Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma voz pela nossa Amazônia....


UMA ANDORINHA NÃO FAZ VERÃO!!!! MAS COM CERTEZA A SUA MORTE FEZ A DIFERENÇA PARA QUE O BRASIL CONHECESSE O VALOR DA NOSSA AMAZÔNIA!!!

Quem exigiu uma nova resistência foi Chico Mendes.  No final de 1988, os senadores Tim Wirth, John Heinz e eu, os congressistas John Bryant, Gerry Sikorski e uma delegação de observadores, estávamos a caminho do Brasil para encontrar Chico Mendes, talvez o mais famoso herói da resistência dos últimos anos, quando ele foi assassinado  por um grupo de ricos latifundiários.
 
Nascido no Acre, na região amazônica, Chico Mendes organizou e liderou os seringueiros, que colhem os produtos renováveis da floresta tropical – frutos, castanhas e principalmente borracha – que obtêm da seiva colhida através de pequenos cortes nas seringueiras. Seu modo de vida tem ajudado a preservar a floresta tropical, mas começou a prejudicar os interesses comerciais que visam explorá-la, queimando-a e derrubando árvores para abrir  espaço para fazendas de gado. Em diversas ocasiões, Chico Mendes e os seringueiros tentaram impedir a passagem de máquinas e recusaram-se a permitir que os exploradores cruzassem a floresta tropical para incendiar áreas próximas.
 
Além disso, Chico Mendes encontrou formas alternativas – e sustentáveis – de ganhar a vida na floresta tropical e incentivou uma série de empreendimentos criativos para estimular os proprietários de terras a não destruí-las, mas a viver em harmonia com elas. Como aumentou seu reconhecimento da complexidade  dessas questões e desenvolveu-se sua capacidade de liderança, tentou entrar para a política, mas a riqueza e o poder dos latifundiários garantiram-lhe a derrota.  Entretanto, continuou a ameaçar seus interesses, e mataram-no, com uma rajada de tiros, na porta de sua casa.
 
Chegando ao Acre, encontramo-nos com Ilzamar, viúva de Chico Mendes, e com seus companheiros do movimento seringueiro, que prometeram continuar a luta contra a destruição da Amazônia.  A batalha está longe do fim: muitos outros integrantes do movimento, menos conhecidos que Chico Mendes, também foram mortos, e é impossível salvar a floresta tropical sem o apoio organizado do resto do mundo.  A morte violenta de Chico Mendes, porém, não foi em vão, pois concentrou a atenção do mundo nas sérias ameaças a um dos mais notáveis ecossistemas do mundo. Embora desejasse viver, foi exatamente isso o que previu em sua última entrevista:
 
“Se um anjo viesse do céu e garantisse que minha morte poderia fortalecer essa luta, seria uma troca justa”.
ivanoterrivel
Enviado por ivanoterrivel em 27/08/2019
Código do texto: T6730375
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
ivanoterrivel
Campinas - São Paulo - Brasil, 74 anos
3726 textos (51537 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/19 13:51)
ivanoterrivel