Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OS DEZ MANDAMENTOS DO ENSINO CONTEMPORÂNEO

OS DEZ MANDAMENTOS DO ENSINO CONTEMPORÂNEO



Para Miltom Santos, Rubem Alves,
Gilberto Dimenstein, Paulo Freire,
Cristovam  Buarque, Darcy Ribeiro,
Gilberto Freire, Sergio Buarque
de Holanda e Joelmir Beting.




A Educação, e todo o seu imenso repertório de processo extensivo, melhor se fará e com qualificado retorno, inclusive social, se:

01)-Começar o quanto antes, da melhor forma afetuosa, o mais cedo possível, a partir principalmente do lar, do meio familiar, dentro das múltiplas inteligências (inclusive imagéticas) e das naturais apreendências de raiz, de berço e de origem.

02)-For feita com o preparo das sensibilidades auferidas com carinho, referendada didática circunstancial e, algum conhecimento de habilidades inerentes a serem devidamente desenvolvidas (e até mesmo incentivadas) para deleite do longo caminho do ensino aprendizagem e suas tantas searas e transversais.

03)-Partir dos princípios fundamentais para os generalizados; do habitat do aluno para o universal, valorando sua bagagem de meio e clã (e sua cultura que vem junto) em todos os elencos e quesitos, como historicidades ancestrais, espaços geográficos, ciências naturais, somas e abstrações dinamizadas no próprio exemplo anímico-vivencial do aprendiz sequioso de Saber, de Ser e de poder.

04)-Partir das coisas relevantes e realizáveis, de realidades cotidianas rotineiras, adjacentes e praticadas, interdisciplinares inclusive, para o operacional, o científico, o embasamento empírico, as experiências sazonais, as trocas saudáveis, as convivências com o diferente, mais o salutar espírito de grupo, de equipe, e de solidariedade plural-comunitária, visando sempre um contexto futurologístico de um humanismo de resultados.

05)-Se não houver sobrecarga de metas maçantes, nem de metodologias  acirradas, ensinos exacerbados, lições sósias e repetidas a exaustão, mas, o fito primordial da educação propriamente dita ser gracioso como comer, dormir, brincar, respirar – curtir a vida! – sentindo-se o aluno - enquanto criança, jovem, sonhador, rebelde, ente criativo, sensível; humanizado no contexto espacial - parte integrante de uma comunidade que é elo de equilíbrio da natureza cósmica, sendo o ensino em si, uma ligação seqüencial dessa evolutiva conduta paulatina e básica, necessário e útil, pois, afinal, a melhor pedagogia é o exemplo, e, estudar é uma viagem (inclusive lúdica) para o reino encantado do saber, da abstração, da fantasia, do reconhecimento da própria identidade.

06)-Se forem as aulas reflexivas, exemplares, exercitadas e instrumentalizados numa boa (e por multimídias) em todas as etapas, passo a passo, ombro a ombro; do ler para o compreender e exercitar a linguagem; do saber para o proceder e pensar a ação na paisagem: do pesquisar e conjeturar para conferir e referendar na história oral-testemunhal; do instruir-se para o Inspirar-se, inclusive enquanto Ser, enquanto humanus, enquanto alma em busca de outra alma gêmea, ou de realizações pessoais.

07)-Se o aluno-aprendiz-filho-cidadão não for constrangido nunca a fazer alguma coisa chata, desestimulante, desproposital ou mesmo acima de seu limite-estágio, nem ter situações-problemas de conflitos escolares que venham a bloquear ou confundir a sua sensibilidade exercitada, mas, ser-lhe permitido a troca benéfica a partir da experiência própria de relações, equiparações de resultantes, de referenciais de percursos, pautas de minorias inclusive, principalmente ao fluído de contentezas da sua idade dinâmica, seu meio e ainda do seu estágio natural, no processo do ensino-aprendizagem como um todo, a aula como ferramenta instruidora de desenvolvimento, avaliação e prestígio.

08)-Se todas as coisas forem ensinadas com prazer (e conteúdos sábios em todos os níveis de grades democráticas) metodologias hábeis; teoria e práxis, tudo esteja racionalmente sob o enfoque pleno dos sentidos, de inteligências emocionais e culturas históricas estimuladas, além da descoberta do alvo a ser claramente objetivado, e do aluno com o consciente senso de busca e de dever a cumprir, da devida evolução para o ser enquanto social, a alma cidadã, o espírito altivo, crítico e ético até.

09)-Se o aluno puder ver (e ser-lhe facilitada essa abrangência) a utilização prática de sua matéria/conteúdo curricular, do que resultará seu projeto de aprendizagem cíclica com o cotidianizado vivencial dos diversos conhecimentos adquiridos (a partir do habitat do saber que é a escola) para um futuro melhor e mais feliz para si, para seu grupo familiar, e, ainda, para proveito da própria espécie humana socializadora  e, também, costumeiramente racional, algo materialista e muito cobradora.

10)-Se tudo for usado a favor do aluno, com muita diversificação de estratégias e metodologias funcionais, sob óticas diversas e avaliações contínuas (problematizadas com inteligência em matizes das mais heterogêneas possíveis) para que o aluno mesmo possa se auto-avaliar (saber se sabe) e para que, na verdade, livro aberto ao diálogo (e página de rosto a ser preenchida por sabedorias críveis) sob algum enfoque psicossomático pertinente qualquer, bem dinamizado em sala de aula, possa assim adaptar a sua consciência receptora, a sua idéia inteira, o seu canal analítico, na resultante reafirmadora de inclusões e estímulos essenciais, dentro do seu próprio processo particular de letramento, já que, a Escola, a Família e a Sociedade devem ser sempre a escada peregrina para o alto, para cima, para o sucesso, inclusive moral e de sapiência em núcleos de direitos e deveres, onde também prevalece o espírito humano elevado de querer participar do bolo econômico e sonhar conquistas justas.

-0-

Poeta Professor Silas Corrêa Leite – Filiado ao Sinpeem, CPP, APEOESP, Sinpro – e à União Brasileira de Escritores e Elos Clube/Comunidade Lusíada Internacional. De Itararé-SP. Pós-graduado em Educação (Mackenzie) Filosofia Para Crianças, Relações Raciais, Inteligência Emocional, Literatura na Comunicação e Jornalismo Comunitário pela ECA/USP.  Participante do Fórum Mundial da Educação (São Paulo/Brasil 2004) Texto da Série: Brasil Real, Que Falta de Educação. Autor do e-book ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS (romance virtual) no site: www.hotbook.com.br/rom01scl.htm -Site pessoal: www.itarare.com.br/silas.htm - E-mail para contatos: poesilas@terra.com.br
Poetinha Silas de Itararé
Enviado por Poetinha Silas de Itararé em 01/11/2007
Código do texto: T718445

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Silas Correa Leite). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poetinha Silas de Itararé
Itararé - São Paulo - Brasil, 65 anos
141 textos (52807 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 22:54)
Poetinha Silas de Itararé