Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LINGUAGEM CORPORAL NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

LINGUAGEM CORPORAL NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

MARIA CAROLINA REIS PENA*,
MICHELA BARRETO ROLLA*.
  RESUMO
A linguagem corporal um processo dinâmico nas séries iniciais, tem como objetivo principal apresentar possibilidades que a mesma tem a oferecer ao processo de ensino-aprendizagem. No ato de transmitir conhecimento a comunicação é fator primordial para esse processo, buscando a interação entre professor e o aluno, no cotidiano escolar. Vale ressaltar que essa comunicação pode ser expressa de várias formas; a limguagem corporal é uma delas.Visando a interação harmoniosa na prática escolar. Todo e qualquer individuo deve saber que o corpo é um grande aliado na transmissão de conhecimento, pois, o mesmo e um recurso de grande  relevância para transmissão de novas informações.

Palavras-chave: Ensino-aprendizagem. Comunicação. Escola. Professor. Aluno.
ABSTRACT
Body language is a dynamic process in initial grades and aims to present major opportunities to the teaching-learning process. Regarding the act of transmitting knowledge to communication it is a key factor for this process, searching the interaction between teacher and student in the daily classroom routine. It is worth mentioning that this communication can be expressed in various ways; body language is one of them. Seeking harmonious interaction in school practice, every individual should know that the body is a great ally in the transmission of knowledge; therefore, it is a resource of great importance for transmission of new information.



Keywords: Teaching-learning. Communication. School.  Teacher. Student.



____________________________________________________________________
*Acadêmicas do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, pela Universidade Vale do Acaraú, UVA-AMAPÁ, sob orientação da Profª Drª Rosângela Lemos da Silva.

1 INTRODUÇÃO

                O texto aborda basicamente sobre a representação simbólica da linguagem corporal, onde o movimento do corpo remete a uma condição motriz, como instrumento relacional do individuo. Logo a utilização do movimento do corpo no contexto escolar, favorece na construção de conhecimentos dos educandos, tornando-os mais interessados nos conteúdos que lhe são apresentados pelos professores.
               Percebe-se que a dinâmica de sala de aula sofre uma modificação, pois a utilização do lúdico no processo de ensino- aprendizagem favorece na compreensão das atividades, tornado as aulas mais prazerosas. Pois ao se socializar através do lúdico, do movimento corporal, a criança acaba criando vinculo com os outros, construindo o seu próprio conhecimento, despertando-nos a afetividade, o seu emocional, o seu cognitivo e conseqüentemente a sua expressão corporal.
               A criança ao construir o seu próprio conhecimento, desenvolve o seu cognitivo e as suas condições sócio-morais e éticos, cabendo ao professor a condição de mediador nesse processo de desenvolvimento das competências, objetivando os valores humanizadores.
               Baseado nesta reflexão o presente trabalho de pesquisa quantitativa e bibliográfica, pretende responder ao seguinte questionamento: Qual a importância da linguagem corporal no processo dinâmico nas séries iniciais?Portanto, para que                as crianças possam ter um bom desenvolvimento corporal se faz necessário que a linguagem corporal esteja bem organizada. Pois é através do corpo que a criança pode expressar seus pensamentos de raiva, ódio, amor, alegria, tristezas, carinho. É também através do corpo que a criança sente fome, dor, prazer. O corpo é o seu centro, e precisa ser bem trabalhado.
               Os objetivos deste estudo visam estudar como o desenvolvimento da linguagem corporal influência e contribui para o ensino-aprendizagem da criança nas séries iniciais, analisado de que forma é trabalhada a linguagem corporal, nas séries iniciais, identificando quais são as dificuldades encontradas pelos professores de séries iniciais para trabalhar a linguagem corporal com as crianças através de entrevistas com pais, professores e alunos de séries iniciais, bem como analisar qual a metodologia usada pelos professores das séries iniciais para trabalhar a linguagem corporal.
            O trabalho divide-se em três tópicos, o primeiro enfoca o referencial teórico, buscando esclarecer de forma clara e objetiva o estudo sobre a linguagem corporal, o segundo  apresenta a metodologia usada para elaboração do trabalho e o  terceiro  apresenta a analise e discussão dos resultados obtidos com a pesquisando com as habilitações que o curso de Pedagogia oferece, ou seja, uma relação de como o desenvolvimento da linguagem corporal influência e contribui para a aprendizagem da criança na educação infantil das series iniciais e gestão escolar.


2   HISTÓRICIDADE DA LINGUAGEM CORPORAL

A linguagem corporal corresponde a todos os movimentos gestuais e de postura que fazem com que a comunicação seja mais efetiva e apurada. A gesticulação foi a primeira forma de comunicação. Com o aparecimento da palavra falada os gestos foram tornando-se secundários, contudo eles constituem o complemento da expressão, devendo ser coerentes com o conteúdo da mensagem.
Na verdade, pode-se considerar a linguagem corporal como uma das muitas categorias da comunicação não verba, que é mais ampla, pois engloba as modificações que ocorrem em nossa voz e que influenciam as mensagens que transmitimos.
A expressão corporal é fortemente ligada ao psicológico, traços comportamentais são secundários e auxiliares. Geralmente é utilizada para auxiliar na comunicação verbal, porém, deve-se tomar cuidado, pois muitas vezes a boca diz uma coisa, mas o corpo fala outra completamente diferente.
Um dos temas mais importantes da linguagem corporal ou da comunicação não verbal é o das expressões faciais. O pioneiro nesse tema foi Charles Darwin que tornou públicas suas idéias no livro As Expressões das Emoções nos Homens e nos Animais, publicado em 1872.
 De acordo com Mehrabian (1984, p. 21), pioneiro da pesquisa sobre linguagem corporal no ano 1950, este apurou que em toda comunicação interpessoal, um número de 7% da mensagem é verbal, que 38% é vocal e 5%é não verbal. Para Wayer as palavras são reais de fato, antes de se tornarem expressão de desejos e instrumentos de mente, elas são de início, o prolongamento dos gestos.
No decorrer das décadas de 70 e 80, a pesquisa nos mostrou que no mundo do trabalho, a linguagem corporal se torna responsável de 60 a 80% das mensagens transmitidas no mercado de trabalho. Atualmente a maioria dos pesquisadores confirma a idéia de que as palavras são usadas primeiramente para transmitir informações; sendo que a linguagem corporal é usada para negociar atitudes interpessoais e, em certos casos, como substitutas das mensagens verbais. Assim só deixa perceptível que a linguagem corporal tem sua serventia e que é importante para a cooperação na comunicação.
Podemos dizer que a linguagem do corpo é reflexo externo da condição emocional das pessoas. Cada gesto ou movimento pode ser uma valiosa fonte de informação num concedido instante.

2.1 A LINGUAGEM CORPORAL COMO PARTE DA VIDA DIÁRIA

           A linguagem corporal se refere a todas as nossas expressões através dos movimentos, posturas ou gestos que se façam com as diferentes partes do corpo. E o que ela faz é estudar o significado expressivo ou comunicativo dos gestos e movimentos corporais percebidos pelos sentidos visual, auditivo, ou táctil, de acordo coma situação.
           A linguagem corporal vem sendo estudada por muito tempo e, de acordo com a opinião de profissionais em psicologia e sociologia, detecta diferentes sentimentos e expressões que não se comunicam com palavras, mas sem com o comportamento físico. Como por exemplo, quando você conversa com uma pessoa você deve saber que não está falando só com a boca dela, mas também com o seu corpo.
            A comunicação é uma parte essencial em todos os aspectos da vida diária e é um requisito fundamental para o sucesso nas relações de casais. Muitos dos fracassos a nível sentimental ou social se devem, em muitas ocasiões à pouca capacidade de expressão.
            Saber se comunicar de forma correta e eficiente, é básico para evitar erros de interpretação e conseguir expressar a mensagem desejada corretamente para que a pessoa que escutar, entenda a intenção que você deseja comunicar.
            Melhorar a comunicação é o primeiro passo para alcançar grandes conquistas. Para isso temos que entender que além das palavras, estão os gestos que as acompanham.
            A linguagem não é verbal é, inclusive, mais importante do que o que dizemos com os lábios, pois estes gestos e posturas são os que entregam (ou não) sentimento e validade às nossas expressões verbais. Por exemplo: se você quer que o seu par saiba que você gosta dele (a), não basta com um “Te amo”. Essas palavras têm que estar acompanhadas, pelo menos, de contato visual, porque se você olha pro chão, teto ou pra qualquer outra coisa, você não está dizendo nada.

2.3  A LINGUAGEM CORPORAL NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
 
            Logo que rodeado com colegas de mesmo grupo a criança acaba desenvolvendo seu poder de cultivar para si referenciais de comunicação, neste processo melhor e maior fica o vocábulo e, por conseqüente as possibilidades de comunicação através da linguagem corporal. Vale ressaltar também o espaço em que a criança está desenvolvendo através de adequados a precisão instantânea. Wayer (1984, p. 21) afirma que a criança toma consciência, une-se ao conhecimento e toma competência dos elementos que compõem o mundo dos objetos bem com suas mudanças e coordenação de seus movimentos, ou seja, graças a utilização mais precioso do próprio corpo.
            O desenvolver movimentos, o dançar, o brincar, enfim dentre outros estão ligados diretamente da motivação na escola. Assim Carmo Junior (1995, p. 19) diz que no mundo da vida o ato criativo vem representando o momento lúdico extremamente profanador, violador, influente e que contem um movimento que não para.
            É obvio que a linguagem da fala é essencial para o ensino, porém a linguagem corporal não fica nesse processo de comunicação, assim dando forma de mudanças no ato de ensinar.
3 A NECESSIDADE DA LINGUAGEM CORPORAL NO ENSINO- APRENDIZAGEM

            O ensino na educação infantil tem sua precisão de ser valorizada, visto que obviamente base para qualquer individuo saber se socializar precisa desde então do ensino-aprendizagem, por isso todo e qualquer método usado para transmitir tal conhecimento é de grande relevância para o ensino. E de acordo com Carmo Junior (1995, p. 19) a descoberta da linguagem, a criança encontra sua cultura, sua humanidade física e direta. Seria o primeiro brilho do prazer vivo e vigoroso, da vontade métrica e poética. Neste aspecto o corpo estabelecido no mundo acaba na primeira dança da vida. No sentido de representação todo ser é um artista e todo ato faz sentido. Eis uma noção da subjetividade com a palavra, com as coisas.
              É essencial que seja mostrado diversos meio para a criança se expressar na classe, e dentre tantas utilidade, a linguagem corporal é um desses meios de comunicação e que pode ser envolvida para o ensino das crianças, assim sendo, Carmo Junior (1995, p. 19) ainda complementa dizendo que quando negarmos á criança de se expressar através de movimentos, quebrados uma corrente que começa em suas primeiras experiências vividas e forçamos um aprendizado progressivo e latente.
              E para enriquecer mais esse pensamento, Nicolau (1986, p. 78) diz que outro meio que tem grande influencia no desenvolvimento da criança é a descontinuidade dos valores infantil, sua forma de viver e de se comunicar e aqueles trabalhos da escola.
             A chance de a criança progredir em termo de criticar e transformar só pode ser exercida se a criança for estimulada desde cedo em suas experiências de vida. A linguagem usada em movimento simples e complexa nos gestos faz com que a criança seja e esteja no mundo. Este é o mundo que gesticula que movimenta que permite que cada criança pesquise formas e imitá-lo para aprender a viver. Desta forma como estudioso Foucault afirma que o comando na educação não se firma apenas em ensinar ou impor uma série de gestos definidos; coloca melhor a ligação entre gestos e atitude global do corpo, que a sua condição.
             A linguagem corporal tem o papel essencial no processo ensino-aprendizado porque toda em qualquer instrumento que venha somar com método do ensino docente irão de fato oferecer ótimos resultados futuros na educação em geral, e sem dúvidas também facilitara no mundo do trabalho, com o trabalho profissional responsável por esse trabalho tão importante, não só nas séries iniciais, assim como em geral na vida escolar. A Linguagem corporal é uma estratégia que pode ser utilizada para aperfeiçoar a qualidade no processo ensino- aprendizagem; e para que esse recurso seja empregado com êxito é fundamental que seu receptor se envolva e esclareça tal linguagem, pois, a partir do momento que a transmissão de conhecimentos seja efetuada de uma maneira diferente e bem criativa, o interesse será despertado propiciando bons resultados.
             Dependendo de cada povo e cultura, o saber, os gestos que a crianças realizam a educação varia diversificadamente dependendo muitos dessas formas. A criança se desenvolve na própria comunidade, ela ver, entende, imita, aprende e se educa. Pease (2005, p. 270) diz que as mais recentes pesquisas nos mostram e nos convence que a linguagem corporal pode aumentar muitas coisas em nossas vidas. Podemos nos sentir mais confiante no trabalho, convincente e persuasivo.
             É necessário mudar a função da educação formal, pois assim apenas informa e treina os alunos. Por isso a linguagem corporal é de serventia no ensino, pois fica algo inovador e dinâmico. Para Maia (1999, p. 125) a linguagem é aceita como uma finalidade humana de alcançar os objetivos significados coletivos e compartilhá-los em sistemas arbitrários de representação que se dar de acordo com a precisão e experiência da vida em sociedade.
            A tarefa do docente no processo de ensinar é essencial para a vida, pois, porque se o mesmo não tiver vontade de mudar não poderá jamais reclamar da educação que seus filhos e netos receberam.
            A humanidade vive em um processo constante de amadurecimento, por quanto se faz necessário que o homem esteja sempre em sintonia com essas mudanças, sempre pesquisando, buscando conhecimento. Maia ainda complementa dizendo que os conhecimentos que pode aparecer em primeiro momento como, imediato, tem por trás de si uma historia de lutas classificatórios que devem ser revista no âmbito escolar.
           O passo inicial para qualquer profissional que deseja trabalhar com essa modalidade tem que saber o desenvolvimento da linguagem corporal, porem, os conhecimentos sobre o processo pra adquirir essa linguagem precisa de pesquisas que trabalhem essa modalidade, isto é, a linguagem corporal. Para quadros a importância desse estudo se realmente indicarem caminhos para os fatores implicados no processo pra obter essa linguagem, ela pode ser de grande valor para a aquisição da língua portuguesa.
           A educação das séries iniciais necessita de um reconhecimento onde a sua importância seja valorizada, pois, sem dúvida a própria é a base sólida que qualquer individuo precisa em sua vida escolar, por este motivo todo e qualquer método utilizado para transmitir esse conhecimento é de grande relevância para o ensino. Carmo Júnior analisa que:
            Com a descoberta da linguagem, a criança encontra sua humanidade, autentica física e direta. É o primeiro esplendor da vontade viva e vigorosa, métrica e poética. Nesse sentido, o corpo biologicamente instituído no mundo se oferece a primeira dança da vida. No verdadeiro sentido da representação, todo ser é artista e todo ato faz sentido. Eis uma noção da subjetividade corporal, quando se manifestam nos códigos do gesto humano, o jogo humano da palavra com as coisas (1995, p.19).
  A oportunidade de um bom desenvolvimento onde a criança possa criticar contestar transformar só pode ser praticada se desde cedo à criança for estimulada e respeitada em suas experiências de vida. A linguagem presente no gesto, nos movimentos simples ou complexos permite a criança ser e estar no mundo. É um mundo que se movimenta que gesticula que faz com que cada criança procure formas de imitá-lo para aprender a viver.
  O controle disciplinar não consiste simplesmente em ensinar ou impor uma série de gestos definidos; impõe a melhor relação entre o gesto e a atitude global do corpo, que é sua condição de eficácia e rapidez. No bom emprego do corpo, que permite um bom emprego do tempo, nada deve ficar ocioso ou inútil: tudo deve ser chamado a formar o suporte do ato requerido.
  Percebe-se que a criança desde o nascimento, desenvolve o gesto, essa comunicação corporal que com o passar do tempo vai se desenvolvendo com o acordo com o crescimento. De acordo com Petetto (1987, p. 71) as crianças com menos de um ano, surdos ou ouvintes, apontam freqüentemente para indicar objetos e pessoas. E quando a mesma passa para o estagio de um sinal, o uso de apontar para as coisas desaparece. E também nesse período pode ocorrer uma reorganização básica em que a criança muda o conceito de apontar como fazia antes
3.1 RELAÇÕES DA LINGUAGEM CORPORAL E ESQUEMA CORPORAL COM A EDUCAÇÃO INFANTIL

O trabalho de desenvolvimento com a relação linguagem corporal e esquema corporal com as crianças devem prever a formação de base indispensável em seu desenvolvimento motor, afetivo e psicológico, dando oportunidade para que por meio de jogos, de atividades lúdicas, se conscientize sobre o seu corpo.
A criança busca experiências em seu próprio corpo, formando conceitos e organizando o esquema corporal. A abordagem da psicomotricidade irá permitir a compreensão da forma como a criança toma consciência do seu corpo e das possibilidades de se expressar por meio desse corpo, localizando-se no tempo e no espaço.
  A linguagem corporal por meio de recreação deve realizar atividades considerando seus níveis de maturação biológica, se dirigida corretamente proporciona a aprendizagem das crianças em várias atividades esportivas que ajudam na conservação da saúde física, mental e no equilíbrio sócio-afetivo. A base do trabalho com a criança na Educação Infantil consiste na estimulação perceptiva e desenvolvimento do esquema corporal. A criança organiza aos poucos o seu mundo a partir do seu próprio corpo.
  A educação motora da criança deve ser evidenciar a relação através do movimento de seu próprio corpo, levando em consideração sua idéia, a cultura corporal e os seus interesses. O desenvolvimento do corpo para ser trabalhado necessita que sejam utilizadas as funções motoras, perceptivas, efetivas e sócio-motoras, pois assim a criança explora o ambiente, passa por experiências concretas, indispensáveis ao seu desenvolvimento intelectual, e é capaz de tomar consciência de si mesma e do mundo que a cerca.



4 A LINGUAGEM CORPORAL E SUAS DIFICULDADES COM RELAÇÃO AO DOCENTE – DISCENTE

Este tipo de linguagem nos oferece tais benefícios na relação entra professor e o aluno, pois, desde o instante a linguagem corporal for desenvolvida num consenso, conseqüentemente irá ser estabelecido um comportamento comunicativo ente ambos, bem expressivos e significativos e a mesma tem essa como principal qualidade em uma regra escolar.
Quando se diz em transmitir informações, logo o indivíduo associa a prática da fala, porque, a maioria das pessoas ainda acredita que o único modo pelo qual o professor pode transferi ar o ensino-aprendizado ao seu aluno é através da sua fala. De acordo nesse contexto, Pease (1995, p.19) afirma que a linguagem falada, apesar de sua importância, reconhece que a linguagem corporal também tem seu papel fundamental em nossa comunicação, portanto, a mesma precisa de uma melhor atenção para que a sua valorização necessite estudos e interação no currículo escolar.
O docente deve estar sempre presente no desenvolvimento do seu aluno, e atento de como ele está reagindo, pois é de fato essencial que linguagem corporal seja incluída em sala de aula com mais freqüência e de modo mais esclarecido, para que os alunos, não venham ter dificuldades que entendam o que está sendo trabalhado cientificamente. Pois muito ate utilizam essa linguagem, mas poucos conhecem a sua importância. Bordenave (2001, p. 50) diz que é preciso saber que a comunicação não se inclui apenas em mensagens que as pessoas trocam intencionalmente entre si.
Por isso o docente deve ter em sala de aula um olhar de preocupação e afetividade no ensino aprendizagem com seus alunos, porque, é sua responsabilidade a formação dos futuros cidadãos que serão formados futuramente.




5  OS BENEFÍCIOS DA LINGUAGEM CORPORAL NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM
Pode-se dizer que a linguagem corporal é uma estratégia que pode ser aplicado no aperfeiçoamento do ensino aprendizagem; e para que esse recurso seja aplicado com sucesso, é essencial que o aluno se envolva e esclareça essa linguagem, porque desde o momento que a interação de conhecimentos é efetuada de forma diferente e criativa, o interesse é despertado, proporcionando bons resultados.
          De acordo com Bordenave a metacomunicação pode ser verbal ou não-verbal, ou seja, com palavra, com gestos, com olhares, com tom de voz. É importante esclarecer como funciona a linguagem corporal e que cada gesto significa, pois o professor só saberá ensinar se de fato conhecê-los.
          Para que aconteça o comportamento efetivo no proceder do cumprimento da linguagem corporal é importante que o professor de tal linguagem tenha uma base formada e praticada, assim sendo, conseqüentemente o transmissor terá como aliado uma grande ferramenta para fornecer uma boa aula criativa, comunicativa e dinâmica.
          A qualidade que a linguagem corporal impõe em sala de aula é a variedade que ela pode oferecer ao setor escolar, pois através das diversas formas de transferir conhecimentos é que podemos chegar ao sucesso esperado. A linguagem é o domínio humano de se demonstrar idéias e sentimentos através de sons e gestos específicos, sendo o instrumento pelo qual a inteligência é desenvolvida.
          Portanto, a linguagem corporal é um grande meio de expressão de mensagens sem a utilização da fala, porque através de acenos pode ocorrer uma troca de informações onde a participação coletiva dos alunos acontece de forma natural, mas se esse interesse não acontecer, a compreensão desse entendimento ficará difícil.



6  COMO ESTIMULAR A INTELIGÊNCIA CINESTÉSICO-CORPORAL NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

            A inteligência é a compreensão fácil, um potencial que se manifesta na mente humana através de uma constelação de funções cerebrais, altamente organizadas, resultantes de uma imbricação de ações que envolvem neurônios e neuro transmissores, sinapses e fluxos sanguíneos Antunes (2002 p.113).
            As definições de inteligência tornaram-se mais abrangentes, considerando diversos escopos de habilidades e domínios, indo desde a capacidade para resolver problemas e constituir produtos válidos para um contexto cultural até a potência para disponibilizar diferentes recursos celebrais para se adaptar a alguma situação e para agir ou responder a demandas ambientais. As inteligências mudam de criança para criança, para testar estas inteligências poderá ser realizado de um teste de quociente de inteligência. ¨Um teste de inteligência de fato prevê a habilidade da pessoa de haver-se com materiais escolares embora preveja pouco sobre o sucesso na vida¨ Gardner(1994 p. 3).
            A inteligência cinestésico-corporal pode ser identificada como uma capacidade para controlar e utilizar o corpo. É a inteligência que se manifesta nas mais diversas expressões corporais: na dança, na mímica, na prática esportiva e no uso da linguagem corporal para propósitos de comunicação. Esta comunicação ocorre através do corpo, do movimento corporal. Diversas capacidades e habilidades físicas são associadas a essa inteligência: forças, equilíbrio, destreza, agilidade, flexibilidade, etc. As atividades que fazem da linguagem corporal um elemento da aprendizagem são muitas e extremamente diversificadas, mas em sala de aula quase nada se faz, persistindo-se no erro de separar mente do corpo, a sala de aula da quadra esportiva.
A mímica pode ser um instrumento interessante de construção de saberes; e o uso do corpo para explicar fatos construídos para exploração de uma linguagem diferente dever ser mais utilizado no ambienta escolar. Com a mímica, pode-se reforçar a compreensão de conteúdos ministrados e estimular referências que ajudem a guadá-la na memória de longa duração, por estratégias mnemônicas e associativas e mais que isso, que o aprendizado seja significativo e compreensível á realidade do educando.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este artigo vem reforçar a prática desse trabalho ao educador. E tenta mostrar da melhor maneira possível, falando sobre a linguagem corporal que se impõe aos que verdadeiramente se comprometem com a educação. A linguagem proporciona dinamicidade, criatividade, comunicação e aprendizado. Visto que da forma colocada pelos professores o desenvolvimento da linguagem corporal vem sendo trabalhado dentro da sala de aula de forma correta e de forma a auxiliar no processo de ensino aprendizagem.
A pesquisa possibilitou a oportunidade de conhecer as diferentes formas de se comunicar, a linguagem corporal é uma delas. Com todos os conhecimentos vividos, podemos fortalecer o ensino com nossas experiências e contribuir com ensino aprendizagem ao incluir em nossa metodologia a linguagem corporal.
Portanto, a linguagem é algo primordial na vida de qualquer ser humano, sendo que é uma herança social, o homem cria, transforma, em língua falada, escrita, gestual e em infinitas possibilidades.
            Através da interdisciplinaridade, os professores não deixaram os aspectos teóricos e os conhecimentos de lado... Apenas problematizá-los em conjunto com os aspectos práticos e problematizações reais e contextualizadas. Ensinariam o que fosse preciso, aplicável, usando a dinâmica de jogos e brincadeiras, que poderia estimular o desenvolvimento do raciocínio, além de estimulá-las com desafios que as incitassem a serem mais ágeis, espertas, atenciosas, criativas e dinâmicas, condutoras de seus próprios movimentos. Trabalhar as inteligências múltiplas em sala de aula desenvolveria diversos domínios, além dos motores: o pensar; o compreender; o movimentar; o falar; dentre outros.
             Pudemos observar que a ludicidade, apesar de diversão e prazer, é uma possibilidade muito rica de aprendizado, com inúmeras potencialidades para se desenvolver habilidades, competências Perrenoud (200) e produtos culturalmente valorizados atribuídos á resolução de problemas e situações reais ou simulativas. Conseqüentemente, estas situações estimulariam movimentos de criatividade espontâneos e individualidades; crescimento intelectual e continuidade para o desenvolvimento das inteligências múltiplas. Assim sendo, surge nessa proposta a necessidade de um alto engajamento, envolvimento e motivação por parte dos educadores, pois ensinar e aprender passa a ser uma responsabilidade muito grande.

REFERÊNCIAS

BORDENAVE, Juan Diaz. O que é comunicação. São Paulo: editora brasiliense. 2001.

PEASE, Allan. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Rio de Janeiro: editor sextante. (p.18,19, 2004).

PEASE, Barbara. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Rio de Janeiro: editor sextante. (p. 17, 2004).

MAIA, Eni Marisa. Linguagem códigos e suas tecnologias. Brasília: editora executiva. 1999.

QUADROS, Ronice Muller de educação de surdos: A aquisição da linguagem. Porto Alegre: editora artmed. 1997.

           



 





       

michela
Enviado por michela em 09/06/2011
Código do texto: T3023620
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
michela
Macapá - Amapá - Brasil, 44 anos
1 textos (24342 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/06/19 03:56)