Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DE CORAÇÃO ABERTO

Sabe, não é que eu queira ser melhor do que ninguém. Porque não sou e não admito que pessoa nenhuma tente ser, mas infelizmente existem aos montes gente que pensa  assim.
Sou um ser humano que admiro outro ser humano pelo lado , ou melhor dizendo, por sua profundeza da sua essência.O que expresso que não são palavras bonitas para agradar pessoas,aliás, nem tenho assim gente em grande quantidade para tentar fazer bonito.
Me considero um ser solitário, contudo, falo isso sem o minimo de mágoa ou lamurias.Não, é apenas uma constatação. Atualmente me sinto um pré-depressivo , volto a repetir, não falo de minha situação como queixa da vida, não , somente me abrindo com você.
Achei interessante me expor, mesmo sabendo do perigo de você bater em revoada, mas pelo pouco que te conheço acredito que não isso não vai acontecer.
Pois é,esse pré estado depressivo em que me encontro , tenho consciência são resultados de várias fases de minha vida mal resolvidas.
Sabe, a quela que todos nós temos de uma forma? A minha é no sentido de achar e não me sentir pertencente ao nosso tempo,esse momento que ora vivenciamos. Loucura? Sim, porém, não uma loucura de prejudicar ninguém, é o que importa.
Já escrevi algumas crônicas no site do Recanto das Letras sobre esse meu apego ao passado, especificamente aos anos 80 e um pouco dos anos 70. Ah, não tem eu me desapegar com meus momentos interessantes que foi os anos 80, foi minha época de ouro. Tempo de faculdade, tempo das minhas grandes descobertas, principalmente intelectual, tempo das festinhas de faculdade , sempre com o intuito de arrecadar grana para um congresso qualquer, principalmente o SBPC (Sociedade Brasileira para  o Progresso da Ciência)
Mas será que foi essa maravilha toda? Claro que não, como você deve ter lido em minha autobiografia, o problema da minha deficiência física foi um entrave nessa felicidade completa que gostaria de ter vivido
 nessa época.
Não sei lhe dizer sinceramente se o grau de preconceito diminuiu ou se continua a mesma coisa nos dias atuais, contudo, o que importa agora? Estou velho, minha fase acabou, aliás, como tudo finda um dia.
Continuando, minha loucura,minha loucura, é uma loucura sadia,ela só afeta a mim mesmo, só eu viajo no meu mundo, me escondo , me transporto através das músicas. Esta frase não é minha, a música é uma droga a lugares inimagináveis. Até nisso sou um cidadão bem comportado, faço uso de uma droga saudável,não vou precisar das verbas do governo para me tratar das drogas ilícitas. Se bem, que as chamadas drogas lícitas fazem estragos terríveis, as bebidas alcoólicas. Ta vendo, nem mesmo a droga permitida , em que o governo e a sociedade dá seu aval eu não faço uso. Sou um néscio , não acha?
Não sinto aquele furor,aquela energia como sentia na minha época, não sinto falta de saídas, de viagens, mas tão somente trabalho, casa, de vez em quando um cinema, e olhe lá.
Já assistiu um filme chamado sem sem saída? É o meu caso. Bem, vou ficar por aqui, me sinto cansativo
inclemente
Enviado por inclemente em 15/04/2018
Código do texto: T6309148
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
inclemente
Salvador - Bahia - Brasil, 59 anos
763 textos (10796 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/04/18 16:46)