Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Arte de Amar de Erich Fromm

The Art of Loving, o título original americano. No Brasil, publicado em 1960, fez grande sucesso entre jovens leitores, e Erich Fromm tornou-se autor consagrado. Quem não leu, ouviu falar. Os jovens se revoltaram contra o autoritarismo, as superstições e as guerras. Certas leituras eram obrigatórias: Simone, Hesse, Amado, Bertrand Russel. Os pais autoritários e o governo militar eram os alvos preferidos daquela rebeldia. O “Por que não sou Cristão” de Russel andava de mãos em mãos.

A ordem era ampliar a área da consciência, diziam os intelectuais de plantão, sem que tivessem uma idéia clara do que fosse a consciência. Soava bem. Da mesma forma que a inadmissibilidade do amor sem conhecimento.

Sendo o amor uma arte, exigiria esforço e conhecimento. E o domínio dela nada teria a ver com sucesso, poder, dinheiro. Sem ele, a humanidade não existiria. Implicaria cuidado, responsabilidade, trabalho, respeito, dedicação e liberdade.

O egoísta, por outro lado, veria apenas a si, endurecendo o coração. O amor-próprio e o egoísmo levariam à solidão. Ao ajudar o outro, deixaria de estar só; e teria muito a ver com o amor a Deus despertado pelo amor ao homem, à humanidade.

Sem amor, a humanidade não existiria. Nele ocorre o paradoxo de que duas pessoas sejam uma, embora permanecendo duas.

O homem moderno se tem distanciado dele por só pensar em produzir e consumir. A eficiência da economia é medida por estes parâmetros. E desta forma, afastando-se do amor, ele passa a ser parte de um grande rebanho sem individualidade; obedece, trabalha ,consome numa vida rotineira e mecanizada. Não muda, não se supera, tudo é trabalho, consumo e diversão.

A cultura contemporânea afastou o homem do amor por estar baseada numa falsa liberdade política e na equivocada idéia de que o mercado tudo regula.

Dirigentes são impostos por partidos, agrupamentos, associações e sindicatos que são dirigidos por pessoas que vêm o próprio interesse acima do comum. O mercado é regido por grandes empresas internacionais associadas a governos, impondo produtos, preços e padrão de consumo. A grande mídia nas mãos de grandes empresas autorizadas por governos que direcionam as pessoas para que consumam o que não necessitam.

Os homens querem consumir cada vez mais: coisas, informações inúteis, imagens de violência e desgraça; seres previsíveis e influenciáveis, distantes cada vez mais dos semelhantes e da Natureza.

Na Arte de Amar o autor afirma que Freud escreveu muita bobagem, como, por exemplo, que o amor é um fenômeno irracional; que enamorar-se seria tornar-se anormal, cegar-se.Mentes confusas como as de Freud e Marx apontando para uma felicidade utópica apoiada no sexo, riqueza, ceticismo e acaso.

O livro trata da teoria e prática do amor, e de tudo o que o exclui. Diz que a prática não pode ser ensinada, senão praticada, já que como gérmen ele existe no coração de todo o ser humano. Exige certa disciplina de vida, nada tendo a ver com a rotina diária de um trabalho aborrecido e repetitivo. E também concentração e paciência. Diz o autor que “o homem moderno pensa que perde alguma coisa – o tempo – quando não faz as coisas rapidamente; todavia, ele não sabe o que fazer com o tempo que ganha – a não ser matá-lo“. E que se deve ser “ativo em pensamento, sentimento, olhos e ouvidos, o dia inteiro“; concluindo que “o amor é a última e real necessidade do ser humano”.

Nagib Anderáos Neto
www.nagibanderaos.com.br

     

Nagib Anderáos Neto
Enviado por Nagib Anderáos Neto em 06/04/2010
Reeditado em 10/08/2010
Código do texto: T2181126

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Nagib Anderáos Neto www.nagibanderaos.com.br www.twitter.com/anderaosnagib). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nagib Anderáos Neto
São Paulo - São Paulo - Brasil
398 textos (96547 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 06:21)
Nagib Anderáos Neto