Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um amor pra recordar

Vou relatar uma história que aconteceu em 2007, quando eu tinha apenas 17 anos de idade. Como de costume eu passava as férias na casa de minha tia e numa dessas idas para lá minha tia resolveu levar meus dois primos um de 5 e outro 15 e eu num karaokê. Era sábado e chegamos lá por volta das 20hs, havia um casal de amigo de minha tia, com eles sua filha, uma jovem linda, loira cabelos compridos, estava usando um vestido preto acompanhado de uma sandália prata e uma corrente em sua cintura que também era prata combinando com o calçado. Eu realmente achei a menina linda, perguntei para meu primo se ele sabia quem era e ele falou q ela se chamava Eduarda, filha única do casal, mas não tinha muita informação a respeito. Meus primos e eu resolvemos não cantar por vergonha, fomos mais para sair um pouco.
Ela foi cantar, tinha uma voz linda, cantou uma música internacional da Whitney Houston "I Will Love You", eu fiquei completamente apaixonado por aquela voz. Depois q ela cantou, saiu com a amiga dela para fora e meus primos e eu resolvemos ir até lá, sentamos um pouco afastado e ficamos observando-as, eu realmente não lembro muito da outra menina porque estava encantado por Eduarda, nisso meu primo teve a ideia de mandar meu primo mais novo ir perguntar se ela tinha namorado e sua idade, ela espondeu q não namorava e tinha 15 anos, nisso ela chamou meu primo menor de novo e perguntou quem queria saber, ele falou que era eu, nisso ela não falou mais nada. Minha tia saiu e chamou nós para ir embora, mas combinou com os pais dela um almoço no dia seguinte, o local ficou sendo a casa deles. Eu fui muito chateado para casa achando que ela não havia gostado de mim. Amanhece, minha tia chama a gente para ir no tal almoço meus primo falam que não estavam afim de ir, então eu resolvi ficar também por vergonha. Quando minha tia chega ela me conta que Eduarda falou do ocorrido da noite anterior, que perguntou muito sobre mim e pediu para minha tia entregar o número do celular dela. Eu não acreditei, fiquei muito mais muito feliz, sentei no sofá e já comecei a mandar mensagem, falamos por horas, descobrimos ter muita coisa em comum. Marcamos de ser ver ás 16hs do dia seguinte, fomos a uma lanchonete próxima da casa dela que também ficava perto da casa de minha tia, lá conversamos bastante, caminhamos até uma praça onde saiu nosso primeiro beijo, deixei ela em casa e segui meu caminho, se vimos todos os dia das férias. Nos falávamos todos os dias, mas como o que é bom dura pouco, chegou a hora de voltar para casa, prometi que todo final de semana iriamos nos ver. Nosso namoro estava virando um verdadeiro conto de fadas, mas como todo conto de fada sempre tem um obstáculo, o nosso não era diferente, no casa era o pai dela. Ele achava q éramos muito novo e estávamos nos precipitando, a gente  não queria nem saber, éramos dois jovens apaixonado e loucos para viver aquela história.
Era mês de maio e uns amigos me chamaram para ir a praia, eu convidei ela que aceitou na hora. Para não criar problemas com seu pai, ela resolveu falar que ia para praia com uma amiga e seus pais e que eu estaria viajando com minha família para uma chácara. Chegamos na praia e foi só alegria, todo mundo afim de curtir aquele final de semana. Eduarda e eu resolvemos dar uma volta, era final de tarde e chegamos numa parte da praia que era deserta. Sentamos e ficamos conversando, abracei ela e comecei a beija-la, ela estava usando um vestido leve, o clima esquentou, olhei em seus olhos, ela olhou os meus, sem dizer uma palavra um para outro nos entregamos ali, foi nossa primeira vez, sem planejar, mas foi a coisa mais linda que me aconteceu e posso dizer com toda certeza que foi para ela também.
Junho estava chegando e com ele as férias, estávamos programando de se ver bastante, eu iria para minha tia pra ficar perto dela, quando as férias chegou me mandei e a tarde já estávamos juntos, nesse dia rolou nossa primeira briga, por um motivo bem besta, ela estava com uma amiga e depois que a amiga saiu eu quis saber quem era, Eduarda ficou com ciúmes. Meu Deus! Como ela ficava linda com ciúmes, eu tentei fazer ela ficar mais calma, mas sem exceto. Fui para minha tia, passei a noite toda ligando e mandando mensagem e ela me ignorando. Então de manhã acordei bem cedo, fui até uma loja de chocolate e comprei um buque de flor com pétalas de bombom e fiquei no portão de sua casa esperando ela sair, fiquei horas no seu portão até que uma hora a porta se abriu e ela aparece, quando me viu ficou sem reação, depois abriu um sorriso, um lindo sorriso, nessa hora vi como eu era um cara de sorte em ter ela ao meu lado. Fizemos as paz e fizemos a promessa de não brigar mais ou pelos menos tentar evitar brigas. Acaba as férias e a vida volta ao normal, entre passeios, telefonemas, sms, mais passeios, o ano estava quase no fim, seu pai já estava aceitando nosso namoro. Começo de dezembro fui convidado para uma partida de futebol com uns amigos. Lembro perfeitamente daquele dia, sábado 08/12/07. Seu pai resolveu sair da cidade para ver seus sogros, pois sua sogra estava muito doente, então convidou ela para ir, junto com ele e sua esposa ela falou q queria passar o final de semana comigo e pediu para seu pai me convidar para ir, como eu não queria mais encrenca com meu sogro convenci ela para ir. Eu não iria, o que fez ela ficar um pouco chateada, eu tinha um trabalho de escola para entregar, o que ela entendeu de boa e eu queria muito ir jogar futebol.
Eles saíram cedo, eu fiquei em casa fazendo meu trabalho escolar e mais tarde ir para meu jogo. Era umas 23hs quando cheguei em casa minha mãe falou que minha tia ligou falando que o pai de Eduarda bateu o carro e eles estavam no hospital. Ela falou que era para mim ficar pronto que logo ela e meu tio iam me buscar. Por volta da meia noite eles me pega e seguimos ao hospital, chegando lá tomamos conhecimento que só estavam os dois, pois minha sogra havia ficado e iriam busca-la no outro dia, pelo o que as testemunhas falaram, eles estavam vindo quando outro motorista bêbado venho contra mãe e com os faróis apagado, por isso não foi possível evitar a batida. Meu sogro havia quebrado uma perna e precisava fazer uma cirurgia mais ñ corria risco, já Eduarda o estado era mais grave, ela estava no banco da frente sem sinto e havia batido forte a cabeça, estava com uma uma lesão grave no cérebro, por isso estava em coma na UTI. Eu entrei em desespero, pois comecei a me culpar por fazer ela ir junto com seu pai, queria vê-la, mas não era permitido visita, eu não acreditava no que estava acontecendo, meu mundo estava desabando ali na minha frente. Passou um dia e nada dela acordar, passou dois, três e nada. Quarto dia e nem um sinal dela, os médico falaram que não tinha muito o que fazer, seu cérebro havia morrido e somente um milagre a salvaria. Naquela hora eu queria morrer, eu daria tudo para estar em seu lugar.
Fui para casa tomei um banho e foi me deitar, era umas 22hs, dobrei meu joelho e com força pedi para que o sofrimento dela fosse cessado, nessa hora senti uma certa paz, deitei com esperança que ela iria ficar bem, até que o telefone toca. Era minha tia avisa que Eduarda tinha acabado de falecer. Mais uma vez meu chão caiu, eu não acreditava no que estava acontecendo, queria que fosse mentira, mas não era!
No seu velório, eu fiquei o tempo todo no lado de seu caixão, ela estava com a aparência de quem dormia, nem parecia estar morta, realmente seu sofrimento cessou. Só restou as lembranças daquela historia de amor, muita saudade, muita noite sem dormir.
Minha princesa havia virado um anjo, um lindo anjo, e agora cuida de nós lá de cima. Tentei seguir a vida, por mais difícil que fosse eu tinha que seguir, terminei os estudos, arrumei um trabalho e entrei na faculdade, mas sempre vou leva-lá em meu coração, nas lembranças, dentro de mim ela sempre estará viva e em minha memória sempre irei me lembrar daquela jovem que me conquistou com aquela voz linda, com seu sorriso angelical.
Bruno Salvadego
Enviado por Bruno Salvadego em 09/08/2018
Código do texto: T6413718
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bruno Salvadego
Curitiba - Paraná - Brasil
1 textos (17 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/18 04:43)