Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amor em pedaços

sofrer amar
dormir chorar;
depois sorrir de novo;

Escreves de amor
 e ele quão desalmado é,
é ingrato,
e nos é sempre devedor;

Da vida,
não se pode querer tudo;
apenas aprendo com os dias;

Por nada ter em mim,
nada tenho a ensinar.
andei por um tempo,
por aí,
colando os  meus cacos
que sobraram.

Amor não tem seguro;
ele não é benevolente,
acaso estarás disposto
a pagar o preço,
de cair nas graças  enas tentações
de um amor?

mesmo sabendo
que o preço mais barato
que se há de pagar
é  a própria solidão?

acaso  se espera o que do amor?
esse mistério assustador
e até indecifrável;

nem eu  nem você,
e nem o mundo
esta preparado;
ele não tem fórmula
nem receita.

porém,
existe um recomeçar
no devastador mundo
das ilusões;

percebe-se a experiência;
mesmo que tudo se acabe;
o amor te transforma.
a solidão te reconstrói;

cada amor é um.
e mesmo o que sofre;
é descrente
do provável inverso.

O amor perfeito
é esse,ah!
que as pessoas já trazem prontos;

é diferente do que se afasta;
esse já traz suas fantasias,
e já sabe até
pelo que jaz sofrer um dia;

o amor perfeito,
é o desejo do gênio
que pedimos
ao esfregar a lâmpada,
isso, pra uns ,
é ser correspondido;

É o amor que, de tão perfeito
a tudo domina;
seria esse quem sabe
o próximo passo....

Acaso Deus daria ao homem
esse poder do amor?
Será que daria ao homem mesmo
proposta tão certa
ao ponto desse mortal
imperfeito e egoísta,
ter o domínio de coisa tão incerta?
e tão grandiosa ao mesmo tempo?


Edmilson Cunha
Enviado por Edmilson Cunha em 12/07/2018
Código do texto: T6388250
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edmilson Cunha
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 42 anos
82 textos (2232 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/18 04:57)
Edmilson Cunha