Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

***AMOR QUE CEGA***

***AMOR QUE CEGA***

Venham todos vocês participar da minha primeira ciranda, essa ciranda foi inspirada no acróstico da minha amiga Silvia Regina Veríssimo foi comentar e acabei pensando nesta ciranda.

Amor que cega
Amor que liberta
Amor que aprisiona
Afinal que amor é esse?

Com a palavra os poetas do Recanto:

Dominique

Amor que cega... Que se guia pelo toque
Amor que enxerga somente o querer
Amor que pra valer é capaz de um retoque
Amor que não pede pra nascer só quer acontecer!
Amor capaz de defender mesmo sendo indefeso Amor que deixou meu coração preso!

27/10/2008 - 12h43
___________________________________________________________

Rejane Chica

Amor que cega
Não me deixa ver
Perco detalhe
Que tentam se esconder...
Mais tarde acordo
Caí na real
Já to "esfolada"
É ponto final!!!

Só pra brincar um pouquinho com essa bela idéia da ciranda, Zé! Um abraço, Chica

27/10/2008 -12h20
___________________________________________________________

Silvia Regina Veríssimo

Amor que entontece... Aprisiona meu coração que fica sempre carregado de emoção... Não quero mais nada só a mais doce inspiração... Beijos

27/10/2008 -10h06
___________________________________________________________

Juli

Bom dia! É um tema que me mobiliza.
AMOR que Preenche
Completa... Acolhe
Que nos torna humanos. Beijo poesia

27/10/2008 - 09h17
___________________________________________________________

Silvia Regina Costa Lima

O pior erro que se carrega
é aprisionar um sentimento
Amor que não eleva (e cega)
não é Amor, é puro desalento

27/10/2008 – 18h11.
___________________________________________________________

Anne Lieri

Oi Aprigio!
Gostaria de participar dessa ciranda com uma trovinha:

Amor que encanta
Na ciranda do José
Alma de criança
Puro samba no pé!

27/10/2008 - 16h53.
___________________________________________________________

Tonha

Olá colega!

Amor que cega...
esquece a razão,
se entrega de corpo e alma,
com muita emoção;fica feliz,
sorri,canta e encanta,
esquece os problemas,
ouve a voz do coração.

Abraços!

27/10/2008 22h01.
___________________________________________________________

Jair de Oliveira

Amor que tem eterno sabor.
Amor que tem o perfume divino.
Amor que dá prazer ao invés da dor.
Amor indefinível que nos transforma em menino.

28/10/08 - 02h40
___________________________________________________________

Maria da Glória Perez

Que delícia a sua ciranda! Vamos ver...

"Amor, fulminas a alma
Queima, arde e me inflama.
Juntos, furor sem calma
Longe, a paixão me chama.”

“Dói o corpo se estou perto
Longe dói meu coração
Minh'alma cresce e se aperta
São cordas de um violão.”

Obrigada e um enorme abraço!

28/10/2008 - 21h40
___________________________________________________________

Rose Scheffer

Parabéns por tão especial ciranda!
É uma verdadeira manifestação de amor, harmonia e amizade!
Carinho sempre, Rose.
28/10/2008 - 20:50
___________________________________________________________

Silvanio Alves

Olá, poeta, parabéns por sua primeira ciranda!

“Amor que cega
coração espera
da alma escorrega
leva a caminhos belos
faz o sorriso nos lábios brotar
e de saudade faz a alma esperar! “

Bom dia!

29/10/2008 - 10h43
___________________________________________________________

Rose Scheffer

Amor que enxerga com os olhos da alma e do coração... Quando pergunta: o que posso fazer por você?

29/10/08.
___________________________________________________________

Fábio Brandão

O amor é cego
O amor incondicional é cego,
Ao próximo quer se dedicar.
Não olha apenas para o próprio ego,
O amor simplesmente exerce a função de amar.

Contagem/Mg
O1/11/08
___________________________________________________________

Marco Oliveira

Este amor que reside na alma
insensato por vezes, mas tão interessante.
Amor cego que se vê na calma
do amante e amado, um alento intrigante.

Marco Oliveira
15/11/2008 14h33.
___________________________________________________________





JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Enviado por JOSÉ APRÍGIO DA SILVA em 27/10/2008
Reeditado em 15/11/2008
Código do texto: T1250395

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 61 anos
1922 textos (183250 leituras)
1 áudios (52 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/04/21 20:41)
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA