Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DOIDA DEMAIS RONALDO ADRIANO

                 As canções derramadas são prato cheio de bares de baixo calibre, boates de beira de estrada, bordeis de cidades mais pobres ou empobrecidas e em todo lar onde impera o alto consumo de bebidas com alegria perene advindo confusões como consequência e motivando casos de polícia por não excluir quebradeiras e  em alguns casos, assassinatos  Sabe-se que em síntese essa e a alegria do brasileiro com orçamento barato e não podemos esquecer que vitrolas com som em decibéis nas alturas alimenta perigosas ilusões que não podem de modo algum ser impedidas sob pena de um sujeito ao se divertir ficar muito zangado com quem faz isso. Dai o catiripapo, socos, facadas garrafas quebradas tiros. Isso ai. Nada disso é novo e não tem lugar do Brasil para ser escolhido mas vamos dar alguma origem para uma época e fica a certeza que isso não acabou e não acaba nunca.
                        Em alguma lugar na década de 70 o cantor/compositor RONALDO ADRIANO encontrou com o cantor LINDOMAR CASTILHO, especialista em canções apaixonadas no bom estilo latino (derramadas)  e fizeram as rádios furar alguns fonogramas com a música DOIDA DEMAIS, entre outras de igual gênero que soaram melodiosas Brasil afora, com vendagens generosas de Long-plays  pai do CD, avô  do Pen Drive que estão na atualidade continuando a verve.
                Depois disso, ADRIANO FEZ carreira solo com  o LP DOIDA DESALMADA E ATREVIDA,  e mais alguns aproveitando o nicho de sucesso garantido, tudo rodando feito pneu de Opala nas máquinas das casas boêmias recheadas de homens desocupados.
               Tal alegria melodiosa e artificial foi motivo de muita briga e discussão entre  a gente mais comum, dados á preferência  para uma canção cujo objetivo seria justificar o alto consumo de bebidas, associado com a pobreza e desilusões amorosas em lugares onde a diversão barata tem vez e eles vão desde de pardieiros até casas de má fama recheadas de vida irregular. Recanto dos desalmados.
                Paulo Sérgio, Cláudia Barroso,  Odair José, Carlos Alberto, Genival Santos e como não poderia deixar de ser lembrado o supercafona Valdick Soriano, entre outros  são citados como os que precederam a Ronaldo Adriano. Mas todos ficaram para trás e este embarcou no Jumbo de sucesso do TRIO PARADA DURA, Já que LINDOMAR CASTILHO estragou a carreira numa intepestividade que não devemos recordar e ele também quer esquecer, o que lhe tirou dos braços de um povo tão carente de cantores que se identifiquem com seus problemas e até aliviam o peso de uma semana árdua  na mesa de um bar qualquer (vários anos depois do Sérgio Bitercourt "1941/1979" fazer aquela homenagem para seu pai também do passado o grande Jacob do Bandolin "1918/1969") em superficial alegria que no fim das contas não deixa de ser uma válvula de escape, em que pese lhes consumir parte do salário que deveria seguir todo para casa.
               Mas voltemos ao assunto. Ao deixar a década de 70 para trás, ADRIANO já tinha planos e não mais podia associar seu nome ao de Castilho por que o meio artístico, nesse ponto, cobra sempre uma imagem que trás à bancarrota aqueles que de forma sentimental se esquecem disso, assim, seguindo a cartilha, passou a lidar com um Trio sertanejo erradicado em Belo Horizonte. o TRIO PARADA DURA e a parceria deu certo porque especializado em canções derramadas, ADRIANO  migrou o estilo para a excelente  primeira voz   do BARRERITO que tinha na segunda voz de qualidade do cantor  CREONE e no arranjo especial de MANGABINHA, um formato diferente, que alcançou em curto espaço de tempo a glória no gênero fazendo um sucesso que iniciado por volta de 1980 chegou até os dias atuais mantendo a veia apropriada para quem sente na alma o jogo de suas rimas ao som do violão e acordeon, dando preferência para as GUARÂNIAS. e naturalmente com recheio de desilusões e muitos tragos na noite fria.
             Citamos como exemplo as canções: BLUSA VERMELHA, O ÚLTIMO ADEUS, BIQUINI BORDÔ, NÃO QUERO PIEDADE e uma dezena de outras que para os amantes do gênero fica a dica para adquirir os bolachões antigos do TRIO PARADA DURA  e repassá-los para CD. A você que não conhece as obras desse importante compositor  Aconselho experimentar ouvir o que tem para cantar LINDOMAR CASTILHO  ou o  TRIO PARADA DURA com retroação ao ano de  1987, É coisa de pegar e apreciar.

0408082119.

 
pacomolina
Enviado por pacomolina em 04/08/2008
Reeditado em 03/10/2014
Código do texto: T1113064
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
pacomolina
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
3801 textos (157256 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/18 04:51)
pacomolina