Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR

Todo brasileiro conhece e sente na pele as repercussões  sobre iniciativas dos governos nos últimos trinta anos.
Tudo o que assistimos através dos meios de comunicação, precisamente na televisão, são favoráveis ao povo brasileiro, principalmente em épocas de eleições; presidencial e municipal.

Não sabemos mais a quem apoiar para governar um país a beira do abismo, que vive numa decadência assustadora, não divulgada.
Fala-se em cesta básica, bolsa família, redução de impostos, mais moradias, investimento em saúde e educação, e além, Copa do Mundo, o assunto do momento que não quer se calar; seja para os beneficiados, ou pela maioria que são os trabalhadores pagadores de todas as iniciativas de governos.
Não  somos governados no sistema democrático, embora seja o nosso regime atual.
O Palácio é ocupado para discussões entre si; onde só vemos problemas individuais dos parlamentares corruptos. São brigas e mais brigas. Processos e mais processos.
Enquanto isso, os projetos que beneficiam os trabalhadores estão parados.

Saiba cada brasileiro: os salários altíssimos dos parlamentares estão sendo pagos com o nosso dinheiro, cujos deveres não estão sendo cumpridos a favor do povo brasileiro.
Os cofres públicos estão  se esvaziando e o dinheiro não direcionado a favor do povo. A dívida externa chega a quase quatro trilhões; a casa está caindo e ninguém faz nada na tentativa de escorar.
Quem irá pagar a dívida externa? Nós. Os brasileiros. Nós que não podemos nem assistir uma partida de futebol durante a copa, por que nossos bolsos estão vazios.
Enquanto isso, o luxo nos estádios está às vistas do capitalismo, para o conforto de uma minoria privilegiada.
Nossas crianças estão crescendo sem base de educação. A maioria delas carentes de quase tudo; vítimas dos governantes corruptos.
Os governantes estão  afincando a espada no povo brasileiro através de falsas palavras e sorrisos descabidos, sarcásticos. Estão enterrando nossa paciência e tolerância através de gestos incabíveis numa democracia; ignorando, também a LEI DOS DIREITOS HUMANOS UNIVERSAL.
Ao contrário do que dizem os governos, os brasileiros estão vivendo no fogo do inferno, sem  uma posição do que ainda está por vir.
As drogas invadiram as ruas; não existe segurança para nossas crianças e nossos jovens. O sistema criado para combater as drogas não funciona. Não existe controle na saúde pública e nem para quem ainda pode pagar por um tratamento.

Já não reconhecemos mais o que é vandalismo, e o que é uma luta por justa causa; e essa insegurança sobre o que é certo ou errado está levando o cidadão à loucura.

O que virá depois da copa? O que está por vir durante a copa? Como será conduzido o país após as eleições sobre os problemas cruciais que enfrenta o povo brasileiro?
Será que um salário mínimo ainda sustentará uma cabeça sequer? Digo cabeça sim. O povo brasileiro está sendo tratado como bicho pelos seus governantes.
O que os governos ainda não tomaram conta é que “cabeça” pode também significar pensamento, e este o governo não conseguirá controlar, jamais. Um bicho não pensa, mas o homem tem se assegurado, no seu único bem concreto. Quero acreditar que sim.
Deixo perguntas para quem pode e quer responde-las:

Senhores governantes,
-  O que faria os senhores com míseros sete reais? Ainda na mesma proposta, setenta e sete reais custearia o café posto a mesa pela manhã de um único dia?
-  Uma cesta básica seria de bom grado para sua família sobreviver durante trinta dias?
-  Os únicos remédios fornecidos pelo SUS seriam suficientes para curar seus possíveis enfermos?
-  Seus filhos, se sujeitariam estudar numa escola pública e ainda caminhar ou tomar um ônibus urbano para chegar até a escola?
-  Seus filhos seriam felizes comprando apenas um par de sapatos por ano?
-  E a bolsa escolar. Será que seus filhos, um dia fizeram uso dela?
-  O lazer de seus filhos. Como é? Será que igual ao lazer proposto aos filhos da maioria dos trabalhadores? Estão seguros, os filhos dos trabalhadores,  com a mesma segurança que protege os filhos dos governantes?
-  Enfim. O que fariam vocês, senhores governantes, com apenas um salário mínimo? Será que pagaria apenas um, dos bons vinhos que vocês brindam descaradamente durante suas vitoriosas ações corruptas?
-  O que farão os senhores para consertar seus erros? Ou ainda não entenderam que estão errados?

Ainda perguntando:
Como irá governar o próximo governante após as eleições? De que maneira irá sobreviver no governo mediante a um país em decadência?
É mais que tardia uma atitude revolucionária, por onde não se gaste tempo no Palácio  com discussões banais e corruptas. Não pagamos parlamentares para discutir sobre Copa do Mundo, nem tão pouco sobre opções sexuais. Sem contar com as discussões entre si vistas há tempo num local de trabalho. Não queremos nosso dinheiro sendo gastos com mordomias dos parlamentares enquanto se gasta tempo discutindo sobre quantas vagas serão liberadas para deficientes ou negros; numa faculdade ou numa empresa governamental. Não aceitamos que discutam no Palácio sobre como devemos educar nossos filhos, por que não há exemplos neste local.
Queremos igualdade para todos, justiça social a todos os brasileiros. Esta mistura de raça, cor, escolha sexual, e outras mais só tem um nome: escravos remunerados. É isto que somos. Somos todos escravos de um governo que fere a Legislação Brasileira em todos os sentidos da palavra. Uma vergonha nacional irreparável.

Não somos bichos, que sem pensamentos se matam, cada um para o sustento próprio. Somos Gente cobrando os nossos quinhões. Nascemos iguais e com igualdade devemos ser tratados, seja o cidadão negro, branco, amarelo, brasileiro ou estrangeiro.  Pobre ou rico. Não estamos preocupados com a sexualidade de cada um, e sim, com o devido respeito que cada um deve ser tratado.
Estamos preocupados com nossas necessidades diárias e não com a exterioridade apresentada pelos governantes, o que não passa de inverdades.
Queremos segurança, educação, saúde, moradia, alimentos. Queremos paz. Queremos justiça.

Queremos espaços para atuar no mercado de trabalho, seja empregado ou autônomo.
Queremos abraçar a todos, sem preconceitos e sem repúdio. Mas queremos abraçar sem miséria, sem fome, sem desilusão, por que a paz só se consegue quando da consciência aplaudida por nós mesmos.
Diferente desta inconsciência que manipula, diz inverdades e toma iniciativas destruidoras de vidas inocentes; formadas por serpentes venenosas.
Saibam os governantes que um cidadão não consegue sobreviver com apenas setecentos reais por mês, onde o aluguel de uma simples casa em vila custa exatamente setecentos reais.
Um cidadão não pode pagar um dentista recebendo apenas setecentos reais por mês, onde um tratamento do canal de um único dente custa quatrocentos reais.
Não se paga com setecentos reais, as compras de alimentos consumidos por uma família com três membros.
Jamais entrará para a  faculdade, o filho de um assalariado. Não se precisar trabalhar para ajudar a família.

Queremos andar pelas ruas sem temer a polícia, pois já não temos mais discernimento de quem possa ser o bandido.
Queremos  de volta nossa tranquilidade, e nossa dignidade. Não existirá bolsa família que nos pague, nem voto que nos devolva a esperança, mas poderá existir uma guerra com certeza, e esta irá derrubar os ditadores que tomaram conta do Brasil. Só assim teremos a nossa dignidade de volta.

Pode alguém ignorar o assunto. Vale a pena lembrar que a corrupção desperta furacões catastróficos, responsáveis pela iminência da destruição.

Aplaudindo e complementando o comentário que fez o meu amigo Donato Ramos, escritor e jornalista:
- Ainda prefiro acreditar e plantar boas sementes para que nossos filhos e netos não sejam vítimas desta catástrofe que nós mesmos deixamos acontecer.

Povo brasileiro. Reaja! Diga não  a corrupção.

http://www.recantodasletras.com.br/audios/cancoes/54637
limaodoce
Enviado por limaodoce em 18/05/2014
Reeditado em 18/05/2014
Código do texto: T4811048
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
limaodoce
São Paulo - São Paulo - Brasil, 64 anos
150 textos (11127 leituras)
6 áudios (274 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/06/19 03:00)
limaodoce