Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(Foto do meu arquivo pessoal)

*** Poetizando a Notícia. (Soneto Inglês) ***
 
 
Anos há fios as nossas tarifas não tiveram os reajustes.
Na Câmara 18 dos 24 demagogos jogaram pra torcida.
No tapetão os desembargadores fizeram os seus ajustes.
Nessas idas e vindas novas avaliações terão sobrevida.
 
O governo se deu bem por hora, nessa queda de braço.
O ato dos Dep. Distritais foi considerado inconstitucional.
Nossos Nobres Senhores não pagam lhufas desse tarifaço.
Se pagasse o fim seria outro, não acataria esse adicional.
 
O governo tem autonomia para tal, agora não é salutar.
Ninguém teve correções de 25%, porque nas passagens?
Agora resta ao povão ir pra rua lutar, protestar e relutar.
Tarifa técnica aqui tem, para cobrir essas tais defasagens.
 
Governador, olhe para o povo, cadê o choque de gestão?
Governador, respeite o seu povo, adote a nossa sugestão.
 
 
José Aprígio da Silva.
“Lorde dos Acrósticos”
Stenius Porto.
Brasília/DF.
Quarta-feira, 26 de janeiro de 2017 – 17:50hs.
 
 
******************************
 
 
TJ DECIDE PELO AUMENTO DAS PASSAGENS DE ÔNIBUS
 
Por 15 votos a 6, Conselho Especial do TJDFT, decidiu a favor do aumento das passagens de ônibus e metrô. A liminar concedida ao GDF anula o decreto aprovado pela Câmara Legislativa, que havia restaurado os preços nas catracas. A previsão é que o valor volte a subir até a próxima segunda-feira, 30/01/2017.
Com a decisão, as passagens de R$ 2,25 voltam a custar R$ 2,50; as de R$ 3,00 passam para R$ 3,50; e as de R$ 4,00 (Longa distância e metrô) vão R$ 5,00. Os magistrados do Conselho Especial entenderam que o decreto legislativo foi inconstitucional porque extrapolou a competência da Casa de deliberar sobre a questão. Os desembargadores questionaram o método, que não seria, na visão deles, ideal para derrubar a decisão de um governador considerada legal.
O propósito foi salutar, mas, o meio encontrado sacrificaria vários dispositivos constitucionais”, afirmou o relator da matéria, desembargador Getúlio de Oliveira, em seu voto.
Como a decisão foi em caráter liminar, no entanto, ainda haverá o julgamento definitivo, ainda sem data definida, que analisará o mérito da questão.
 
Repercussão
 
Presente no julgamento o Deputado distrital Wasny de Roure (PT) afirmou que a Câmara recorrerá da questão. “O julgamento demonstrou que não é uma matéria unânime. Os desembargadores não adentraram na profundidade técnica do assunto, há uma série de informações que não foram provisionadas. Essa luta está só começando, ninguém vai desistir dela”, prometeu.
O governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), afirmou que recebeu a notícia com “serenidade e sem surpresa” e disse “estar aberto ao diálogo”. “A todo momento tínhamos consciência da legalidade do decreto do governo de Brasília. Se a Câmara Legislativa apontar fontes de receita concretas e palpáveis que permitam a redução nas tarifas, nós o faremos”.
Para fazer a mudança no sistema aguardará a comunicação formal da justiça. A ideia, contudo, é ajustar as catracas durante o fim de semana.
 
 
Protestos
 
Presente no julgamento o Movimento Passe Livre prometeu novos protestos. “Rollemberg não está preocupado com o trabalhador. Nós vamos para a rua derrubar esse aumento, que é violento, ilegal e não vai se sustentar”, declarou um dos integrantes do movimento, Paíque Santarém.
 
Fabiane Guimarães (Metro Brasília)
 
Fontes: Jornal Metro – 25/01/2017 – Edição nº 1.171 – Ano 5.  Página – 06.

 
www.metrojornal.com.br

 
*******************************************
 
 
GDF antecipa aumento de tarifa.
 
Govenador havia dito que valores novos seriam só na próxima semana, 30/01/2017, mas, recuou. Reajuste vale passou a valer neste sábado, 28/01/2017.
 
A partir de amanhã, o transporte público do Distrito Federal passa a ter tarifas mais caras. O reajuste ocorre após o Tribunal de Justiça do DF, na última terça-feira, derrubar um decreto da Câmara Legislativa que determinava o fim do aumento de passagens de ônibus e metrô.
Quando a determinação da Câmara foi derrubada, o GDF declarou que a mudança só começaria a valer a partir da próxima semana, mas não havia dado uma data.
Com a decisão, as tarifas na Capital Federal sobem de R$ 2,25 para R$ 2,50 nas linhas circulares internas; de R$ 3 para R$ 3,50 para os trajetos de ligação curta; e de R$ 4 para R$ 5 para as viagens de longa distância e integração (esse mesmo valor será aplicado para o metrô). Nesta semana, deputados da Câmara Legislativa do DF criaram um grupo de trabalho para debater sobre o transporte público na cidade.
O coordenador do grupo, deputado Wasny de Roure (PT) se diz "bastante decepcionado" com a decisão do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) em voltar a aumentar as tarifas do transporte público. "Não há diálogo. Ele [governador] não tem interesse em ver uma alternativa para o aumento das passagens", afirmou o petista ao Destak. Procurado, o Palácio do Buriti não explicou por qual motivo decidiu antecipar o aumento das tarifas do transporte público no DF da próxima semana para amanhã.

Decisão

No último dia 30 de dezembro, o governador anunciou o reajuste para suprir o déficit do pagamento mensal que precisa ser feito pelo governo às empresas de transporte. O novo valor passou a valer no dia 2/1.
Insatisfeitos, 18 dos 24 deputados derrubaram a medida por meio de decreto. A Justiça, contudo, manteve o reajuste.


Fonte: Jornal Destak/Brasília – Sexta-feira, 27/01/2017. Edição nº 1619 – Ano 8. Página 10.

 

 
 
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Enviado por JOSÉ APRÍGIO DA SILVA em 26/01/2017
Reeditado em 29/01/2017
Código do texto: T5894089
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 61 anos
1921 textos (183111 leituras)
1 áudios (52 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/04/21 13:40)
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA