Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTINHA SEM AMOR PARA O ARNALDO JABOR.

(in)digníssimo Jabor:

Vinte centavos realmente não são nada pra quem possui um histórico semelhante ao daquele personagem que vendeu o cara mais maneiro do mundo por trinta moedas de prata...

Vinte centavos não são nada pra quem quase se afogou nas ondas do Cinema Novo ao dirigir documentários e filmes que nem mesmo o senhor foi capaz de assistir até o final... Mas mesmo assim sempre viveu as custas da finada EMBRAFILME e dos miasmas do Glauber Rocha, o grande pajé do cinema novo...

O que são vinte centavos, para quem lucrou com o talento de Darlene Glória, a grande atriz que salvou o seu filme "Toda nudez será castigada" ? Não se iluda Jabor, as pessoas iam assistir ao talento de Darlene e não  sua leitura oligofrênica da obra de Nelson Rodrigues...

Vinte centavos não são nada para quem lambeu as solas dos sapatos do Dr. Roberto Marinho, implorando, pedindo e chorando para fazer parte da coleção de comunistas do Sr. organizações Globo.

O velho relutou, porém como já possuía uma coleção  formada pelos  melhores comunistas convertidos ao dinheiro, resolveu adquirir o senhor como uma peça exótica...

Dr. Globinho comprou uma deformidade para que seus convidados pudessem ver a diferença entre um comunista legítimo e um patife adestrado. Primeiro ele chamava o Dias Gomes... humor inteligencia e sobretudo honra. Depois o Dr. Globinho mandava chamar o senhor para lamber o chão em que o Dias Gomes pisara. Os convidados ficavam estarrecidos com a visão do sublime e do grotesco.

Mas dr. Globinho deixou que você se exibisse diante das câmeras... A classe média gostava, ria, achava inteligente... Porém um dia, na tua mentalidade de gerico que se pensava alazão, achou que podia tirar a máscara...

Você traiu justamente quem sempre gostou de ti: a classe média. Mas fica tranquilo, ninguém vai matar você.

Nunca daríamos a uma pessoa  como você a honra do martírio.

O povo já deu a sua sentença: o degredo na ilha do esquecimento.

Porque a classe média que tanto cantou com a Rita Lee "Amor é bossa nova, sexo é carnaval" agora está rezando assim "Deus me livre e guarde de você"...

Relaxe, aproveite o tempo para resolver suas neuroses freudianas, sua dúvida entre o amor e o sexo, e se puder goze... é bom e às vezes custa menos de vinte centavos.

Agora vai de retro satanás, os meus vinte centavos tu não tens mais...

Aproveitamos pra mandar lembranças ao General Figueiredo e ao Bento XVII.

Indignadamente...




DEHOLAMBRA
Enviado por DEHOLAMBRA em 16/06/2013
Reeditado em 16/06/2013
Código do texto: T4343707
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DEHOLAMBRA
Guapimirim - Rio de Janeiro - Brasil, 50 anos
96 textos (24979 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/06/19 21:48)
DEHOLAMBRA