geométrico de mesmices ingratas,

No ar, já flutua cada réquiem de mim,

No perímetro exato das emoções inexatas,

A tristeza não mede seu começo nem fim !




E, assim, meu afeto faz trapézios de dor,

Em pérfidos círculos de sentimentos loquazes,

Além de céleres ventos, queria apenas amor,

No epicentro da alma, entre luzes e pazes... 




Mas tão impreciso e estúpido ainda é meu grito,

Que mal calculei o diâmetro que a emoção faz aqui,

E o coração, como ápice de uma pirâmide no Egito,  

Transcende essa lágrima do tempo que ri...




Eis, portanto, o que sou: enigma apenas,

Entre penas que unem poliedros de mim,

Sentimentos em cubos de letras pequenas,

Esferas dos versos em mundos sem fim.



-----










Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 15/09/2007
Reeditado em 23/09/2007
Código do texto: T654320

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3989 textos (886068 leituras)
4 e-livros (1867 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 09:56)
Juliana Silva Valis