Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
DirceuTRabelo-ChicoDoCrato-Acontabil.DosMeusAmores
Publicado por: ChicoDoCrato
Data: 16/05/2018
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
DirceuThomazRabelo-ChicoDoCrato-AcontabilidadeDosMeusAmores
ChicoDoCrato, Música, Voz, Violão, Sintetizador, Arranjo, Mixagem e adaptação do poema de Dirceu Thomaz Rabelo.
(Poema amoroso-contábil-sarcástico dedicado aos contabilistas de todo o Brasil.)
Audacity, 090 Ritmo 068+40 em Mí+. Gravação caseira. Gravar em estúdio.
Copyright: proibir a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a sua prévia permissão. A proteção anticópia é ativada.

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Texto

DirceuThomazRabelo-ChicoDoCrato-AcontabilidadeDosMeusAmores

DirceuThomazRabelo-ChicoDoCrato-AcontabilidadeDosMeusAmores
https://www.recantodasletras.com.br/audios/cancoes/79632
ChicoDoCrato, Música, Voz, Violão, Sintetizador, Arranjo, Mixagem e adaptação do poema de Dirceu Thomaz Rabelo.
(Poema amoroso-contábil-sarcástico dedicado aos contabilistas de todo o Brasil.)
Audacity, 090 Ritmo 068+40 em Mí+. Gravação caseira. Gravar em estúdio.
Copyright: proibir a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a sua prévia permissão. A proteção anticópia é ativada.

Matutando aqui, sobre meu passado amoroso
Fechei meu coração para um balanço geral;
A depreciação, de cara, já me deixou horroroso,
Meu Deus, que lástima, aliás, que déficit total!
.
Quando foi o começo desta minha derrocada?
Sei lá; só senti o passivo corroendo o ativo, nada mais,
Numa amortização, desde o princípio escancarada,
E meu patrimônio descendo pelos ralos matrimoniais.
.
Também pudera! Meu capital nunca foi integralizado
O fluxo de caixa, então, sempre foi uma merreca;
Meu coração até que teve algum amor estocado,
Mas, eu, parcimonioso, sempre doava só uma caneca.
.
Sabemos que uma mulher demanda aplicação de valores
Porem, com meus faturamentos quase nulos, precários,
Como é que eu poderia ter em troca alguns favores?
Dos poucos investimentos, foram-se até meus salários.
.
Aí, me afoguei nos juros desenfreados da paixão.
Lucro? Nunca os tive! Perda pura e tão somente...
E meu preço unitário bruto troquei pela social razão,
O que correspondia aos custos da entrega vigente.
.
Para conquistar alguém, me valia sim de ações,
De maravilhosas receitas, mas aquelas culinárias,
Se não honrei a classe contábil, me dei bem nos fogões,
Dos pratos bem feitos para as mulheres refratárias.
.
Bis no final
Daí, como não via superávit no horizonte da vida,
A taxa interna de retorno no gráfico ia só caindo;
Hoje, folheio borderôs vendo muita falha indevida,
Mas, agora é tarde e qualquer lucro é bem-vindo.
.
Tenho uma sobra amorosa, ainda que pequena,
E ela se resume num pequeno, mero balancete;
Falência total, sem fundos pra conquista, morena...
Neste resto de vida que levo, pacata pra cacete!

ChicoDoCrato e Dirceu Thomaz Rabelo
Enviado por ChicoDoCrato em 16/05/2018
Reeditado em 16/05/2018
Código do texto: T6338360
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
ChicoDoCrato
Salvador - Bahia - Brasil, 62 anos
744 textos (14018 leituras)
749 áudios (14401 audições)
42 e-livros (953 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/11/18 17:44)
ChicoDoCrato
Rádio Poética