Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma luz... Um olhar!





...Uma lua, um céu escuro
                                        [talvez, obscuro.
Estrelas fulgurantes e brancas, luzes alvas
rebrilham num mar agitado que pulsa
                                        [ como o sangue nas veias...!
Eis o quadro pintado por tão genial imaginação
que busca em seus desenhos, reencontrar algo...
                                        [ quem sabe, sentimentos!
Uma mente ávida por uma liberdade que
para nós, não é possível compreender.
Eis a pintura! Eis o artista!
                                        [ Eis o menino de rua...
Rua tantas vezes sua e, tantas vezes crua!
Marginalizado, sombrio, desesperado.
De olhos às vezes louco, às vezes límpido,
que vidrados tentam agarrar-se a um...
                                        [ o que?
Para que? Por que?
Se viver tem sido um pesado fardo...
por que continuar, se todos os caminhos que
a sociedade lhe dá são os da vergonha,
da revolta, do abandono?...
Então, para que?
E vejo a questão essencial na alma,
embriagada de dor; de solidão; angustiosa
vontade de resolver tudo!
De jogar-lhe nos braços tudo aquilo com que sonha e deseja,
                                         [ tanto e tanto e tanto...
mas, e a luta?
Não é somente este; muitos e muitos outros, há!
E esvai-se o sonho como a fumaça que envolve
e anula a realidade tão dura...
Mas, ele sabe da sua paisagem que, febrilmente
pulsa do desenho para os sentidos. Esta lhe pertence; devemos nós, eu, todos...
despertar este mundo que adormece nas reações impulsivas/agressivas do moleque:
Medo!!!
E quem de nós não o tem? Se nós mesmos o construímos
para nos auto-proteger do amor?...

Mas este menino... ah! Este garoto! Abra-se-lhe a beleza infinita
da imaginação onde brinca e,deixa-o ser cidadão;
e aí o veremos com a tinta da dignidade e a tela do futuro a pintar
neste céu escuro em que acreditava sentir a vida,
o sol soberano e claro da justiça...
Tamanha claridade será;
esta para a  qual humanidade irremediavelmente caminhará,
pois que ainda que soframos as conseqüências da desigualdade,
virá o dia em que o sonho do moleque – que é o de todos nós -,
se realizará...
Então, vamos sonhar!!! Afinal,” tudo vale a pena quando a alma
não é pequena” – e somos todos grandes e importantes!!!
Especialmente, quando juntos estamos e juntos lutamos...
Eliane Santana
Enviado por Eliane Santana em 16/09/2007
Código do texto: T654345

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Eliane Santana
São Paulo - São Paulo - Brasil, 41 anos
69 textos (2859 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 21:02)
Eliane Santana