Deus Requer Santificação aos Cristãos 54

Publicado por: Silvio Dutra
Data: 24/02/2022
Classificação de conteúdo: seguro

Créditos

Texto: Silvio Dutra
Voz: Silvio Dutra

 

“E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões. Então, eu perguntei: Quem és tu, Senhor? Ao que o Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues.

Mas levanta-te e firma-te sobre teus pés, porque por isto te apareci, para te constituir ministro e testemunha, tanto das coisas em que me viste como daquelas pelas quais te aparecerei ainda,

livrando-te do povo e dos gentios, para os quais eu te envio,

para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim.”  [At 26: 14-18]

 

Nosso Senhor Jesus Cristo afirma, que os homens são santificados pela fé que têm nEle, como vemos neste texto de Atos 26: 18.

"Para que recebam o perdão dos pecados e uma herança entre os que são santificados pela fé em mim.”

Se houvesse outra forma, ou meios pelos quais os homens possam ser santificados, Ele não o limitaria à "fé nEle"; pelo menos, não há outra maneira de alcançar aquela santidade que pode levá-los à herança celestial, ou fazer que eles sejam adequados para isso.

"dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz.[Cl 1: 12]

A santificação está associada à nossa transformação, de glória em glória, e esta é operada à medida que contemplamos ao próprio Senhor, espiritualmente, através da Sua Palavra e pela iluminação que recebemos do Espírito Santo.

Moisés ficou com o rosto brilhando ao permanecer na presença de Deus no Sinai, e de igual modo somos santificados ao contemplar a glória de Deus na face de Jesus Cristo.

Embora tenhamos já recebido uma grande medida desta santificação em nossa primeira conversão a Cristo, pela mudança de nosso coração de pedra em coração de carne, no que tange à nossa velha natureza em razão do novo nascimento do Espírito pelo qual recebemos uma nova natureza, importa progredirmos em santificação, pelo que somos ordenados em Hebreus 12.14 a segui-la.

Nosso Senhor orou pelos apóstolos em João 17, que já eram convertidos a Ele, que fossem santificados, bem como todos os que viessem a crer posteriormente, pois há um crescimento espiritual até a perfeição que deve ser buscado por todos aqueles que Deus salvou.

 

Tudo o que tivermos e fizermos no reino de Deus terá sido pela fé em Jesus, que se tornou da parte do Pai para nós, nosso tudo em tudo; de modo que nossa redenção pela fé nEle é para nossa santificação - para nossa justificação também, nosso arrependimento, conversão, e tudo o mais que recebemos da parte do Pai é por meio da fé em Jesus.

Na verdade não há maior desprezo que possa ser lançado sobre o Senhor Jesus, e em nosso dever de acreditar nEle, do que imaginar que alguém pode ser santificado sem fé nEle.

A fé é a causa instrumental de nossa santificação; de modo que onde não há fé, nenhuma santidade pode ser trabalhada em nós.

"Deus purifica nossos corações pela fé", Atos 15: 9, e não de outra forma - e onde o coração não é purificado, não há santidade.

Todos os deveres do mundo não definirão alguém como santo, cujo coração não é purificado; nem tais deveres serão santos, visto que "para o impuro, todas as coisas são impuras."

 

Toda obediência que é aceita por Deus, é a "obediência da fé", Rom 1: 5; brota da fé e é animada por fé. Assim é expressado em 1 Pedro 1: 22.

"Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente."

É da fé em Deus através de Jesus Cristo, agindo em obediência ao evangelho, que purificamos ou limpamos nossa alma; esta é a nossa santificação.

"tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.
E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos;
tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz"
[Cl 2: 12-14] 

 

"Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.
Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar.
Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos

e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou;
no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos". [Cl 3: 7-11]


Toda graça é originalmente confiada em e com Jesus Cristo. Agradou ao Pai que "nele habitasse toda a plenitude".           [Cl 1: 19]

Como Ele é a plenitude da Divindade, em e para Sua própria subsistência divina pessoal, então Ele é a plenitude de toda graça para nossos suprimentos, de modo que "de sua plenitude podemos receber graça sobre graça." [Jo 1: 16]

Ele é feito a cabeça para toda uma nova criação, não apenas de poder e governo, mas de vida e influência.

Devemos estar em Cristo como o ramo está na videira, ou não podemos derivar nada dele.

"Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim."  [Jo 15: 4]

 

Daí decorre a necessidade, para nossa real santificação, de um andar no Espírito e uma vida de oração para nos unirmos espiritualmente a Jesus.

Se não buscamos a Sua presença, de nada valerão nossos esforços para praticarmos o bem e evitarmos o mal, para este propósito de sermos santificados, e seremos achados no mesmo erro da igreja de Éfeso, que o Senhor repreendeu por ter abandonado o primeiro amor, apesar de serem muitas as suas obras.

Por isso nosso Salvador afirma, que não podemos produzir nada, a menos que estejamos nEle e permaneçamos nEle.

Agora, nosso estar em Cristo e permanecer nEle é pela fé; sem fé não podemos derivar nada dEle e, consequentemente nunca podemos ser participantes da santidade no mínimo grau.


 

Silvio Dutra
Enviado por Silvio Dutra em 28/01/2022
Reeditado em 26/04/2022
Código do texto: T7439191
Classificação de conteúdo: seguro