Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dois Idiotas

Somos dois idiotas reféns de nossas próprias escolhas. Trilhamos caminhos distintos, sentido a lugar algum.
Somos refém de nós mesmo, aprisionados em memorias profundas.
Eu sinto muito, tentei te esquecer, mas, parece que sou daquele tipo de pessoa teimosa, sabe?

Já faz tanto tempo e, mesmo assim, não consigo me acostumar com sua ausência.
_ Porque foi embora, levando minha paz?
Ninguém disse que seria fácil.
Mas, também, ninguém disse que era tão difícil assim.

_ Você me odeia e eu odeio te amar, também!

O problema é que quanto mais eu tento te esquecer, mais eu lembro de nós dois. E quando meus olhos expressam a falta que você me faz, me deparo com um menino em prantos diante de um espelho.

Eu to bebendo e, fumando também.
Eu to tentando esquecer daquele nosso tempo, em que a gente até pensava em casamento.
Mas, quanto mais eu tento, mais me lembro de você.

Queria mesmo é que inventassem logo a maquina do tempo. Só pra eu poder voltar e nunca te conhecer.
Más, enquanto não à inventam, eu fico no meu canto preso em nossos momentos.

E veja só que ironia, ontem mesmo nós falávamos em ter uma filha. Mais hoje, quem diria, nem se quer posso ter sua companhia.

É, eu sei; é difícil.
Quanto mais tentamos, mais perdemos o juízo.
E falando em juízo:
_ Onde foi que você deixou o seu?
_ Vive buscando outros beijos tentando encontrar o meu!

E esses beijos só te trazem mais lembranças, tipo quando eu te mimava feito uma criança.
Mas, tudo isso acabou; é que preferimos ouvir os amigos do que escutar o amor.

E sobre o amor:
_ Onde mesmo que ele se escondeu?
_ Você vive procurando o meu e, eu, procurando o seu!

O meu Deus. Oque está acontecendo?
Ou nos esquecemos de vez. Ou, eu mesmo, invento a maquina do tempo.

E depois dela inventada, eu volto ao passado, mas não para esquece-la, e sim, pra reviver cada momento lindo que vivi do seu lado.
E os ruins também; pois nem só de flores o amor é feito, tanto é que ele próprio ensina a amar até os defeitos.
Denison Sousa
Enviado por Denison Sousa em 11/07/2018
Reeditado em 11/07/2018
Código do texto: T6387413
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Denison Sousa
Tracuateua - Pará - Brasil, 25 anos
88 textos (1555 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/18 15:04)
Denison Sousa