Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sinto saudades

Precisava aprender, evoluir e Deus enviou-me ao mundo...
Conheci meus pais, aqueles ao que eu acredito escolhi e até hoje amei ter e conhecê-los a cada um na sua essência.
Nem tudo foi ou é perfeito, mas foram eles que me deram a vida e sou-lhes grata por isso.
Mas mais maravilhoso para mim, foi conhecer aqueles que foram seus pais e foram meus avós, os quais me fizeram menina muito amada e feliz... Minha infância foi rica devido a eles os quatro.
Claro que uns tiveram mais influencia do que outros.
Meus avós, eram uns velhinhos com olhos “gigantes” de amor e felicidade a dobrar, apesar da vida dura que tiveram que passar...
Dois tinham voz doce e mãos ternurentas e até ao fim das suas vidas praticamente só ganharam alguns cabelos branquinhos, e uma enorme vontade de Amar mais…
Os outros dois tinham voz mais grave, mãos mais ásperas devido ao trabalho árduo do campo, mas tinham coração mole.
Fui a primeira neta deles, e talvez por isso os meus avós, sempre fizeram parte da minha vida em diversas etapas da minha vida. Mas quando nasci e enquanto fui criança pequena, ambos estiveram muito presentes…
Eram maravilhosos, tanto os maternos quanto os paternos… Eram diferentes mas iguais no amor que me tinham.
Foram avós de passar carinhosamente a mão pela minha cabeça quando eu chorava ou estava triste…Dois davam-me afectos sem exagero, mas com conta certa, outros dois creio que me mimaram e amaram demais… Talvez, até todos me tivessem amado demais, mas eu só o visse em dois, ( meu avô materno e avó paterna) talvez porque o meu coração se inclinasse mais para eles, devido ao feitio e maneira de ser.
Nossos corações eram inerentes.
Meus avós, sempre me trataram com amor, explicando-me com esse amor que nem tudo o que eu queria eu podia ter, que tudo tinha seu tempo. Principalmente minha avó materna, mulher de forte riso e voz grossa. Cada palavra sua era uma ordem a cumprir.
Minha avó materna de nome Graça não demonstrava tanto os seus afectos, mas nem por isso era menos dócil, mas eu nunca a vou esquecer, porque vivi com ela uma parte da minha infância e ela foi minha avó/ama. Sei que ela tinha por mim um amor enorme, e eu vi isso quando ela “partiu” quando de mim se despediu…
Meu avô Daciano, marido de minha avó materna, era um homem doce e bondoso de coração, suas mãos compridas e esguias, quando agarravam as minhas pequeninas mãos , faziam-me sentir em porto seguro. Sentia que ele me devotava um amor enorme . Era um avô carinhoso, brincalhão e muito paciente para uma menina traquina e muito conversadora, assim era eu, sempre com perguntas durante o trajecto da escola casa e vice versa, sempre aos saltinhos e a correr.
Ele tinha orgulho em mim,e eu sentia isso. Quando ele me ia buscar à escola depois das aulas, e me perguntava quantos erros eu tinha dado no ditado, e eu lhe mostrava que eram zero erros e tinha nota "Muito Bom" ele abraçava-me e dava-me um beijo na face. Depois sentava-me no seu colo, dava-me as belas e saborosas bolachas baunilha para comer antes que a minha avó visse, e eu brincava com seu pequeno bigode farto,e cada vez que eu tropeçava seus beijos minhas lágrimas secavam. Eu adorava os seus gestos.
Amei muito esse avô e ainda o amo e amarei para sempre …
Meu avô paterno, era alto, bonito, de olhos azuis, seus afectos eram raros, porque assim foi criado, e quando recebia um beijo meu ficava alegre. Mas o que ele mais gostava era de contar histórias de encantar, e até sabia muitas e gostava de escrever versos, tinha uma letra que era uma beleza. Tomara eu…
Minha avó paterna era linda, de estatura pequena, tez morena queimada pelo sol, olhos doces, de voz meiga e carinhosa, e com mãos de amor … Era uma avó ímpar que tudo fazia pelas netas, dava sua vida se necessário, creio que estas palavras dizem tudo sobre ela… Era única… Não há nem haverá igual eu creio nisso…
Amava os quatro, mas meu avô Daciano e minha avó Alda, eram o motivo de me levantar e sorrir todas as vezes que eu soubesse que estaria com eles… Sempre quis ser o motivo do qual eles se orgulhariam, e creio que fui … Tive a sorte de poder ter estes avós, que foram uma dádiva de Deus! Foi felicidade e muito amor!
Foram momentos inesquecíveis!
Foram pessoas abençoadas na minha vida…
Fui afortunada, melhor fui ABENÇOADA!
Sinto saudades deles! Estarão sempre no meu coração!
MariaLuz
Enviado por MariaLuz em 26/11/2019
Código do texto: T6804526
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Compartilhar no WhatsAppCompartilhar
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
MariaLuz
Porto - Porto - Portugal
882 textos (14090 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/19 22:36)
MariaLuz