Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Agonia de viver

.:.
Eu nasci?
Nossa! Nem tive tempo de perceber.
Tomei leitinho... Lata ou peito?
Também não me recordo.
Eu cresci...
Fiz travessuras.
Levei tombos e cascudos.
E de repente eu me vi ‘grande’!
Enorme, mas dependente demais.
Pai, uma grana, por favor!
Era a grana do cineminha;
era grana pra balada,
Grana pra tudo.
Grana!
Agora, sim, estou forte!
Arrumei emprego.
Concursado...
Aposentadoria garantida!
Eu cresci?
Nossa! Nem percebi.
Num futuro próximo...
Eu morri?
Não, mas que vida é essa.
Aposentado, mas cansado.
Independência financeira:
sustento os netos!
De que adianta se não cuidam de mim?
Preciso ir...
Acho que já fui
Ué, nem senti.
Eu morri?

Crato-CE, 30 de novembro de 2007.
21h44min
.:.
Nijair Araújo Pinto
Enviado por Nijair Araújo Pinto em 30/11/2007
Código do texto: T759961
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nijair Araújo Pinto
Crato - Ceará - Brasil, 46 anos
2196 textos (65185 leituras)
81 áudios (1661 audições)
3 e-livros (542 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 06:50)
Nijair Araújo Pinto