Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Esgarçamento

é um texto autobiográfico... dedicado a Rubens, Rosana e Renan, que talvez nunca o leiam. E acho que é por isso que o escrevo, porque tenho impossibilidade de confessar o que segue a eles e a mim mesmo.

Quando mais novo, ali com meus seis, sete anos; eu e minha irmã (à época) caçula, íamos para a casa de minha tia em muitos finais de semana, pois nossos pais trabalhavam.

Aqueles sábados e domingos que lá passávamos eram todos maravilhosos e posso dizer sem medo ou vergonha que era então que eu vivia a infância em sua plenitude. Eu me permitia brincar, rir, imaginar as coisas, ficar sujo, me permitia, enfim, SER criança. Aliás, todos nós éramos permissivos, deixávamos a vida correr por nossos corpos ávidos por diversão.

Entretanto, hoje, depois que ficamos grandes, que alguns de nós já têm até família e filhos ou, então, estudos e trabalho; agora que a gente não mais brinca juntos, a amizade e o elo se esgarçaram.

Tanto que, mesmo quando nos vemos na rua ou nas ocasionais reuniões de família, é de longe. Não há aproximação. Nossos linguajares e gostos nos afastam não havendo, pois, nenhuma troca de palavras. Também não há gestos.

A vida fez com que cada gesto se tornasse um (e)terno e tristonho adeus.

Ailton Augusto
Enviado por Ailton Augusto em 12/10/2007
Código do texto: T691685
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite nome do autor e o link para o original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ailton Augusto
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
60 textos (3111 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/17 16:56)
Ailton Augusto