Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Alegoria e a Sombra

A hora  de meditar sobre os judeus como vilões de si mesmos acabou, agora dando sequência na série "Vilões da Bíblia" e na subcategoria  " estrangeiros rebeldes"  e na vigésima  coluna sobre Balaão em " a alegoria  e a sombra"

As verdades que o adivinho encontra tem belos fundamentos em seus muitos textos e escritos bem a comunidade de Laodiceia tem algo a oferecer como relevante.

Legalmente o último sentido tem um significado bem glacial o estrangeiro, Balaão saí de sua casa em busca de um conjunto de acertos e não fracassos, isso a narrativa inicial esclarece bem.

E lidar com as demandas da vida de um morto , nesse caso um morto bem famoso, fama e passado dinamizam uma linha de interpretação sofisticada ou uma leitura narrativa de fatos bem lacunar.

Garantir um fato ou detalhe  acerca do nome em questão , é um rico pensamento ou linha de pensamento a respeito da  pobreza existencial de Balaão.

Os episódios de uma existência tão polifônica permite na interpretação realinhar  o conjunto textual de informações necessárias  e reescrever a existência  de outra perspectiva.

Realmente, Balaão não fazia devocionais em sua cultura, somente fazia encantamentos e sofisticadas fórmulas muito dominante no cenário  surge as dúvidas.

Ironicamente já a autenticidade pressupõe que ser verdadeiro consigo mesmo prescinde do outro, que serve como plateia de um espetáculo particular.

Assim Balaão lida diretamente as dúvidas existentes e confirma as formas  e sinais simbólicos da certezas e incertezas naquela sua polifonia da vida.

E os monarcas da região sabiam desse detalhe , esse dado de sucesso e naquele momento desafiam as realidades estilhaçadas por alguém em um certo nascimento.

As verdades que o adivinho encontra tem belos fundamentos em seus muitos textos e escritos bem a comunidade de Laodiceia tem algo a oferecer como relevante.

Simbolicamente Balaão representa uma cultura passada e morta em nosso tempo, em determinado tempo, naturalmente nunca a forma de sabedoria lunar.

O produtor de cultura ou o fazedor de cultura segundo o filósofo Aristóteles na Poética revela que o poeta traduz a mensagem enciclopédica em relação a população.

Mas em nosso caso o nome Balaão tem uma longa centelha de significados em original hebraico o primeiro " sem um povo", o segundo "senhor do povo", terceiro "devorador", e por fim " estrangeiro".

Bem, o adivinho Balaão sabia a senha adequada para exercer duas palavras chaves para alcançar o que queria num abre- te sésamo bem anormal.

Realmente, Balaão não fazia devocionais em sua cultura, somente fazia encantamentos e sofisticadas fórmulas muito dominante no cenário  surge as dúvidas.

Acalentando a mentalidade mercantilista de Balaão traduzia uma severa de melhorar a gestão , e mais um construto edificante solidamente e que  nasce um válido conjunto de dúvida.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 14/02/2020
Reeditado em 14/02/2020
Código do texto: T6866378
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 35 anos
1062 textos (10230 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/20 04:24)