Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Receita dos Antigos!

                      Em tempos de turbidez cognitiva, valorização ideológica, obscuridade consciencial e falsidade até virtual, a simples recomendação para uma amizade amiga, sincera, honesta e longeva é começar tudo na relação sem emendas e rasuras, priorizando sempre o bom senso, a clareza, o entendimento, o equilíbrio, para terminar transparente e com a consciência trânquila que o empenho valeu à pena.
           E não importa se é em família, no lazer, no trabalho, sociedade, religião, escola, clube de futebol e a cor; ambas as partes separou o que é individual, cada uma fez corretamente a lição, seguiu com presteza e dedicou-se com afinco o preceito acima, Amigos Para Sempre, Amigos até Debaixo D'água, caso contrário...; lançou o interesse e as ideias acima da honestidades, acima do nivelamento, é mais um, ou dois falsos hipócritas engabelando os sentimentos alheios. Não passa de oportunistas, aproveitando, ludibriando a confiança um do outro. Para esses, a congelante decepção inexorável do tempo será o juiz.
     E no resumo da opereta relacional humana, as ações mesmo que enganosas, provenientes de quem eu me identifico são boas; e ainda que honestas, as de quem não me identifico são malévolas. Mas, qual das amizades eu realmente devo cultivar e valorizar? Pois, as amizades confiáveis compram e pagam o preço justo.
                Um fiel e digno amigo é para ser lido, ouvido, refletido e exercitado com os 2 ouvidos e olhos, senão, lê-se e ouve-o com um órgão e esquece-se com o outro. E amigo que é, amigo deve entrar e sair por todas as portas da casa do outro amigo.
         Vamos e convenhamos que ser e ter um verdadeiro amigo, um amigo sério, honesto, prestativo, servidor, exemplo de amizade, sorridente de causas justas, um amigo que não meça o amigo pelas vestes, bens materiais e móveis de sua casa, não é e não encontra-se assim tão fácil, não é para qualquer um. E parafraseando a estupidez do matuto, amizade é riqueza cultural, água que mineralizada que não há em toda fonte, e ainda que o amigo não seja ourives, relíquia que vale ouro e deve ser guardada, preservada para sempre; no coração e trancada, à sete chaves.
               Se assim fizeres e ao estar no campo competitivo de batalha da vida, a amizade com o combatente ao lado, não será jamais, um tiro certeiro e decepcionante no peito.


Impressionante Imortalidade
               Visitando os sarcófagos de minha família na Grécia, que contava com grandes filósofos e matemáticos, tomei conhecimento que um de meus ancestrais se chamava Pi (em português a sílaba formada pelas letras P e I) e seus primeiros sapatos eram 3.1427... Seu nome completo é: Número Pi Admensional, uma vez que o corpo se decomporia, como decompôs e ao contrário, os pés se manteriam vivos e em crescimento.
                  Embora tenha morrido sabe-se lá quando, atualmente, os pés estão com mais de 100 números depois do ponto; e o mais insano: do corpo não resta mais nada, exceto os pés, que continuam crescendo.
                Pesquisadores paleontólogos descobriram mais 5 dígitos de aumento após os 100 catalogados; portanto, 105 dígitos depois de três inteiros. A ciência está super-desenvolvida nesse campo, contudo, segundo a maioria dos cátedras no assunto, não faz a menor ideia com quantos dígitos os pés irão morrer defitinivamente.


Arredios
                 Entre o doce e o amargo, meu fígado e pâncreas preferem o fel, porque o mel vicia o meu paladar e causa diabetes.

Em Nome Dele:
                 Passando para agradecer-lhes pelas orações e dizer que o velho Muta passa bem, suportou a cirurgia, está reagindo bem aos medicamentos e em breve estará de volta à confraria Recantista.
       Para quem não sabe, ele teve uns ataques psicóticos e várias vezes bateu a cabeça na máquina de escrever, no afã que ela lhe inspirasse alguma escrita inovadora, algum pensamento que pensador nenhum pensou.
                Ele tem andado bastante esquecido, sem inspiração, tenta escrever e as ideias não lhe vêm à mente como 100 anos atràs, motivo de seu desespero e descontrole emocional.
               Ao bater fortemente a cabeça contra máquina, lesionou as letras das teclas, fraturou o crânio, rompeu o maxilar, quebrou metade de uma das dentaduras, cortou os punhos. E chegou ter morte cefálica por 10 min, segundos médicos. Imediatamente acionamos o convênio médico dele, que à princípio colocou em pé cílios em cobrir a cirurgia e estadia no hospital, mas sob a luz do bom senso de vida ou morte, como era o caso do Muta, tudo foi resolvido à contento.
             Peço encarecidamente que continuem orando, rezem pedindo a Deus sua pronta recuperação, para que em breve ele esteja junto dos inseparáveis amigos do Recanto.
     Reintero os agradecimentos em nome dele e que todos nós não passemos pelo terror de fazer o possível e impossível para escrever, e não ser iluminado pelos deuses da escrita.
                       Uma cabeça lerda sem fluidez de pensamentos e escrita poética, é uma jaca podre e inútil vagando no mundo.
Beijo no coração de todos vocês.
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 07/05/2019
Reeditado em 09/05/2019
Código do texto: T6640946
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2259 textos (52152 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/19 03:42)
Mutável Gambiarreiro