ūüēä Reflex√Ķes de quarta sobre guerra e paz ūüēä

 

Depois de mais de um mês vendo um holocausto sangrento vitimando duas nacionalidades com um índice de brutalidade inédito na época moderna (sim, DUAS... data vênia quem pensa diferente), ideias inevitavelmente me ocorrem - e data vênia outra vez, de teor possivelmente visionário, da perspectiva de alguns.

 

Mas, amigos, √© porque, como brasileira, sei bem, como todos os que nascem neste pa√≠s continental e, talvez, mais ainda em algumas regi√Ķes do que em outras:

 

Brasil √© acolhedor. Brasil √© hospitaleiro, povo receptivo e boa pra√ßa... a um ponto, e em situa√ß√Ķes nas quais nem deveria ser!

 

Um país continental!

 

E, permitam uma digress√£o... quando vejo a confus√£o pol√≠tica e econ√īmica reinante neste pa√≠s, com frequ√™ncia questiono qual seria a raz√£o √ļtil de se colonizar um monumento territorial deste porte - se era para, com o passar dos s√©culos, se converter na imensa encrenca que, d√©cada ap√≥s d√©cada, aflige nossos nacionais!

 

Ah, sim! Cheio de riquezas e recursos naturais... até hoje!

 

Isso explica tudo, ou quase tudo...

 

Todavia, este contexto também inspira o meu pensamento, no tema em pauta... porque ainda agora, visionária inveterada e sem me culpar por isso... E, irreversivelmente, sufi (ah, sim, ser sufi sunita não é modinha, é inerente à própria essência de ser... então estou também confortável nisso, e nem me culpo, e nem deveria me culpar)... Afinal, durante um diálogo de fundo espiritual outro dia Sheikh Abdul me dizia que já nasci muçulmana...

 

Ainda agora, prossigo, comentei em casa, n√£o suportando mais o espet√°culo de horrores nos notici√°rios sobre Gaza e Israel:

 

- Fosse eu autoridade de estado neste pa√≠s, entraria com a proposta do Estado Palestino ser aqui! Neste imenso pa√≠s continental de √°rea territorial imensa, generosa... e por isso mesmo, dada com frequ√™ncia, desde o come√ßo da sua hist√≥ria, a explora√ß√£o estrangeira, a rapinagem, e mesmo a improdutividade, por m√° gest√£o das autoridades p√ļblicas!...

 

Sem conex√Ķes terroristas - frise-se! - √© necess√°rio destacar este √≥bvio porque algumas mentalidades equivocadas insistem em associar os povos palestinos e mu√ßulmanos como tais, sem nenhuma culpa ou envolvimento com o terror, com grupos terroristas!

 

Ofereceria sim!

 

Afinal, se lhes agradasse, em primeiro lugar, o sacrificial despojamento de habita√ß√£o nas terras de suas origens milenares nesta solu√ß√£o extempor√Ęnea, estariam, √© verdade, distanciados do seu ninho no Oriente M√©dio, do chamado 'mundo √°rabe'...

 

Seu estado, seu país, passaria a estar assentado em outros climas e temperamentos mundiais, no entanto, realço: ficariam livres da escatológica encrenca com Israel. Que eles arrasem o resto dos escombros de Gaza em busca de terroristas!

 

Mas os palestinos contariam com a tão propalada 'hospitalidade' latina ao seu redor. No território do Brasil, e em dependendo da região, contariam com pujante meio ambiente natural, pródigo! Em cenários com recursos exuberantes! E com a empatia e temperamento inclusivo inerentes à essência da alma - arrisco - da maioria dos povos deste país, para estender-lhes as mãos aos espíritos destroçados num conflito hediondo! Para introduzi-los e auxilia-los num recomeço razoavelmente estável e pacífico, embora em outra localização planetária!

 

De resto, certamente contando com a convergência da maior parte, senão de toda, a comunidade muçulmana do país!

 

√Ä medida que escrevo, vou imaginando as poss√≠veis rea√ß√Ķes de quem me l√™... Os pensamentos, pr√≥ ou contra... As fisionomias, e mesmo as bocas torcidas, de enfado, t√©dio ou impaci√™ncia!

 

'Mas que criatura politicamente simplória'... - posso ouvir os prováveis pensamentos de alguns!

 

Pouco me importa! Felizmente ainda n√£o existe lei contra os sonhos sobre fraternidade mundial aplicada - mesmo que nunca passem de sonhos!

 

"Os sonhadores nos cansam" - Dizia um personagem no final do filme 'Alexandre', esses dias - "De algum modo temos que mat√°-los, ou acabam por nos matar com seus sonhos!"...

 

Deve ser verdade!...

 

Sonhos, ainda que bons; ainda que os melhores poss√≠veis em inten√ß√Ķes ou efic√°cia, n√£o s√£o.... n√£o parecem ser para este mundo!

 

E sempre me esqueço da maldita 'geopolítica', o termo da moda...

 

Shalom!

Assalam walaykum!

 

‚úĚÔłŹūüíú‚ė™ÔłŹūüíú‚ú°ÔłŹ

Christina Nunes
Enviado por Christina Nunes em 08/11/2023
Reeditado em 08/11/2023
Código do texto: T7927393
Classifica√ß√£o de conte√ļdo: seguro
Copyright © 2023. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.