Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Basculamento das Meretrizes

O Basculamento de Meretrizes

O Edu, que hoje não gosta que se fale destes assuntos , era um verdadeiro mala sem alça. Ele estava em qualquer lista dos mais malas de Ouro Preto. Só tinha amigos da pesada. gente da mais fina linhagem.
Um certo dia ele fôra convidado por um dos donos do hotel Pilão para uma churrascada na fazenda que fica na saída de Ouro Preto para Belo horizonte e ele topou. Eles tinham um problema, só havia homem pra ir á festa. Não tiveram dúvidas pegaram o possante, o danado  do caminhão que havíamos adquirido para trabalhar, e foram até a zona boêmia e o encheram de mulheres. Levaram umas dez na carroceria e passaram pela praça Tiradentes fazendo o maior alarido. A festa transcorreu na forma que se podia esperar. Muita cachaça, muita baderna e tudo que se pode imaginar que um bando de mulheres da zona e um outro de malas poderiam fazer.
Terminada a festa a mulherada toda bêbada subiu na caçamba e foram embora. Chegando na praça Tiradentes o Edu, virou para o João  e perguntou o que fazemos com a mulherada? João foi taxativo: Bascula. Não deu outra , o Edu engatou a alavanca e  basculou as mulheres como se fossem um monte de  minério e foi embora numa boa Quando comentei com ele a respeito daquilo. Ele simplesmente me disse que tinha umas meninas que estavam de saia justa e não conseguiam descer. Ele deu uma mãozinha. E pernas, braços , cabeças quebradas, alvoroço, hospital, policia, curiosos compareceram.Como ele hoje diz : foi tudo muito normal.
Poeta de Gravata
Enviado por Poeta de Gravata em 14/11/2007
Código do texto: T736575
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta de Gravata
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
25 textos (1309 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 10:56)
Poeta de Gravata