Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

3.1 Formação e Reformulações do Método Experimental
O método experimental das Ciências Naturais, contrário ao método ou dos métodos das Ciências Humanas e Sociais, tem a seguinte construção, a partir do século XVII:

3.1.1. Galileu Galilei (1554 - 1642)

Galileu, no campo das Ciências Naturais (Experimentais ou Positivas), estabelece as seguintes regras que foram aceitas e seguidas para a pesquisa dos FENÔMENOS MATERIAIS:

a) Observação dos Fenômenos (observação dos fatos tal qual eles ocorrem);
b) Formulação de Hipótese explicativa (momento teórico em que o pesquisador dá uma explicação para os fatos observados);
c) Verificação da hipótese (verificar a hipótese formulada mediante a reprodução do fenômeno sob determinadas circunstâncias);
d) Descoberta da regularidade matemática. Esta regra faz com o método de Galileu seja qualificado de Método Matemático.

 

3.1.2. Francisco Bacon (1561 - 1626)

A Bacon é atribuída senão a invenção pelo menos a sistematização do Método Indutivo que rompe com a Lógica e o Método Aristotélico seguido durante a Idade Média européia.

Os passos do Método Indutivo de Bacon são os seguintes:
a) Observação (observação e registro sistemático das informações particulares sobre um fenômeno ou fato);
b) Formulação de Hipóteses explicação provisória da relação causal entre os fatos observados;
c) Experimentação (testagem da hipótese provisória);
d) Repetição do experimento (repetição do experimento noutros lugar e por outros pesquisadores para acumular informações e formular novas hipóteses);
e) Testagem das Hipóteses (pela repetição dos experimentos para testar as novas hipóteses formuladas e para obter novas informações e novas evidências que as confirmem);
f) Generalização e Formulação de Leis (formulação de leis universais fundamentadas nas evidências obtidas).

 

3.1.3. Renato Descartes (1596 - 1649)

Renato Descartes elabora regras de pesquisa dos Fenômenos Naturais comumente designadas como MÉTODO ANALÍTICO ou MÉTODO RACIONAL.

a) Dúvida metódica ou Regra da Evidência :não aceitar nada como verdade enquanto não for conhecido como tal;
b) Divisibilidade ou Regra da Análise :dividir cada dificuldade em quantas partes forem possíveis e necessárias para serem resolvidas;
c) Ordenação ou Regra de Síntese:conduzir por ordem os pensamentos, começando pelos objetos mais simples e mais fáceis de serem conhecidos para subir, gradativamente, ao conhecimento dos objetos mais complexos;
d) Enumeração ou Regra da Enumeração :enumerar e fazer revisões gerais para se ter certeza de que nada foi omitido.

 

3.1.4. Isaac Newton (1642 - 1727)

Newton formula algumas regras para pesquisa de Fenômenos Naturais e que, em seu conjunto, são denominadas de MÉTODO MECÂNICO.

a) Regra de Síntese
- existe uma só causa para fenômenos análogos;

b) Regra da Extrapolação
- as qualidades dos corpos experimentáveis são estendidas a todos os demais corpos;

b) Regra da Indução
- toda proposição indutiva, obtida da experimentação, será aceita como verdade, até que seja contraditada.

 

 

3.1.5. Método Experimental

Juntando as regras do Método Matemático (de Galileu), Método Indutivo (de Bacon), do Método Analítico (de Descartes) e do Método Mecânico (de Newton), a prática científica dos pesquisadores das Ciências Naturais (ou Positivas) ficou conhecida como Método Experimental.

Augusto Comte lança o dogma de que somente o Método Experimental é método científico, seguido pelas Ciências Naturais, Experimentais ou Positivas.

Em resumo, o Método Experimental -suposta e equivocadamente tido como O único método científico existente- tem as seguintes fases:

- OBSERVAÇÃO
-HIPÓTESE
-EXPERIMENTAÇÃO (repetição dos fenômenos sob condições controladas)
-COMPARAÇÃO
-ABSTRAÇÃO
-GENERALIZAÇÃO

A partir de Karl Popper (1902 - 1993), esse modelo de método experimental é severamente modificado no campo de pesquisa dos fenômenos naturais, tendo, inclusive mudado de nome para MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO.

 

3.1.6. Método hipotético-dedutivo

O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO de Popper condena o dogma da observação e introduz o dogma da problematização.

As regras do método hipotético-dedutivo, seguidas nas Ciências Positivas a partir do século XX, são:

- Problematização: o pesquisador inventa um problema teórico ou prático;

- Teoria Tentativa : o pesquisador cria uma Teoria Tentativa (TT) para solucionar o problema inventado;

- Princípio de Falsicabilidade : o pesquisador critica a Teoria Tentativa (TT) para Eliminação do erro (EE);

- Novas Problematizações : o pesquisador, buscando a Eliminação do Erro, inventa novas problematizações a partir da falsicabilidade de novas Teorias Tentativas (TT).

No campo das Ciências positivas introduz-se, então, a partir de Popper, o ciclo vicioso de criação de problemas.

O conceito de Ciência Moderna, ao invés do dogma de procura da verdade, torna-se o de criadora de problemas.

Carlos Fernandes
Enviado por Carlos Fernandes em 17/11/2007
Código do texto: T741125
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Carlos Fernandes
São Mateus - Espírito Santo - Brasil
320 textos (1673575 leituras)
5 e-livros (10475 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 17:40)
Carlos Fernandes

Site do Escritor