Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ondas que se foram

O barulho é ensurdecedor
E eu me deparo com aquele mundo que ninguém conhece
As ondas vêm como se me quisesse abraçar quando toca a areia
É como se em mim tocasse querendo acariciar.

O barulho é ensurdecedor
Invade os órgãos audíveis
Como se nos quisesse contar mistérios
A sintonia é muito forte
E eu me perco só de pensar...

O barulho é ensurdecedor
Queria eu chamar tanto a atenção
Queria ter o poder da sedução
A persuasão, quem sabe!!?

Há! quanto querer!
Seria o poder a chamar
Seria que sabe o mar
O barulho é ensurdecedor

Mas não me chega a calar
A voz, o ar, o mar....
Nos céus pássaros a plainar
Pássaros que borbulham tal ondas no ar

O barulho é ensurdecedor
Quase estremeço de tanto olhar.
Olhos que ditam, gritam cantam...
Sem querer despertar palavras soltas no ar.

O barulho é ensurdecedor.
Não tenho mais como parar
A ligação está feita com ele...
O mar....

As ondas tremem, gritam, gemem...
E eu parado... suspense no ar....
Querendo não ser, querendo não ver.
Mas quem sabe um dia poder contemplar a beleza do mar.

                                                                         
Adolfo Carvalho
Enviado por Adolfo Carvalho em 21/09/2007
Reeditado em 27/09/2007
Código do texto: T662185

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Adolfo Carvalho
Feira de Santana - Bahia - Brasil, 48 anos
9 textos (411 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 03:24)
Adolfo Carvalho