Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A outra face do hormônio-Carta a Luiza

Querida Lulu,

   Recebi sua carta apenas hoje.Já me preparava para dormir quando minha mãe pediu para olhar se a revista semanal havia chegado.A boa diferença entre os entregadores pagos da Abril e os adoráveis aventureiros dos Correios é que a surpresa de sua correspondência  não veio acompanhada da decepção pelo estraçalhamento da mesma pelo cachorro,como ocorreu com mamãe.
  Impossível descrever como gostei de ler o que escreveu!Estava um bocado temerosa pois a última vez que nos vimos me deu uma sensação horrível de afastamento.Sabia que era reflexo do dia anterior àquele mas nem tinha idéia do que você estava pensando.A nós seria tão mais fácil se tivéssemos esse poder sequer por um dia,não?
   Estamos juntas há tanto tempo...cinco anos , um terço de nós.De fases-boneca,desenhos na aula de Português.Você e eu gritando pela escola,uma obstinação minha (até hoje lembrada) de mudar seu apelido para “Lulu” porque “Luluzinha” é coisa de criança e não cabia mais nos nossos super maduros doze anos.Uma crise nos separou certa vez.Coisa de ciúme,eu acho.Tão importante que quando nos re-unimos por causa das aulas de ballet ,nenhuma de nós soube lembrar o motivo.
  Crescemos e os conflitos cessaram.Aprendizado mútuo.Uma de minhas melhores amigas.A confiança é completa, os bons votos , intensos...
  Adolescência,agora.A palavra ,oriunda do latim,significa adoecer.Como um câncer que se trata sozinho:tudo é mais produzido que o normal.Idéias,hormônios,sentimentos.E cabe à criatura mais inexperiente da raça humana controlar tudo isso junto com a cobrança recebida pelos que a considera adulto e com  a doçura pedida pelos que a vêem  como criança.Nem a colher de chá de uma máquina do tempo para retroceder ações feitas em tempos de confusão mental nos é dada!Ou seja,aprendemos o  crescimento à força na reflexão sobre os erros do passado e na tentativa de aplicação dela no futuro.A amizade é fundamental nesse caminho.Muito melhor é agir na consciência de que haverá um apoio perene,independente do erro ou vitória.
  Penso em nós duas nessa relação simbiótica,uma servindo de degrau para a outra,constantemente.A paisagem mais emocionante de Natal só existe por isso:duas árvores,   fracas demais para suportar o vento e o calor sozinhas,uniram-se e há mais de século já estão lá.É possível ver nitidamente o esforço que fizeram para adaptarem suas raízes(tão diferentes e distantes) e enlaçarem seus caules (tão “desuniformes”),o que torna ainda mais bela a vista.De arrancar lágrimas de vivacidade...
Não precisamos que a vida seja um DVD para podermos consertar algo que não julgamos certo,Lulu.O amor se encarrega do perdão daqueles que realmente a ti importam.Basta-nos refletir,assim como você fez,e tirar proveito de nossas conclusões para ocasiões futuras.Te dou todo o meu perdão,se é assim que quer que eu chame essa ternura límpida cheia de som e sorriso.E digo-lhe que a ti dá-lo-ia todo ,mesmo se não pedisse:a verdadeira amizade transcende acontecimentos.

No mais,obrigada por tirar de mim o medo do “se-parar” pela carta.Perder um laço tão belo por  motivo tão hormônico,isso sim seria tolice para nós!
Um beijo enorme e perspectivas ainda maiores de vê-la o quanto antes.
Sinceramente,

Renata.
Aléxia Machado
Enviado por Aléxia Machado em 05/09/2007
Reeditado em 07/11/2007
Código do texto: T640473

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aléxia Machado
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 26 anos
54 textos (6468 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 14:03)
Aléxia Machado