Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DIÁLOGO DE UMA AVE COM UMA COBRA

DIÁLOGO DE UMA AVE COM UMA COBRA

A cobra está  debaixo de uma árvore e conversa com um pássaro muito bonito que pousa num galho. Vamos ouvir o diálogo deles! Escute:
P – Você não se cansa de rastejar não, minha amiga?
C – Ora essa! Qual é a sua, hein? Não vê que Deus me quis assim? Eu também poderia te perguntar: você não se cansa de voar?
P – Mas voar é bom. Você disse aí que Deus te quis assim. Quem fez a cobra foi o demônio e não Deus, foi o demônio que te quis assim.
C – “Seu” pássaro atrasado, desde quando existe demônio? Ele nunca existiu.
P – Então por que existe o bem e o mal? Na minha opinião, o bem é Deus, o mal é o demônio. Não concorda?
C – Não. Mas por que você diz que sou do demônio?
P – Que pergunta mais cretina. Você é má, é feia. Todos têm medo de você e de seus parentes. Vocês levam as pessoas e os outros animais à morte. Isto é justo?
C – Não, mas você está me ofendendo. Eu não tenho culpa do que faço, sou inocente. Não pico as pessoas por querer, é meu instinto. E  você que só tem beleza, não serve pra nada. Fica aí em cima pulando de galho em galho como um macaco. Depois voa, vai para longe se perde...
P – Nunca me perdi, viu? Sou bonito, isto é o que importa. Não faço mal a ninguém, pelo contrário, faço bem, alegro as pessoas com minha beleza. Você é o bicho mais feio que já vi. Compriiiiiiiiiida, fiiiiiiiina, maaaaagra. Desculpe-me mas tudo que eu disse é verdade.
C – Olha aqui, “seu” pássaro malcriado, se continuar me ofendendo, eu subo nesta árvore, te dou uma picada e você nunca mais abrirá os olhos, cairá no chão como uma bola.
P – Além de feia, comprida, fina e magra, você é “burra”. Não pensa que até você chegar aqui em cima eu já voei para o céu. E aí, como você vai fazer para me matar?
C – Eu não penso, sou um animal e os animais não raciocinam. Assim como você.
P – Estamos conversando há muito tempo e você ainda não respondeu a primeira pergunta que te fiz: você não se cansa de rastejar, não, minha amiga?
C – Não. E você, não se cansa de voar?
P – Não porque sou uma ave, ou seja, um belo pássaro.
C – Eu sou um réptil, ou seja, uma humilde cobra...

Kátia Susana Perujo.
Susy
Enviado por Susy em 10/03/2007
Código do texto: T408317

Comentários

Sobre a autora
Susy
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil
189 textos (11541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 12:28)
Susy