Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que tal conhecermos Érico Veríssimo???



Professora Cláudia Silveira analisa "Clarissa", de Érico Veríssimo
 
 
Caro vestibulando! Hoje vamos falar um pouquinho sobre um dos romances do escritor gaúcho Érico Veríssimo: Clarissa. A obra é de fácil leitura e considerada "adocicada" pela crítica, ou seja, aquela que segue na linha dos romances românticos, como A moreninha, Inocência e outras do gênero.

Escrita em 1932, podemos dizer que trata de uma história suave, de uma adolescente sonhadora. No entanto, a sociedade descrita pelo autor, representando o Brasil dos anos 1930, indica que hoje ainda há muita coisa parecida com a época em que se passa a história: os jovens do interior ainda precisam se deslocar para a cidade grande, em busca de estudo e qualificação profissional; a luta por emprego é grande, e a situação econômica do país, difícil; existe a persistência da crise; a sociedade apresenta-se como cada vez mais diversificada, e os conflitos modificam-se, aumentando ou diminuindo, de acordo com o meio social; a desigualdade financeira é alarmante e visível, enfim, o romance traz uma série de acontecimentos que se assemelham muito aos problemas de nossa atualidade. Vale muito a pena conferir!

CLARISSA

Autor: Érico Veríssimo
Escola literária: Modernismo, 2ª Geração
Ano de publicação: 1933
Gênero: Romance
Temática central: sonhos e desilusões de uma adolescente
Divisão da obra: 31 capítulos
Local: Porto Alegre
Narração: 3ª pessoa

O enredo
Em Clarissa, Érico Veríssimo apresenta o retrato da vida cotidiana urbana do Rio Grande do Sul na década de 1930. Nesse contexto, o autor possui como foco a classe média com seus anseios, vitórias e fracassos. A história é centralizada em uma menina, Clarissa, que vem de Jacarecanga (cidade imaginária) para Porto Alegre morar com a tia Eufrasina, a fim de estudar e formar-se professora para depois voltar à terra natal. Assim, o mundo é revelado pela perspectiva da protagonista que, com uma concepção de mundo adolescente, vai descobrindo as coisas e as pessoas a seu redor.

As personagens
Dentro do ambiente da pensão, são revelados tipos humanos, como:

Levinsky:  judeu estudioso e defensor de suas origens;
Gamaliel: prático de farmácia, evangélico com fortes convicções religiosas;
Major Pombo: militar aposentado e solitário;
Nestor: jovem alegre e conquistador;
Barata: comerciante casado e trabalhador;
Ondina: esposa infiel;
Zezé : estudante de medicina sem vocação para o ofício;
Belmira: mulata debochada que trabalha na pensão;
Belinha: jovem (mais madura) que deseja casar-se;
D. Eufrasina: dona da pensão, mulher trabalhadora e solidária;
Couto: desempregado acomodado;
Amaro: músico sem sucesso, calado, solitário, introspectivo;
Clarissa: adolescente florescendo para a vida em meio a muitas descobertas.

A narração
O livro é narrado em terceira pessoa, por um narrador onisciente.

Linguagem
A linguagem apresenta-se de forma simples e direta. O texto é de fácil compreensão, mas nem por isso pobre.

Questões sociais
Em Clarissa, percebemos algumas questões sociais trabalhadas por Érico Veríssimo:

a) Preconceito racial
b) cotidiano da cidade grande

A escola literária
Modernista de segunda fase, o autor é considerado pela critica como pertencente à temática urbana. A obra fala da vida moderna, dos conflitos existentes nessa fase.




Ivan o terrivel e Claudia Silveira e sua análise...
Enviado por Ivan o terrivel em 18/01/2018
Código do texto: T6229544
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Ivan o terrivel
São Paulo - São Paulo - Brasil, 75 anos
4559 textos (66424 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/20 15:07)
Ivan o terrivel