Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maquina do Tempo


                     Lendo um artigo num site que frequento e do qual retiro e posto em outros sites meus quando acho que vale a pena ser lido por todos, o titulo, Máquina do Tempo, chama-me atenção à exatamente 04hs e 34min é abordado neste tema a exatidão de fatos pelo qual seria impossível a viagem do ser humano no tempo, seja passado ou futuro, sitando até mesmo a teoria de Albert Einstein sobre a impossibilidade de uma massa densa se locomover na velocidade da luz a um espaço tempo, passando por um tunil mudando e traformando particulas dessa massa a pesos maiores, como própria Teoria da Relatividade, quando um corpo sofre mutação ele ganha massa densa e para que fosse possivel essa transmutação física, o que segundo ele seria impossível, e este indivíduo tornaria-se mais jovem podendo mudar e interferir na história sendo ele parte integrante da mesma e quando retornasse teria isso como sua própria.

              Bom, a essa hora da madrugada sem sono e com uma vontade enorme de escrever sobre assunto, fato que acontece comigo, quando acordo com essa vontade de escrever e retornando passado cientifico da nossa história, como este, Sigmund Freud tema também abordado por mim numa madrugadinha destas da minha vida.

           Pensando sobre assunto faço uma viagem ao meu passado/tempo relembrando de fatos da minha infância quando aos quatro anos de idade, morando com meus pais e avós na Colonia da Antiga Companhia Paulista recordo-me exatamente 31 de Março de 1964, Revolução de 1964, vejo meu âvô materno vindo com quepe de Maquinista na mão ao lado de outros amigos dizendo que estava tudo parado por conta disso não iria conduzir o trem até Capital São Paulo, imagem gravada na mente, minha viagem ao tempo. Passando pela minha infância quando na época de escola passava pela Farinheira da rua 6 e dono dela seu "'Ladeira'' permitia que entrassemos para pegar torrão de farinha, qua delicia! Esperavamos com ansiedade final da aula.

          Minha adolescência quando esperava pelo Baile do mes, o famoso Baile de Debutantes, encontro de amigas em traje de gala, longo social esperar pela valsa com pais, apresentando essa adolescente de 15 anos a sociedade Itirapinense, os namoros e flertes da época, jardins e parques, numa época onde eramos vigiados e tudo muito comedido, para que mocinha não ficasse mal falada na sociedade.

            Depois fato da vida pessoal passando pelo namoro, casamento, filhos netos e acontecimentos bons ou ruins até presente data.
Assim faço nessa madrugadinha viagem ao meu tempo/passado sem máquina, mas na memória de fatos ocorrido na minha vida, como acontece com todos nós nesse mundo, caminhamos pelos anos e contruímos uma trajetória num espaço de tempo entre a vida e quiças o nossa morte, onte o quando nunca sabemos, somente o momento em que ela bate a nossa porta, e diz sua passagem do tempo é agora!

           O nosso mundo caminha para futuro e o que antes e o agora é impossivel derrepente o novos cientistas da época contradizem Einstein e criem verdadeiramente uma Máquina do Tempo e Teoria da Relatividade, mude fluidificamente as particulas densa e a transmutação seja possível, Não é?



Cláudia Aparecida Franco de Oliveira
Itirapina, 18 de Maio de 2012
SP/05Hs e 23Min
lindamulher
Enviado por lindamulher em 18/05/2012
Reeditado em 25/02/2013
Código do texto: T3673931
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cláudia Aparecida Franco de Oliveira). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lindamulher
Itirapina - São Paulo - Brasil, 60 anos
1618 textos (136995 leituras)
3 áudios (353 audições)
4 e-livros (305 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/19 14:39)
lindamulher