Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

       Março  1913 - Agosto 2007 

     Mamãe foi descansar. Ela estava merecendo este descanso.    Nós filhos, Eu , a Jacira, a Jandira e a Nenem continuamos aqui enquanto lá ela está junto ao Pai  e com o nosso pai, com o Zeca e com a Rosinha. 
     Nós ficamos aqui ,  completando a missão que Deus nos deu. 
Fica a saudade e a lembrança. E no fundo , uma musica que, crianças, nos teatrinhos de casa, cantávamos no dia das mães .
Ela é a dona de tudo, 
Ela é a rainha do lar,
Ela vale,  mais para mim
Que o ceu , que a terra e que o mar

Ela  é a palavra mais linda
Que um dia um poeta escreveu
Ela é o tesouro que o pobre 
Das mãos do senhor recebeu ! 

Mamãe, mamãe, mamãe
Tu és a razão de meus dias
Tu és feita de amor e esperança.
Ai Ai Ai mamãe 
Eu segui o caminho e perdi
Volto a ti e me sinto criança
Mamãe, mamãe, mamãe
Eu me lembro  o chinelo na mão 
O avental todo sujo de ovo
Se eu pudesse eu queria outra vez mamãe
Começar tudo de novo !


A letra é  antiga e muito conhecida. E diz tudo !

Fulgencio
Enviado por Fulgencio em 22/10/2007
Reeditado em 24/10/2007
Código do texto: T705141


Comentários

Sobre o autor
Fulgencio
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 81 anos
229 textos (12705 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/03/21 09:15)
Fulgencio