Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTINHA SEM AMOR PARA O ARNALDO JABOR.

(in)digníssimo Jabor:

Vinte centavos realmente não são nada pra quem possui um histórico semelhante ao daquele personagem que vendeu o cara mais maneiro do mundo por trinta moedas de prata...

Vinte centavos não são nada pra quem quase se afogou nas ondas do Cinema Novo ao dirigir documentários e filmes que nem mesmo o senhor foi capaz de assistir até o final... Mas mesmo assim sempre viveu as custas da finada EMBRAFILME e dos miasmas do Glauber Rocha, o grande pajé do cinema novo...

O que são vinte centavos, para quem lucrou com o talento de Darlene Glória, a grande atriz que salvou o seu filme "Toda nudez será castigada" ? Não se iluda Jabor, as pessoas iam assistir ao talento de Darlene e não  sua leitura oligofrênica da obra de Nelson Rodrigues...

Vinte centavos não são nada para quem lambeu as solas dos sapatos do Dr. Roberto Marinho, implorando, pedindo e chorando para fazer parte da coleção de comunistas do Sr. organizações Globo.

O velho relutou, porém como já possuía uma coleção  formada pelos  melhores comunistas convertidos ao dinheiro, resolveu adquirir o senhor como uma peça exótica...

Dr. Globinho comprou uma deformidade para que seus convidados pudessem ver a diferença entre um comunista legítimo e um patife adestrado. Primeiro ele chamava o Dias Gomes... humor inteligencia e sobretudo honra. Depois o Dr. Globinho mandava chamar o senhor para lamber o chão em que o Dias Gomes pisara. Os convidados ficavam estarrecidos com a visão do sublime e do grotesco.

Mas dr. Globinho deixou que você se exibisse diante das câmeras... A classe média gostava, ria, achava inteligente... Porém um dia, na tua mentalidade de gerico que se pensava alazão, achou que podia tirar a máscara...

Você traiu justamente quem sempre gostou de ti: a classe média. Mas fica tranquilo, ninguém vai matar você.

Nunca daríamos a uma pessoa  como você a honra do martírio.

O povo já deu a sua sentença: o degredo na ilha do esquecimento.

Porque a classe média que tanto cantou com a Rita Lee "Amor é bossa nova, sexo é carnaval" agora está rezando assim "Deus me livre e guarde de você"...

Relaxe, aproveite o tempo para resolver suas neuroses freudianas, sua dúvida entre o amor e o sexo, e se puder goze... é bom e às vezes custa menos de vinte centavos.

Agora vai de retro satanás, os meus vinte centavos tu não tens mais...

Aproveitamos pra mandar lembranças ao General Figueiredo e ao Bento XVII.

Indignadamente...




DEHOLAMBRA
Enviado por DEHOLAMBRA em 16/06/2013
Reeditado em 16/06/2013
Código do texto: T4343707
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
DEHOLAMBRA
Guapimirim - Rio de Janeiro - Brasil, 51 anos
96 textos (28281 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/20 04:52)
DEHOLAMBRA