Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A fronteira noroeste entre o Marrocos e Argélia

Os agricultores argelinos irritados pelo fluxo de barragens na região fronteiriça, acusando as fábricas de Oujda de contaminar os vales dos rios que fluem até a região de Tlemcen.

O surgimento do conflito político argelino-marroquino, desta vez, parece ser o reflexo  do campo da batalha diplomática, influindo as mídias sociais, a exemplo das águas da barragem argelina "Tizi", ao  território marroquino.

Tal situação levou a uma hipotética crise diplomática entre os ativistas de redes sociais entre os dois países, após a divulgação de vídeos dos agricultores argelinos, acusando o Marrocos de roubar a água de suas represas.

Esses vídeos, decorentes de reportagens do canal argelino An-Nahar, espalhando nos últimos dias em larga escala, uns certos camponeses furiosos pelo fluxo da água da barragem "Tizi", para a região fronteiriça de Beni Said, do distrito da Tlemcen, através o vale, ao território marroquino, intervindo para bloquear esses fluxo, como um deles disse: "Construímos esta barragem e eles aproveitam dela".

Os agricultores reclamam, dizendo não é possível perder toda essa água e "exigimos a expansão da barragem para evitar o fluxo, porque no verão a barragem seca",

Alguns grupos pioneiros nas redes sociais marroquinas encontram nessas declarações ridículas, uma matéria prima para alamar o diferendo entre os dois paises. Acusando os declarantes  destas videos de ilusão, Interrogando sobre a culpa de Marrocos do fluxo da água da barragem, se os marroquinos não construíram uma barragem como a Argélia, ou buscar umas técnicas para roubar a água do vizinho oriental. Uma vez a água descorre para o vale sem nenhuma intervenção humana.

A ironia tomou novas proporções, depois que alguns engenheiros e responsáveis  acusam o Marrocos de contaminar os vales da Argélia na região fronteiriça, conforme relatos do jornal Al Jamhuria, e o Canal Al-Nahar, relatando que 200 unidades industriais em Oujda levam seus resíduos tóxicos, através da fronteira, causando doenças graves aos argelinos.

O nível de cinismo provoca em alguns meios de comunicação argelinos uma certa hotilidade contro Marrocos, sobretudo quando um relatório do próprio canal da Argélia tem dito apresentar um protesto formal a Rabat, e as Nações Unidas, por causa dos perigos e danos dos resíduos tóxicos, no sentido das barragens da província de Tlemcen. Objeto de duzentas fábricas, curtimento de água oxidada para as baterias, desembocando no vale, escoando até o final da represa de Boughara em Maghnia, onde os moradores buscam água potável.

Tais artigos denunciam, que aproximadamente 5 mil casos de câncer no município de Tlemcen são atribuídos aos resíduos marroquinos, uma engenheira antou "a água que chega de Oujda é envenenado e os especialistas argelinos foram até lá e monitoraram que essa água contém substâncias tóxicas", tais comentários de ativistas dos sites de comunicação, entre outros carregam um certa hostilidade gratuita contro Marrocos, justificativa água que atravessa o Marrocos envenenado, e que vem da Argélia roubado.

Lahcen EL MOUTAQI
Professor universitário- Rabat- Marrocos
ELMOUTAQI
Enviado por ELMOUTAQI em 29/06/2020
Código do texto: T6991148
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
ELMOUTAQI
Rabat - Rabat-Salé-Zemmour-Zaër - Marrocos, 53 anos
14 textos (65 leituras)
1 e-livros (10 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/08/20 08:42)
ELMOUTAQI