Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RELATO DE EXPERIÊNCIA BEM VIVIDA

A MINHA SEGUNDA HISTÓRIA DE AMOR COMEÇOU ASSIM, QUEM SOMOS NÓS PARA JULGAR?
“QUEM NÃO TIVER PECADO QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA”

Há que se morrer em vida... para dar início a um novo ciclo e fazer valer a pena, que nós somos caminhos. Também, para conhecer quem realmente nos ama e quem se importa com nossa felicidade.
Andando na terra dos vivos, fiz amigos. Ousei dar as mãos e como agente vocacional eu empreendi sonhos de um dia chegar a ser Diácono Permanente e nessa jornada de fé, realizar virtudes.
Cheguei bem perto, pois sendo um ministro da eucaristia e da palavra vivi dias maravilhosos e amei muito tudo isso, sem me importar com o dia seguinte.
Porém, fatos ocorreram... a viuvez, a tristeza de me ver só e a imensa saudade que não me deixavam ter paz.
Tive muita gente ao meu lado. Apoio, auxílio e milhões de palavras que em minha mente se fizeram amparo. Mas, é difícil para alguém como eu, que nunca fiquei sem minha metade da alma, que nunca deixei minhas mãos sozinhas... de repente, olhar em volta e não poder mais compartilhar meus momentos.
Sim, eu mesmo assim sempre estive ao lado de Deus e Deus na sua infinita bondade caminhou nesses dias comigo e pacientemente me carregou no colo e sua voz em minha alma ecoava: “Calma Nelsinho, tudo vai ficar bem. Respire meu filho, você está vivo e eu te amo. Continue confiando, tenho algo bom para você”.
Eu chorava a todo o momento. Estava dirigindo em minhas fugas e me via gritando, querendo respostas pra tudo o que cortava meu peito e no fundo eu sabia que, não iria conseguir seguir em frente sem ajuda.
Quis ser um Diácono Permanente, entregar meu tudo a Deus e fui ouvir a opinião do Bispo que na época era Dom Vitório Pavanello. Este ao me ouvir foi categórico em me dizer que sendo um bom marido eu deveria ainda me casar.
Voltei para casa e novamente me vi diante do mais triste dilema... ter que conviver com a solidão.
De ímpeto, algo me levou a abrir meu computador e sem mais porque, abrir uma página na Internet que me levou a um texto maravilhoso! Ao ler... meus olhos nem acreditavam no que aquelas palavras diziam e como elas aliviavam meus vazios e colocava-me sobre um patamar de esperanças.
Li e reli quantas vezes achei ser necessário e, comentei na página da poesia que se intitula de: “Mensagem de Despedida”: hoje faz 12 dias que me despedi do meu único e verdadeiro amor: o nome dela Ramoninha, 60 anos de mãos dadas, vivemos e convivemos na mais completa harmonia. Vi tua poesia e meu coração transbordou de esperança. Só resta dizer: Jesus habita em teu coração, paz. Amo a vida e amo o ser humano.
Ela, a dona da poesia: Akeza, respondeu num e-mail, pois é obrigatório colocar com o comentário o endereço de e-mail e nome completo. Eis a resposta dela: Amigo lhe agradeço e saiba que para um eterno amor, a morte não significa limitação,
mas um espaço de tempo, onde aprendemos mais, porque necessitamos mais que o outro. Deus esteja contigo. Um sincero abraço de sua amiga: Cris. Enviada em 01 de fevereiro de 2010.
Eis o nosso primeiro contato.
Li e lhe respondi, no dia 02 de fevereiro de 2010: Alô meu DEUS, fazia tanto tempo que eu não te encontrava; hoje ti encontrei no coração da minha querida irmã Akeza. Só tu és a Salvação.
Passaram-se meses sem sequer uma palavra com ela e novamente me vi angustiado e só.
Sim, eu estava na companhia de minha filha e meus netos e me comunicava com os outros... uma filha em New York e um filho em Goiânia, fora os demais familiares. Porém, nada disso me consolava de fato. A noite perdia o sono e durante o dia não parava em casa.
Fiz diversas viagens a São Paulo em 2010. Fiquei sem saber o que fazer e não me conformava com meus isolamentos. Mas algo diferente estava acontecendo... é que, andei lendo vários textos de Akeza e mais dúvidas adentraram em minha mente. Porque ela era fantástica nas palavras e uma pessoa assim, talvez nem declarasse importância aos meus sentimentos. Porém, eu sabia que ela era perfeita para mim. E eu a queria, mas não sabia como conseguir chamar sua atenção?

Então, buscando em Deus alívio, resolvi fazer um retiro espiritual um ano após a partida da Ramoninha. Fui para uma fazenda de um compadre e lá permitir ter momentos, onde os personagens principais eram: Eu e Deus. E obtive respostas, pois em meu pensamento, a dona daquela poesia-milagre e de todos aqueles textos admiráveis, ecoava num chamado paciente.
O engraçado é que tudo estava acontecendo exatamente um ano após o último e-mail enviado para ela.
Assim que retornei do meu retiro fui direto para casa, estava ansioso para contar para ela, como eu estava me sentindo e de como ela estava fazendo diferença em minha vida. No computador no dia 01 de fevereiro de 2011, enviei esse e-mail: Olá adorável menina, que o Deus da Esperança a encha de completa alegria e Paz. Amada minha, necessitei alongar alguns dias para refletir os últimos acontecimentos em minha vida. Coisas boas aconteceram, e você é e sempre será uma delas. Obrigado.
Após oito dias caminhando meio sem rumo cheguei a mais maravilhosa confirmação; Deus me AMA incondicionalmente. E também me surpreendi  com a confirmação  de que, eu e você somos os seus filhos prediletos. Amada, tenho certeza de que a conheço o suficiente para saber que, és pura e maravilhosa, pois as tuas palavras dizem muito sobre ti. Lendo teus textos, senti meu amor por você crescer e a cada oi que recebo de você, meu coração bate feliz, principalmente, quando ligo meu computador.
É maravilhoso sentir o amor crescer em nosso peito, aí vem àquela certeza do amor de Deus por nós.
Não só penso em ti, como a contemplo através das quatro letras  gravadas, “C.R. I. S.”.
Amada, demorei, pois voei, sonhei, chorei, sorri e questionei.  Confie, que o Universo nos pertence: chegaremos lá.
G r a ç a s    S a n t i f i c a n t e s
Nelsinho.

Akeza respondeu no dia 02 de fevereiro de 2011, com um comunicado triste, um relato de sofrimento ao lado de uma pessoa que a maltratava por 33 anos seguidos. A resposta dela: Nelson suas palavras adentraram a minha mente e me fizeram perceber as funções intelectuais que sondam a luz de nossa amizade. Que bom que você alongou a vida em dias de reflexão. Deve está mais vazio, deve ter refeito muitos caminhos...
Olha meu anjo, seus últimos acontecimentos foram cruciais para a pessoa que você está se tornando. Tudo tem um preço a ser pago e o mais difícil é admitir e aceitar todas as experiências da vida. Nesses oito dias você não caminhou sem rumo, mas para o rumo. Essa é a diferença. E ainda vai precisar da dignidade de superação, para crescer mais ainda. Eu estou aprendendo muito e em pouco tempo, também sei que vou aprender muito mais. Tenho sede de ir além. Sede de descortinar mais ainda a fé e amadurecer a essência. tenho a necessidade de AMAR. E sei que ainda nessa vida serei muito feliz. Você também me passa a forte impressão de que eu o conheço de algum lugar. De que é alguém muito próximo, com revelações seguras. Tudo bem Nelson... a vida tem muito a dizer sobre nós. Minha intuição jamais me enganou, porém, sei esperar que o céu se revelasse... que Deus esteja no meio de nós. Não quero decifrar códigos. Não tenho pressa, porque sei que o que é, virá no tempo que Deus permitir. de uma coisa você está correto: Deus nos ama! Tem um plano pra nós e é necessário está atento para perceber o mistério e reconhecer na certeza da fé o histórico de todo chamado, indo a busca das águas do descanso eterno. Eu amo você Nelson, pela maneira transparente com que você comunica Deus, pelo carinho a mim dirigido. Muito obrigada!  Pois, há momentos que eu também me sinto frágil. Um casamento deteriorado, quartos separados há muitos anos, eu querendo muito corrigi-lo, mas sem expectativas de dias melhores. Pois o cônjuge não expressa fé em modo algum. Não fala de Deus e quando eu o cito sou motivo de risos. Às vezes me sinto só, querendo um aconchego... companheirismo... um simples abraço... uma palavra de ternura... ainda bem que possuo CRISTO. Somente ele me dá ânimo, me faz continuar e também eu não posso negar, Deus tem me dado a força dos amigos. É cada carinho... cada palavra, cada incentivo... que me fazem perceber: Como Deus me ama. Ultimamente estou indo mais ao Facebook, porque lá recebi aconchego sem tamanho. mas sou forte. Tenho pessoas como você que me diz: que o Deus da Esperança a encha de completa alegria e Paz?
Isso é suficiente para deixar a minha alma radiante. Um grande beijo e fica com o infinito amor de Deus. Que ele seja o tudo da sua vida. beijos carinhosos de tua: amiga Cris.

De lá para cá... tudo foi como um cometa, nada de sala de bate papo. Apenas e-mails e já não conseguíamos viver um sem o outro. Depois de algumas tentativas em vão, conseguimos nos falar pelo celular. Eu vibrava de emoção ao ouvir sua voz e ela comunicava um sentimento maduro e real. Sempre colocávamos Deus em nosso diálogo e a firme decisão de amadurecer nosso relacionamento. Quinze dias depois, surgiu a idéia de ficarmos juntos, mas era necessário ser realizado o divórcio, pois queríamos tudo na lei de Deus. E ela tentou, imprimiu os papeis para mim, porém não deu certo, já que o cônjuge a ameaçou de morte. Ficamos sem saída e o único jeito foi trazê-la para preservá-la de injustiças.
Dia 10 de março de 2011, eu viajei para Salvador-Bahia e a trouxe, decidido a permanecer ao seu lado e me casar com ela.
Algumas semanas de sua vinda, fomos nos apresentar na paróquia que eu frequentei por mais de 15 anos. Esperava ser acolhido e compreendido pelos membros. E nada disso foi real. Aquelas pessoas que me consolaram, que se diziam amigas sumiram do mapa... nenhuma prova de amizade, nem mais um telefonema e o interesse em saber como eu estou, desapareceu.
Pensei que eu significasse alguma coisa na minha comunidade, porque sempre a coloquei em primeira mão, mas me enganei grande.
Será que as pessoas que se diziam amigas não conseguem me ver feliz?

É... hoje estou casado com Akeza. Casamos dia 09 de novembro de 2011. Declaro para quem interessar que estou bem. Que nosso relacionamento deu certo.
Meu Paisinho do céu me ama demasiadamente, por isso sempre me deu o melhor!
Em toda a minha vida fui um homem honesto, trabalhei numa instituição onde havia alto nível de corrupção, mas sempre levei muito a sério minha idoneidade como um filho de Deus, sendo referência. Nunca me permiti corromper, lembro-me de um comentário do meu filho que disse: Pai, eu tenho muito orgulho do Senhor e trago comigo seu exemplo de vida.

Desejo que também sejam felizes.

Nelson Pedro.

OBS.: Olhando textos no PC... novamente li o que Nelson Pedro escreveu sobre nós, desejo que ele esteja iluminado como sempre foi. Que Deus esteja com ele e que o amor permaneça forte como sempre foi.
Akeza
Enviado por Akeza em 10/08/2018
Código do texto: T6415218
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akeza
Canavieiras - Bahia - Brasil, 57 anos
2406 textos (417662 leituras)
60 áudios (108422 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/18 16:43)
Akeza