Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Razões dos machos.


  É comum ver nos trejeitos dos antigos pioneiros, principalmente os oriundos da área rural, seus atos e gestos peculiares. São, geralmente, tímidos e, quando provocados, de temperamentos inseguros e nervosos. Buscando inspiração nos hábitos dos animais, muitas das suas obras estão baseadas em tais experiências. Conviveram com a rudeza e a severidade do mundo natural que os cercavam. Habilidade, coragem e determinação vêm dos exemplos que a vida lhes proporcionava. O ânimo com que enfrentavam e enfrentam as dificuldades é oriundo dos exemplos adquiridos diariamente. As provações lhes foram impostas desde cedo. Ainda crianças, foram deixadas em contato com a terra, o que os obrigou a se adaptarem às variações climáticas e a produzirem autodefesa contra os microorganismos e a agressividade biológica do ambiente. Prematuramente já enfrentaram as duras provas. Começou ainda em casa. Os mais velhos partilhavam do sofrimento das mães durante o trabalho de parto; embora todos garantissem que a criança era um presente de Deus, eles viam as mulheres se “encorparem” como os animais e sofrerem antes do “presente” chegar. O mesmo ocorria com todos os mamíferos que os cercavam e partia daí a comparação. Isso mostrava que as inverdades seriam armas de luta amplamente difundida no decorrer da vida. Tanto com meninos ou meninas, o estímulo sexual vinha da mesma fonte. Os animais se relacionavam em qualquer lugar desde que estivessem em períodos férteis. Os machos, aos bandos, disputavam as fêmeas enfrentando a morte e elas eram subjugadas a força. Esses temperamentos serviram como base para toda a sua vida. Obrigadas a se inspirarem no cenário natural da convivência entre machos e fêmeas, induzidas a adotarem os tipos sugeridos pela religião predominante, as mulheres portavam temperamento passivo e os homens, o oposto. É em partes dessas observações que se estruturaram a sociedade primitiva. Se indagar a alguém desse meio ele apontará como resposta essas teses e acrescentará outro exemplo exercido na natureza: se num casal, o macho vai à caça, a fêmea resguarda o ninho. Morando em lugares inóspitos, se fazia necessário que alguém vigiasse a cria. O contexto selvagem em que os desbravadores e combatentes viviam, entre as inúmeras guerras protagonizadas pelos povos, considerando as dificuldades da vida do campo e estimulados pelos experimentos da infância e a disciplina militar impostas pelas contendas humanas, torna-se tolerante a base estrutural da tão chamada sociedade machista.
Com os avanços educacionais e democráticos ocorridos no último século, no terceiro milênio trava-se uma batalha para vencer essas desigualdades sociais. Mas, se levar em consideração à longa trajetória que imperou tais bases, haverá resistências para que elas se equiparem.
Ciro do Valle
Enviado por Ciro do Valle em 22/09/2007
Código do texto: T663165
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ciro do Valle
Salesópolis - São Paulo - Brasil
99 textos (5179 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 06:07)
Ciro do Valle