Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O JOGO DE FINCA

               O JOGO DE FINCA

               Esse vem lá dos recônditos de minha infância. Basta passar uma chuvarada principalmente as de madrugada que ao surgir à manhã orquestrada por um lindo sol, que a gurizada caia de casa cada um com sua finca, uma haste de metal com uma das pontas afiada a fim de penetrar a terra molhada.
               As regras básicas são negociadas ao inicio do jogo e podem ser disputadas agachados aos novatos e wm pé aos veteranos.
                Nos locais onde a água é sugada pela terra fica uma camada macia com resistência suficiente para aceitar a finca e deixa-la em pé.
                Surge até apostas, aquela bolinha de gude contra o seu pião ou a caixa de engraxate contra o aro com o gancho guia ou as figurinhas repetidas . Tudo servia para as apostas.
                Havia no inocente brinquedo um risco uma pedra ocultada por debaixo da terra poderia ricochetear a finca e desvia-la para o rosto de algum garoto. Se falava que fulano cegara com essa brincadeira, excesso de zelo de mães preocupadas.
                Fazia-se um triangulo desenhado na terra e cada jogador, até três começa a contenda. Cada um utilizando uma ponta do triangulo, consiste em jogar a finca e puxar um risco até o local e os outros jogadores fazem o mesmo tentando cada um cercar o outro até que o nível de dificuldade da cerca não permite que os outros contendores consigam sair do cerco, só vale progredir em linha reta.
                Quando não tem mais saída o que cercou o jogo atira a finca no centro do triangulo fazendo um risco da última linha ao centro da mesma.
                 Havia os campeões mais eles eram preteridos de participar das partidas ou quando muito jogar com a mão contraria, ou seja, se era destro jogava com a mão direita e se não com a mão cega, à esquerda.
                 Difícil de explicar muito barato participar.

                 Goiânia, 12 de dezembro de 2009.

 

jurinha caldas
Enviado por jurinha caldas em 15/12/2009
Código do texto: T1979141

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jurinha caldas
Goiânia - Goiás - Brasil, 76 anos
6210 textos (464448 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/01/19 08:39)
jurinha caldas