Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Seca: falta de chuva, mas acima de tudo, de descaminho do dinheiro público


O sertanejo vivente
Com os mínimos viveres
É só mais um eleitor
Ou mesmo um boi de curral
Para letrado doutor

Vejamos nesses sertões
As cidades inventadas
Sem nenhuma infra-estrutura
Para sustentar os vícios
Das câmaras e prefeituras

Prefeito ganha nove mil
Vereador ganha bem
Cidadão não tem feijão
Não há dinheiro pra saúde
Muito menos, para a educação

O açude é só plano
A estrada inexiste
Mas na prestação de conta
O açude está em obras
A estrada está pronta

Prefeito tem casa de praia
Fazenda, carro do ano
Os filhos estão na cidade
Com carro e motorista
Na melhor universidade.

Braços velhos antiqüíssimos
De coronéis sertanejos
Governam a ferro e fogo
Levando toda vantagem
E nada sobra pro povo

Até água pra beber
Nesse tempo de sequidão
O sertanejo tem que implorar
Para uma corja de desonestos
Que continuam a governar.
Raimundo Nonato
Enviado por Raimundo Nonato em 06/11/2007
Código do texto: T725531

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Raimundo Nonato
Teresina - Piauí - Brasil
257 textos (58776 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 04:38)