Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda


18/02/18 18:41 - Luis Melo
...
Em frente ao mar
embriago-me em gradações
da essência, pelo caos,
até ao absoluto reavivar
em cada grão de areia
de uma réstia de eternidade,
como abstracção débil
e com o gosto salgado
de um oceano interior.
...
em " Mar "
de Luis Melo
18/02/18 16:35 - Jessi Fernandes
Boa tarde!

Sou nova por aqui quero divulgar meus textos-poesia.
Para conhecer alguns só clicar no nome  abaixo:
Belo domingo*



PAI!Poesias > Família●

Cinderela nãoPoesias●

Superficial...Poesias > Reflexão●

NuaPoesias●

Eu comi e daí?Poesias●

Odeio novelas!Poesias●

RecomeçoPoesias > Pensamentos●

ConfusoPoesias > Amor●

VinhoPoesias●

Certo ou erradoPoesias > Reflexão●

Se refaçaPoesias > Vida●

Ler..Poesias > Reflexão

Você me diz
18/02/18 16:19 - Raquel de Paula
Há quem prefira morrer de amor, eu não.
Prefiro mesmo é viver de amor. Afinal, pra que morrer se o bom mesmo é usufruir desse sentimento em vida?
18/02/18 16:18 - Mari S Alexandre
18/02/18 15:19 - LCoelho
Boa tarde!
Amigos(as) do recanto.
Visitem a página 
http://www.magiadanatureza.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6171662
E vejam a nova Poesia 
"O Sentir De Um Adeus."
E as 1284 fotos feitas por LCoelho
" Magia da Natureza 
18/02/18 15:17 - vera lucia Calza
18/02/18 09:12 - Espirito Santo
                                  CACHORRO CAGÃO (rsrsrsr)

clique no nome (Espirito Santo) acima citado / clique em (TEXTOS) / clique no (TOPICO) / Leia / Medite / Ria e deixe seu comentário ! Paz e Bem !
PUBLIQUEI AQUI  NO RECANTO, RECENTIMENTE, DUAS POESIAS:
- O TEMPO EM SENTIMENTO
- RAZÃO
PARA CONHECER ESSES MAIS NOVOS E HUMILDES TRABALHOS DE MINHA AUTORIA, BASTA CLICAR NO MEU NOME LOGO ACIMA.
SAUDAÇÕES POÉTICAS,
DUDA

 
17/02/18 23:09 - JUNIOR CAMPOS
17/02/18 23:23 - walter pantoja teixeira
Sobre ontem

by Walter Pantoja 



www.walterpantojateixeira.recantodasletras.com.br
17/02/18 21:49 - Urban Tinker
Escravo De Uma Utopia
 
Abandonado à própria sorte do Destino
Exilado nas alcovas de minha própria mente
Um mero espectador desta delirante Distopia
Refletindo sobre onde tudo afundou
Em um tempo muito longínquo, um vislumbre de mudanças
Uma gota de Esperança em um oceano de desordem
Alegres pensamentos dispersos em uma falsa névoa de Euforia
A inocência de uma criança perante o Caos
Uma descida até a perturbadora realidade
Novos deuses são adorados: Amém Egocentrismo! Glória à Indiferença! Aleluia, Santo Dinheiro!
A cada dia, a humanidade definha. Uma pústula pulsante de Desespero
Um câncer devorando o mundo
Visões perturbadoras de um futuro decadente, imperfeito
Nada mais faz sentido, nossa imagem refletida em um espelho estilhaçado
“Amar a si mesmo e esquecer o próximo”
Trancado e crucificado em meu próprio mundo
Minha tão amada e doce Utopia
©Urban Tinker
 
17/02/18 21:38 - Alexandre Ivanovski
Resultado de imagem para pedro álvares cabral gif
Terra de ninguém
Era uma criatura que despertava simpatia por onde andasse. Um homem em seus vinte e alguns anos de idade de barba espessa e olhar confiante. Embora um tanto maquinal em seus abraços, à maneira de um político angariando votos para a campanha, ele distribuía de forma determinada seus abraços.
Aquele era o dia mais importante para o ano de trabalho na repartição pública. Chegava o dia da festa anual – um churrasco no clube alugado pela empresa. Talvez para causar impressão aos chefes, Homero foi o primeiro a chegar, recebendo com cumprimentos a todos na entrada do clube. As mulheres, geralmente, o consideravam galanteador.
As mulheres gostavam dele, mas é uma incógnita se ele de fato gostava delas. Jurou-me uma vez o Juracy que o havia visto de mãos dadas com um homem. Nunca gostei de fofocas, e assim as escolhas amorosas de Homero nunca me afetariam – para o bem ou para o mal.
O fato de Homero ser gay não me incomoda de qualquer maneira. De fato, eu que tenho uma índole de sonhador, muito antes da fofoca de Juracy fantasiava a história incógnita de Homero. Nesses meus sonhos, o que de fato mais importava era a procedência, a história, que trazia naquele instante a meus olhos o amigo.
Não vou negar que já me senti incomodado com a forma mecânica com que Homero costumava me abraçar. Da primeira vez, senti-me ofendido. Com o tempo, e talvez depois da fofoca de Juracy, eu relaxei. Não deixei nunca de observá-lo, mas sem dúvida, como assegurei, sua vida amorosa não era o foco de minhas observações.
Homero era, sem dúvida, um sedutor. Daí a fama de sedutor das mulheres da repartição. Pois ele seduziu a mim mesmo. Ele instigou-me a descobrir mais e mais sobre sua existência. Digo existência na compreensão de sua história. Aquela que o fez mesmo antes de ter nascido e chegado ali.
Homero tinha o sabor de grandes histórias. Sua compleição física fazia com que me questionasse se não foram portugueses com a sua aparência que um dia singraram os mares até as índias, conquistando a Ásia, a África e a América também. Estava ali, em seu rosto, este passado imaginado por mim e para mim glorioso.
Não sei especificar o que exatamente o fazia tão especial, mas talvez fosse o nariz. De fato, não, não era um detalhe apenas, mas a composição. Homero era a encarnação de um jovem aventureiro que carregava no gene, na carne, um pouco de três continentes. Tudo em si carregava a marca genética de um português de três continentes.
Homero me fascinava e eu me continha para que não percebesse toda a atenção que lhe devotava. Sua barba formava um “u” cortado ao meio pelo bigode grande. Seu cabelo da face muito espesso. Já o cabelo (corte social), em minha imaginação era encimado por um chapéu que pertenceria a muitas gerações de história anteriores a ele.

Minha curiosidade era grande, e eu me perguntava se sabia de sua história. Conhecera algum dia algum pirata seu antepassado? Ou a prole de seus tataravôs labutaram para a coroa portuguesa? Era extasiante imaginar sua história mais uma vez, enquanto tomava uma batida de vodca com limão e não retirava por nem um minuto meus olhos dele.
E lá estava Homero, na saída do estacionamento e entrada do clube, ciceroneando todos os colegas de repartição. Até que chegou o momento de entrar, uma vez que os convidados pararam de chegar em seus carros. Duas colegas de repartição tomaram-no nos braços, uma de cada lado, e conduziram-no ao bar para uma bebida.
Naquele começo de tarde, no momento em que Homero entrou, já havia virado umas três vodcas com limão e compreendia que, se não tomasse cuidado, mantendo-me sóbrio, ele poderia me pegar de olho nele. Parti para uma conversa sem pés nem cabeça com a esposa de Juracy. Ela queria me convencer que uma revolução estava a caminho.
A esposa de Juracy merece uma menção: ela tida por muita gente como lunática. Mas alguns a achavam interessante. De forma geral, ela teimava em afirmar que teríamos uma revolução militar e que tudo aconteceria em breve. Este seu “em breve” ela já o sustentava há uns três anos e nada. Ela dizia: “esse ano vocês verão, será horrível”!
Seu marido mostrava-se envergonhado por conta dos dons divinatórios. Mas, nossa turma sempre muito afável, acolhíamos os dois sem muitos julgamentos. Pensei para mim, “nós, os colegas, não a julgamos, mas não poupou a ferina língua para sentenciar a homossexualidade de Homero...”
Se Homero soubesse o quanto gostava dele, e o quanto seria capaz de defende-lo contra homens do tipo de Juracy... Homero para mim já passara de um mero colega de trabalho para um objeto de fixação. Cada pose, cada gesto sedutor que fazia, eu como se tivesse duas anteninhas na cabeça captava o gestual prontamente assim que Homero o fazia.
Já havia dito, mas é bom sustentar que Homero é um sedutor. Indistintamente, seduzia os colegas e as colegas de trabalho, de forma a que (com a exceção de Juracy), todos sentiam-se muito bem em sua presença. Aqueles colegas que já estavam de foguinho o abraçavam e cantavam alguma canção antiga. As mulheres queriam dançar com ele.
Meu português velho, filho do Brasil como eu, mas filho de tantas outras épocas que não conseguiria sequer contar se o desejasse ali estava, à minha frente. Ergui meu copo oferecendo a Homero um brinde. Ele retribuiu fazendo o mesmo. Novamente, tive a sensação de estar em frente a uma máquina, tão maquinais os seus gestos comigo.
Foi então que puseram uma música dos anos 90, com batida forte para dançar. A Rosa lançou-se bêbada em torno do pescoço de Homero e o puxou para a pista de dança. Ficava claro que, devido à maneira de sempre encantar a todos, indistintamente, Homero tornara-se o que chamo de terra de ninguém. Mas, meu Vasco da Gama.
Texto de Alexandre Ivanovski. 110x101
Visite minha página:
www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=64408 
17/02/18 21:36 - fchagass
COMO FICARIA (PELOS LADOS DE CÁ) MEA CULPA NA PRÁTICA COTIDIANA (?!) – II ...
 
No texto anterior): COMO FICARIA (PELOS LADOS DE CÁ) MEA CULPA NA PRÁTICA COTIDIANA (?!) ... eu disse:
 
Conforme está no wikipédia, mea culpa seria uma frase da língua latina que, traduzida para nossa língua, significa "minha culpa", ou "minha falha". enfatizando a mensagem, por "minha mais (grave) falha/culpa". Envolve um pedido de perdão (reconhecimento da própria culpa).
 
Em meu achômetro, considerando que não é costume pelos lados de cá, uma pessoa, reconhecer erros, considerando que é comum em nossa triste, pobre e podre sociedade, querermos ser o primeiro, o mais rápido, o mais forte, a pessoa quer mais é se dar bem, afinal tão logo termine um  carvaval se começa a sonhar com o próximo e, entre uma bagunça e outra, algum esperto teve a idéia de inventar o carnaval fora de época e, assim, em quanquer momento do ano hverá como quem não tenha dinheiro, transferir do pouco que tem pras bandas que são especialistas em poluição sonora e faturam alto as custas dos tolos que pelo menos gastarão um pouco com bebidas e (pessoas) serão estimuladas  balançarem o esqueleto (rebolando)...
 
Quando necessário cuidar de coisas que sejam essenciais, como um bom relacionamento humano, a gente dá um jeito – até parece coisa de final  de filme sobre as mil e umas noites, em que sempre que o filme termina, ficca implícita a idéia: E FORAM FELIZES PARA SEMPRE...
 
Entendo que, em nossa época era a pessoa ser criada aprendendo a ser responsável, especialmente, acostumada a assumir MEA CULPA, sempre que seja conveniente, mas o comum é cada um tirar o corpo fora, esperando que as soluções aconteçam num passe de mágicas, sem que se precise fazer nada pra reparar erros ou coisa semelhante e, quando não sair politicamente correto a pessa se vira dando seu jeitinho, afinal por aqui tudo termna em pizzas mesmo...
 
Faz algum tempo que pessoas achavam que a solução seria voltaa dos militares, como se isso automaaticamente colocasse o país nos trilhos sem necessidade de ninguém assumir MEA CULPA!!!
 
CONTINUA...
 
Continuando, direi:
 
Na realidade, o que  estamos querendo colocar como alvo da questão é a diferença entre um modelo de sociedade que possa ser viável para termos vida e vida com qualidade e o modelo de sociedade que está em vigência, o qual não tem sido conveniente pelo simples fato de ser algo que tanto tem de superficialidade, quanto tem de aparência...
 
No primeiro momento,  considerando a realidade,alguém poderia argumentar que a falta de pensamento racional (inteligente) seria apenas pela polarização entre a esquerda e a direita ou coisa semelhante... Afinal, num extremo temos adeptos do esquerdismo (pessoas simpáticas ao ateísmo, comunismo, materialismo, socialismo e tantos outros ismos que consiga relacionar...
 
No extremo oposto estão pessoas (simplesmente) contrárias  ao modelo ccitado, os anti – petistas, anti–mortadelas, etc.
 
Perdidos, em meio aos dois extremos, estarão as demais pessoas que, independente desses dois modelos, precisam apenas saúde, segurança, habitação, escola, saneamento básico, liberdade de ir e de vir, trabalho, etc...
 
O PROBLEMA EM NOSSO PAÍS É QUE É COMUM PENSARMOS QUE APENAS PENSANDO SOBRE SOLUÇÕES UM PROBLEMA PODERIA SER RESOLVIDO E, A SOLUÇÃO NÃO SERIA SIMPLES ASSIM...
 
CADA CASO É UM CASO E, SE FAZ NECESSÁRIO AVALIAR CADA CASO, ANTES DE CONCLUSÕES PRECIPITADAS...
 
POR EXEMPLO: O ATUAL PRESIDENTE DA REPÚBLICA, TEM POSADO DE ESPECIALISTA E, EM ANOS ANTERIORES, QUANDO FOI VICE–PRESIDENTE (POR DUAS VEZES), SÓ ABRIA A BOCA PRA COMER... AGORA, TEM RECEBIDO PESSOAS FORA DE EXPEDIENTE, RECEBEU MALAS DE DINHEIRO, ETC E TAL... TEM DITO HAVER COLOCADO O PAÍS NOS TRILHOS... ATÉ PARECE ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS... EM RESUMO, “PARECE O CÃO CHUPANDO MANGA” COMO DIRIAM LÁ EM SÍTIO... EU,  HEIN (?!) E POSSO ATÉ DESAFIAR: CHUPE EM MEU DEDO QUE SE SAIR COCA–COLA IREI CRER QUE A INTERVENÇÃO RESOLVERÁ O PROBLEMA DA VIOLÊNCIA COMO DIZ ATRAVÉS DA MÍDIA QUE GANHA UM BOM DINHEIRO PRA APLAUDIR O  DESGOVERNO...
 
SEM MAIOR E MELHOR INVESTIMENTO NA SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA NADA SE RESOLVE... CRIAR MINISTÉRIO EXTRAORDINÁRIO É APENAS JUSTIFICAR MAIORES SALÁRIOS PARA ASSECLAS E BABÕES DE PLANTÃO...
 
SE FAZ NECESSÁRIO (PRECISAMOS) PENSAR QUE PROFESSORES(AS), POFISSIONAIS DA SAÚDE E MILITARES CONTINUARÃO COM A DESCULPA DE QUE  NÃO RECEBEM SALÁRIOS  DIGNOS POR QUE O DESGOVERNO ESTÁ INVESTINDO NO NOVO MINISTÉRIO E NÃO TEM DINHEIRO PRA REAJUSTES DE SALÁRIOS...
17/02/18 20:47 - Leonardo Ulhoa
17/02/18 20:20 - Rubens Jardim
EM BREVE AS MULHERES POETAS VIRAM LIVRO. DIGITAL E GRATUITO!
Queridas e queridos: sempre sonhei em realizar um trabalho digno e competente na esfera da poesia. Consegui realizar algo parecido com isso nos anos 60, através da Catequese Poética. Mais adiante fiz um gol de placa: a publicação de Jorge,80 Anos e a comemoração do Ano Jorge de Lima, em 1973. Com esse trabalho --e graças ao apoio recebido de grandes figuras da nossa poesia--revertemos o quadro de esquecimento do poeta e conseguimos colocá-lo,de novo, em destaque e evidência. Editoras republicaram suas obras e Jorge de Lima foi, em 1975, samba-enredo da Mangueira. Esse tipo de conquista me gratifica muito mais do que todas as inacreditáveis alegrias que a minha própria poesia já me proporcionou --e ainda me proporciona. Mais recentemente acabei me envolvendo com questão similar: o esquecimento, talvez proposital, da contribuição cultural da mulher em vários campos do saber e das artes. E foi por aí, desabafando e protestando, que dei o pontapé inicial nessa mobilização em torno das mulheres poetas. Hoje, graças a continuidade desse trabalho e ao interesse que ele vem despertando , fico cada vez mais convencido de uma coisa: não vou conseguir parar com essa garimpagem. E ela tem sido uma das principais razões das minhas alegrias. Agradeço, portanto, a todas as mulheres poetas que me enfeitiçaram com seus poemas. E aviso: a transformação da série virtual AS MULHERES POETAS em três livrinhos digitais está em andamento rápido. O primeiro volume, com 152 páginas, reúne 139 poetas em 139 páginas com fotos coloridas, minibio e poemas de cada uma.Este 1º livrinho já foi concluído e estou à espera de uma apresentação que vai encher de alegria a alma de todos nós envolvidos nesse projeto.Assim que receber esse presentaço, aviso vocês. Por enquanto, recebam um baita abraço e a minha gratidão por terem proporcionado tantos momentos de maravilhamento nesses 6 anos de grande proximidade com os poemas criados por vocês.
17/02/18 19:01 - Marcio Tadeu
Aos novos poetas

Não nos prive de seus manuscritos, de suas loucuras, devaneios, de sua soma com as palavras, que por vezes tenta ser tão exata quanto as ciências exatas.
Marcio Tadeu
17/02/18 18:56 - Vitor Pereira Jr
Olá! O quanto você já escreveu com uma única frase?
 
Em apenas uma única frase
http://www.recantodasletras.com.br/contos/4788672
 
Boas leituras!
 
Vitor Jr

 
17/02/18 17:58 - Ian Peregrino

Trecho da poesia, de minha autoria: Clique aqui para ir para a posia
17/02/18 16:37 - Poeta Cláudia Machado
Ao artista verdadeiro, envio versos certeiros... O resto é embusteiro...

O Artista de Verdade

https://www.recantodasletras.com.br/poesiasdedicatorias/6256515
17/02/18 16:16 - ANTONI BIGCUORE
Vim sonhar com Você! frase poética que acabo de conceber...
e partilhar com vocês!


www.recantodasletras.com.br/frases/6256603

Aproveito o ensejo para agradecer a todos os meus leitores e leitoras deste conceituado Portal RL.
Deus os abençoe sempre! Paz e Bem!


Para quem ainda não conhece, sugiro o meu Blog Bem, sugiro uma visita: Blog Bem Viver Brazil - antonibigcuore.blogspot.com (autoconhecimento, espiritualidade e vida saudável)

Ótimo fds. a todos! graça e paz!
ANTONI BIGCUORE.SP.SP.

 
17/02/18 15:44 - Jessi Fernandes
Homens no poder!

Seja sensato
Pense no seus atos
Todos querem
Um trocado
Um barraco
Vendem vida
Plena perfeita
Como se ela fosse
Comprada
Igual pão
No mercado
O buraco
É mais em baixo
Derrotado
Sem trabalho
Pai de quatro
Faz o que
Assalto
É crucificado
Pela sociedade
Que não revela
A favela
Pessoas marginalizadas
Não reveladas
Já nascem devastadas
Por um sistema que nos mata
Sem escola sem saúde
Homens no poder..Me deixe viver!


PS:Quem sabe vocês não gostem de alguns poemas meus:

Lembranças de uma...

Pessimista!!

Cada escolha sem volta!!

Vinte e nove carnavais

Lembranças de uma...

Pessimista!!

Cada escolha sem volta!!

Vinte e nove carnavais

ABSTRATO!!!

ILUSÃO!

MAQUIADO

Marcas

Preciso de tão pouco

Meu mundo
17/02/18 15:42 - On
17/02/18 15:06 - LCoelho
Boa tarde!
Amigos(as) do recanto.
Visitem a página 
http://www.magiadanatureza.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6171662
E vejam a nova Poesia 
"Menina Dos Olhos Azuis."
E as 1284 fotos feitas por LCoelho
" Magia da Natureza 
17/02/18 15:05 - Marcos Graciano
Olá,
Os convido a ouvir a música "Era Assim", algo leve e diferente do que se ouve por aí.

https://vimeo.com/252485157

Marcos Graciano
17/02/18 15:04 - ROBERTO BARROS XXI
ROBERTO BARROS XXI
Biografias12:14
 
ROBERTO BARROS XXI
Biografias09/02/18
 
ROBERTO BARROS XXI
E-livros09/02/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano03/02/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos28/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
E-livros28/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas27/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Biografias27/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas25/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas21/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Cartas14/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Cartas14/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas23/12/17
 
ROBERTO BARROS XXI
E-livros11/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Frases11/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Artigos > Literatura10/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano10/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas06/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas06/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Cartas20/10/17
17/02/18 14:17 - Poeta Antonio Ferreira
Quando eu me calar, é por que morri.
Quando eu propositalmente falhar contigo, é porque você falhou comigo.
Livre pensamento, sem desrespeito.
17/02/18 12:42 - Nelson Schocair
Olá Amigos,
Meu romance Alkaryan - Os Segredos do Arco-íris, está concorrendo ao Prêmio Verão 2018.
É super simples, clica no link abaixo e selecione dentre os Autores concorrentes Nelson Maia Schocair. É super rápido e fácil, e você PODE VOTAR QUANTAS VEZES QUISER!!!
Muito Obrigado! 
https://jovens-escritores-brasileiros.webnode.com/votacao-do-premio-verao-2018/ 
17/02/18 12:22 - Uma Mulher Um Poema

BOA TARDE, CAROS AMIGOS,
DESEJO UM BOM FINAL DE SEMANA A TODOS!
MINHA PUBLICAÇÃO DE HOJE:

CHUVA E LEMBRANÇAS.

 
17/02/18 11:49 - Mari S Alexandre
heart Se ficar interessado em ler os meus escritos, basta clicar nos títulos
abaixo.
 heart

Para sempre, nem sempre seráEnsaios●RS
FilmePensamentos●RS
Certeza de siEnsaios●RS
Lixo mentalPensamentos●RS
SementesPensamentos●RS
TesãoPensamentos●RS
Contando os DiasPoesias●RS
Palavras impecáveisEnsaios●RS
RecompensaEnsaios●RS
Sou PoesiaPoesias●RS
FlautearPensamentos●RS
CorrupçãoFrases●RS
ToloFrases●RS
ConteúdoFrases●RS
À ToaPensamentos●RS
DistinçãoProsa Poética●RS
Ele, o homem idealEnsaios●RS

Epílogo (indriso)


 
17/02/18 09:42 - CULTIVE
A Cultive está recebendo textos para a revista Cultive online, favor enviar os textos em word, 1 pagina, tema livre, times 12 espaço duplo. Cronica, poesia, conto, ensaio, haikai para o email cultive@bluewin.ch até o dia 15 de março. também rcebemos fotos de pinturas para a sessão galeria ARTPLUS.
Escrever no assunto, revista cultive
 
17/02/18 09:40 - Amontesferr
FRIEIRAFRIEIRA
Que queira,
que me queira
farinha com rapadura...
Boca seca, thysiqueira.
... Na feira, frieira fuzueira,
depois da linha...
Papo sopapo, pirambeira!
Peixe pendurado
pela fieira.
Antonio Montes

 
17/02/18 01:26 - Dalton LA Carvalho
Boa noite amigos do Recanto
Para perdidos na madrugada...Tem news no blog...
Achados e perdidos
16/02/18 22:52 - Gilberto Holovatino
http://gilberto.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6255820
 
16/02/18 22:39 - walter pantoja teixeira
Sobre ontem
(www.walterpantojateixeira.recantodasletras.com.br)



by Walter Pantoja
 
16/02/18 22:38 - Sandra Fayad Bsb
Atualizando de acordo com as notícias mais recentes: 

A Globo esqueceu de incluir na listagem.  Catalão também já teve intervenção federal.  Saiba mais aqui: 

http://www.sandrafayad.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=2451140
16/02/18 21:33 - Espirito Santo
                                                    JUSTIÇA

clique no nome (Espirito Santo) acima citado / clique em (TEXTOS) / clique no (TOPICO) / Leia / Medite e deixe seu comentário ! Paz e Bem !
16/02/18 21:31 - Iliely
# Milico, põe só a cabecinha...

20.07.2007 – 12h40min –
Quando eu morrer, quero alcançar o inferno, pois lá posso manter-me nos meus pecados.
16/02/18 19:33 - Luis Melo
...
É por aqui que se burila
um destino remanescente
para os meus passos.
A tornar-se insana a ousadia
de reservar para mim
o recôndito peito da noite.
Se não estou em erro,
levo para qualquer eternidade
o ventre prenhe de um credo.
Ainda que seja credo...
.   .   .   .   .   .   .   .   .   .cego
...
Excerto de "Mater"
de Luis Melo
16/02/18 19:13 - JUNIOR CAMPOS
16/02/18 18:45 - Alexandre Ivanovski

1_1_grafic3.jpgResultado de imagem para pedro álvares cabral gif
Terra de ninguém
Era uma criatura que despertava simpatia por onde andasse. Um homem em seus vinte e alguns anos de idade de barba espessa e olhar confiante. Embora um tanto maquinal em seus abraços, à maneira de um político angariando votos para a campanha, ele distribuía de forma determinada seus abraços.
Aquele era o dia mais importante para o ano de trabalho na repartição pública. Chegava o dia da festa anual – um churrasco no clube alugado pela empresa. Talvez para causar impressão aos chefes, Homero foi o primeiro a chegar, recebendo com cumprimentos a todos na entrada do clube. As mulheres, geralmente, o consideravam galanteador.
As mulheres gostavam dele, mas é uma incógnita se ele de fato gostava delas. Jurou-me uma vez o Juracy que o havia visto de mãos dadas com um homem. Nunca gostei de fofocas, e assim as escolhas amorosas de Homero nunca me afetariam – para o bem ou para o mal.
O fato de Homero ser gay não me incomoda de qualquer maneira. De fato, eu que tenho uma índole de sonhador, muito antes da fofoca de Juracy fantasiava a história incógnita de Homero. Nesses meus sonhos, o que de fato mais importava era a procedência, a história, que trazia naquele instante a meus olhos o amigo.
Não vou negar que já me senti incomodado com a forma mecânica com que Homero costumava me abraçar. Da primeira vez, senti-me ofendido. Com o tempo, e talvez depois da fofoca de Juracy, eu relaxei. Não deixei nunca de observá-lo, mas sem dúvida, como assegurei, sua vida amorosa não era o foco de minhas observações.
Homero era, sem dúvida, um sedutor. Daí a fama de sedutor das mulheres da repartição. Pois ele seduziu a mim mesmo. Ele instigou-me a descobrir mais e mais sobre sua existência. Digo existência na compreensão de sua história. Aquela que o fez mesmo antes de ter nascido e chegado ali.
Homero tinha o sabor de grandes histórias. Sua compleição física fazia com que me questionasse se não foram portugueses com a sua aparência que um dia singraram os mares até as índias, conquistando a Ásia, a África e a América também. Estava ali, em seu rosto, este passado imaginado por mim e para mim glorioso.
Não sei especificar o que exatamente o fazia tão especial, mas talvez fosse o nariz. De fato, não, não era um detalhe apenas, mas a composição. Homero era a encarnação de um jovem aventureiro que carregava no gene, na carne, um pouco de três continentes. Tudo em si carregava a marca genética de um português de três continentes.
Homero me fascinava e eu me continha para que não percebesse toda a atenção que lhe devotava. Sua barba formava um “u” cortado ao meio pelo bigode grande. Seu cabelo da face muito espesso. Já o cabelo (corte social), em minha imaginação era encimado por um chapéu que pertenceria a muitas gerações de história anteriores a ele.

Minha curiosidade era grande, e eu me perguntava se sabia de sua história. Conhecera algum dia algum pirata seu antepassado? Ou a prole de seus tataravôs labutaram para a coroa portuguesa? Era extasiante imaginar sua história mais uma vez, enquanto tomava uma batida de vodca com limão e não retirava por nem um minuto meus olhos dele.
E lá estava Homero, na saída do estacionamento e entrada do clube, ciceroneando todos os colegas de repartição. Até que chegou o momento de entrar, uma vez que os convidados pararam de chegar em seus carros. Duas colegas de repartição tomaram-no nos braços, uma de cada lado, e conduziram-no ao bar para uma bebida.
Naquele começo de tarde, no momento em que Homero entrou, já havia virado umas três vodcas com limão e compreendia que, se não tomasse cuidado, mantendo-me sóbrio, ele poderia me pegar de olho nele. Parti para uma conversa sem pés nem cabeça com a esposa de Juracy. Ela queria me convencer que uma revolução estava a caminho.
A esposa de Juracy merece uma menção: ela tida por muita gente como lunática. Mas alguns a achavam interessante. De forma geral, ela teimava em afirmar que teríamos uma revolução militar e que tudo aconteceria em breve. Este seu “em breve” ela já o sustentava há uns três anos e nada. Ela dizia: “esse ano vocês verão, será horrível”!
Seu marido mostrava-se envergonhado por conta dos dons divinatórios. Mas, nossa turma sempre muito afável, acolhíamos os dois sem muitos julgamentos. Pensei para mim, “nós, os colegas, não a julgamos, mas não poupou a ferina língua para sentenciar a homossexualidade de Homero...”
Se Homero soubesse o quanto gostava dele, e o quanto seria capaz de defende-lo contra homens do tipo de Juracy... Homero para mim já passara de um mero colega de trabalho para um objeto de fixação. Cada pose, cada gesto sedutor que fazia, eu como se tivesse duas anteninhas na cabeça captava o gestual prontamente assim que Homero o fazia.
Já havia dito, mas é bom sustentar que Homero é um sedutor. Indistintamente, seduzia os colegas e as colegas de trabalho, de forma a que (com a exceção de Juracy), todos sentiam-se muito bem em sua presença. Aqueles colegas que já estavam de foguinho o abraçavam e cantavam alguma canção antiga. As mulheres queriam dançar com ele.
Meu português velho, filho do Brasil como eu, mas filho de tantas outras épocas que não conseguiria sequer contar se o desejasse ali estava, à minha frente. Ergui meu copo oferecendo a Homero um brinde. Ele retribuiu fazendo o mesmo. Novamente, tive a sensação de estar em frente a uma máquina, tão maquinais os seus gestos comigo.
Foi então que puseram uma música dos anos 90, com batida forte para dançar. A Rosa lançou-se bêbada em torno do pescoço de Homero e o puxou para a pista de dança. Ficava claro que, devido à maneira de sempre encantar a todos, indistintamente, Homero tornara-se o que chamo de terra de ninguém. Mas, meu Vasco da Gama.

Texto de Alexandre Ivanovski. 110x101
Visite minha página:
www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=64408 
16/02/18 18:34 - fchagass
COMO FICARIA (PELOS LADOS DE CÁ) MEA CULPA NA PRÁTICA COTIDIANA (?!) ...
 
Conforme está no wikipédia, mea culpa seria uma frase da língua latina que, traduzida para nossa língua, significa "minha culpa", ou "minha falha". enfatizando a mensagem, por "minha mais (grave) falha/culpa". Envolve um pedido de perdão (reconhecimento da própria culpa).
 
Em meu achômetro, considerando que não é costume pelos lados de cá, uma pessoa, reconhecer erros, considerando que é comum em nossa triste, pobre e podre sociedade, querermos ser o primeiro, o mais rápido, o mais forte, a pessoa quer mais é se dar bem, afinal tão logo termine um  carvaval se começa a sonhar com o próximo e, entre uma bagunça e outra, algum esperto teve a idéia de inventar o carnaval fora de época e, assim, em qualquer momento do ano haverá como quem não tenha dinheiro, transferir do pouco que tem pras bandas que são especialistas em poluição sonora e faturam alto as custas dos tolos que pelo menos gastarão um pouco com bebidas e (pessoas) serão estimuladas  balançarem o esqueleto (rebolando)...
 
Quando necessário cuidar de coisas que sejam essenciais, como um bom relacionamento humano, a gente dá um jeito – até parece coisa de final  de filme sobre as mil e umas noites, em que sempre que o filme termina, fica implícita a idéia: E FORAM FELIZES PARA SEMPRE...
 
Entendo que, em nossa época era a pessoa ser criada aprendendo a ser responsável, especialmente, acostumada a assumir MEA CULPA, sempre que seja conveniente, mas o comum é cada um tirar o corpo fora, esperando que as soluções aconteçam num passe de mágica, sem que se precise fazer nada pra reparar erros ou coisa semelhante e, quando não sair politicamente correto a pessa se vira dando seu jeitinho, afinal por aqui tudo termna em pizzas mesmo...
 
Faz algum tempo que pessoas achavam que a solução seria volta dos militares, como se isso automaticamente colocasse o país nos trilhos sem necessidade de ninguém assumir MEA CULPA!!!
 
CONTINUA...
16/02/18 18:29 - Silvino Potêncio


De: Silvino Potêncio > “Nóis fumo ó mercado da Rócas ...”  
Nóis fumo ó mercado da Rócas,
 P'ra fazê um troca-troca, da nossa literatura...
  Ali xiguêmo, à pois intão!?...
   E foi com muita emoção, que fizêmo a transação!
     “Purquê” nóis tem lá muita cultura... 
- Pendurada no cordel, tinha versos em papel...
     P'ra fazê um troca-troca, da nossa literatura.
Tinha poema rimado, tinha livro já usado,
Até tinha disco de pedra e vinil.
 Tinha muita poesia, de gente que nós nem sabia
  Que um dia lá existia!... 
   Era um “tár de Luis d’ Camões”,
E outro de Luis Carlos Guimarães...
E outro Da Cunha Lima, que das leis ele tá por cima!...
Até do Camara Cascudo, lá tinha de um todo, um tudo!
Foi uma beleza pura!...
- fazêmo lá um troca-troca, da nossa literatura...
 
- Nóis fumo ó Mercado da Rócas,
   Et fizêmo lá um troca-troca, da nossa literatura...
    De repente, por entre a gente...
Do mercado da Ribeira, xigou uma turma inteira,
  Com mãos e braços repletos, de panfletos com sonetos.
 
  Do “tár Machado de Assis”,... que escreveu pelos Brasis,
    E até lá du Santos Reis, também vimo aparecê...
     Um porreta estrangeiro, que, por ser um português, Ali virou nosso freguês! 
À  pois... intão?...
Nóis fumo ó mercado da Rócas,
P'ra fazê um troca-troca, sem gastá nem um tostão...
Purquê isso nóis não tinha não,
- só um trocado na mão!...
Da venda do outro dia, quando fumo em romaria...
Ao bairro da Cidad'Alta, onde Sebo lá não falta,
P'ra fazê a transação. 
- Intremo na Conceição, ali por trás da Igreja.
   Assim nóis lá discubrimo, que  tem livro que é um mimo...
    Tem até lá obra primo, do prémio da literatura...
     Fiquemo até cum inveja!
     De tanta literatura, de cordel e do pincel,
Pois lá tem também pintura...
P'ra fazê um troca-troca, c’ua nossa literatura.
Muita coisa nóis ali vimo, 
E é bestial, é massa!... é sensacional,
Poder viver em Natal...
-  à despois que nóis viêmo de Portugal...
Autor: Silvino Potêncio – NATAL – 1999/2000  
(Emigrante Transmontano em Natal/Brasil)  
16/02/18 17:46 - Mille Tavares El Dorado
Qando decidi aparecer para o mundo não tinha noção de que a minha régua literária ficaria marcada nas pedras. Nem sempre tenho noção do impacto de um conto,poema, frase ou verso, mas de uma coisa sempre tive certeza: escrever para o público leitor.
16/02/18 15:58 - Daniela Farias de Souza
Boa tarde caros colegas escritores!
Segue link do meu novo conto, espero que gostem!
"Tamanha dor da decepção". Disponível em:
https://www.recantodasletras.com.br/contos-de-amor/6255704
16/02/18 15:03 - LCoelho
Boa tarde!
Amigos(as) do recanto.
Visitem a página 
http://www.magiadanatureza.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6171662
E vejam a nova Poesia 
"Menina Dos Olhos Azuis."
E as 1284 fotos feitas por LCoelho
" Magia da Natureza 
16/02/18 14:37 - ROBERTO BARROS XXI
ROBERTO BARROS XXI
Biografias09/02/18
 
ROBERTO BARROS XXI
E-livros09/02/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano03/02/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos28/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
E-livros28/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas27/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Biografias27/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas25/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas21/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Cartas14/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Cartas14/01/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas23/12/17
 
ROBERTO BARROS XXI
E-livros11/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Frases11/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Artigos > Literatura10/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano10/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas06/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas06/11/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Cartas20/10/17
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano13/10/17
16/02/18 14:24 - Leonardo Ulhoa
16/02/18 14:03 - Vitor Pereira Jr
Olá, pessoal!
Chegamos ao nosso último post sobre pequenas Dicas de Escrita!
DICAS DE ESCRITA - Parte 5 – UM CORPO PARA SUAS ESTÓRIAS
Toda narrativa tem uma alma e um corpo. Nesta postagem, falaremos do corpo das narrativas. O corpo da narrativa é o que dará forma à alma, é como a estória se apresenta ao leitor, é como a narrativa irá andar e chegar aonde ela deve chegar.
http://www.vitorpereirajr.prosaeverso.net/blog.php?idb=52750
Espero vocês lá! Até a próxima!

Vitor Pereira Jr.
16/02/18 13:07 - Jessi Fernandes
...ESSE VAZIO AI
TEM NOME
FOME...
 
Por: Jessi Fernandes

jessifernandespordentro

 


Esta página é atualizada a cada 5 minutos
Última atualização em 18/02/18 19:08