Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A NECESSIDADE DO AMOR

Porque amar?
Deus é a fonte de todo o amor.
Num mundo que prega diariamente a inexistência de Deus, não há
necessidade de amar, o amor é para os fracos e ainda assim
unicamente como base de troca, um capricho que a vida social obriga.

Estamos acostumados a “amar” exclusivamente aqueles que nos amam, as bonitas,
as pessoas simpáticas, as bondosas, as que nos presenteiam,
nos elogiam, a família... Com isso criamos guetos como pessoas pseudo-perfeitas
e  nas vias da marginalidade colocamos os expurgados, os rejeitados,
aqueles que nos fizeram mal, nossos pseudo-inimigos.

Esse tipo de amor é vão, falso, interesseiro, egoísta, piegas, nauseabundo.
Já o verdadeiro amor não se limita à aparência, camadas sociais, raça, cultura, religião,
nada pode impedí-lo. Porém, esse amor provoca dor, pois é contra os nossos “princípios”.
É doloroso amar o diferente, aqueles que nos fizeram mal, que nos traíram...!

Mas é necessário este é um mal necessário para a nossa existência e sensibilidade.
O mundo esqueceu-se do imperativo da dor, tornou-se insensível, leproso.
Seu desejo é escapar dos problemas, eles também causam dor.
O amor para muitos é um imenso e insolúvel problema
Amar...! Amar é sentir dor! A dor do outro!

Esquivamos-nos também do amor e de amar, já nos basta a nossa dor.
Nunca em nenhum outro momento da história do mundo estivemos
tão distantes uns dos outros estando tão próximos.
Havia para o homem uma esperança que no futuro todos os problemas se
resolveriam por ele estar em processo de evolução.

Nunca se assassinou tantas pessoas quanto a nossa geração.
Acontece que o mundo está vivendo um caos.
Um momento! Será que tudo está perdido, não há como
mudar esta situação?

Ainda existe uma esperança! Temos uma centelha de amor disperso pelos
quatro ventos nas palavras e nas vozes dos poetas, dos observadores sensíveis, dos loucos
e daqueles que prestam atenção no que estas pessoas dizem, você!

O amor é incondicional, não espera uma oportunidade para acontecer
e também não espera nenhum pagamento.
Filosofia totalmente contrária a que está estabelecida.

Então repetimos a pergunta: Porque amar?
Porque só o amor pode derrubar os muros que nós construímos
para nos “proteger” dos outros diferentes e que na realidade nos separam.
Só o amor constrói oportunidades genuínas, grandes momentos e vitórias.
Só o amor faz brotar a saudade e ao mesmo tempo o conforto.
Só o amor nos capacita para poder servir o outro, inclusive a dar a vida por ele.
Amar é um construir destruindo.
Amando nós construímos nossas vidas e a dos outros, e destruímos
todos os preconceitos, as indiferenças, as guerras, o ódio...
“Precisamos amar as pessoas como se não houvesse o amanhã, porque se
pararmos para pensar na verdade ele pode não acontecer” .

Não podemos nos dar ao luxo de buscar o momento certo para começarmos
a amar, não há esta possibilidade por não termos domínio sobre o tempo de nossas
vidas, e mesmo que tivéssemos deixaríamos tudo para o final, na velhice.

Amar! É sentir dor!
Não amar é adoecer, encarar a solidão, o vazio, à distância.
Nosso mundo se encontra enfermo.
Conhecemos o remédio capaz de curá-lo.
O amor incondicional!

Ele precisa estar dentro de mim
e dentro de você. Não permita à sua vida, uma sensibilidade exterior,
aquela que olha uma cena triste e revoltada derrama lágrimas e depois esquece ou, no máximo
espalha para outros aquilo viu para também consterná-los.

Amar não é simplesmente chorar, amar é uma atitude!
Atitude pessoal e intransferível, ninguém pode amar por você.
Não deixe para amanhã, comece a praticar o amor hoje!
O amor nasce nos pequenos gestos.
Às vezes para nós estes gestos são insignificantes, mas o seu poder
pode abalar as estruturas do mundo.
Aceite este desafio, OUSE AMAR!
Lendo as entrelinhas
Enviado por Lendo as entrelinhas em 24/10/2007
Código do texto: T708572
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lendo as entrelinhas
Dourados - Mato Grosso do Sul - Brasil, 47 anos
70 textos (8639 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 10:36)
Lendo as entrelinhas