Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Plagiador

Plagiador
Guida Linhares
 
Em teu mundo árido os ventos sopram
as mil vozes dos escritores corajosos,
que deitam sonhos em letras que choram,
tanto de tristeza, quanto de alegria ciosos.
 
E estes são como estrelas brilhantes,
que habitam o céu nas noites claras,
consagrados no coração dos amantes.
Cristalizados no tempo, são jóias raras.
 
Mas tu, plagiador de estirpe baixa,
que rasteja em busca da inspiração,
tua pobre pena em nada se encaixa,
então surrupias escritos, és um ladrão.
 
Os grilhões da cadeia te fazem inativo,
és prisioneiro da escuridão inglória,
teu destino é vagar como ser improdutivo.
No mundo das letras, não farás estória.
 
Santos/SP - 24/09/07

***

CIRANDA ...PLÁGIOS

(Ciranda iniciada em 16/09/2007)
MAIS UMA LINDA CIRANDA   ....COM UM TEMA SÉRIO E IMPORTANTE !!!! COM ESSE LINDO DUETO, NOSSOS QUERIDOS POETAS HUMBERTO RODRIGUES NETO (HUMBERTO-POETA)
& MARCIAL SALAVARRY DERAM INÍCIO ESTA BELA CIRANDA  E CONVIDA A TODOS OS QUERIDOS POETAS, PARA FALAR  SOBRE.... "PLÁGIOS" !!!!!....VENHAM POETAS...ESPERAMOS POR VOCÊS!!!!!!! ESTA CIRANDA SERÁ HOSPEDADA NO SITE  ARTE E POESIA, ENVIEM SEUS TEXTOS PARA O ENDEREÇO ABAIXO.
                 tekanascimento@tekanascimento.net
COM CARINHO...SEMPRE!TEKA NASCIMENTO
                     http://www.tekanascimento.net

PLÁGIOS
Humberto Rodrigues Neto
 
Há poetas que vivem no ostracismo,
mas julgam-se a si próprios magistrais,
e em tábidas manobras imorais
fazem do plágio seu falaz lirismo.
 
Surdos à lei e às convenções morais,
entregam-se da inveja ao fatalismo,
essa filha bastarda do egoísmo
que tantos danos à poesia traz!
 
Por falha herdada de um viver pretérito,
pouco lhes toca que um poema ultrajem
pra disfarçar seu crônico demérito!
 
Mal sabem os medíocres que assim agem,
que a inveja é até uma forma de homenagem
que prestam, sem saber, aos que têm mérito!
 
&
 
POBRE GENTE SEM TALENTO
Marcial Salaverry
 
Pobre gente sem talento,
cujo único pensamento,
é criminosamente copiar,
o que outros estiveram a poetar, ou a formatar,
usando de sua capacidade,
para distribuir a felicidade
ou até mesmo a dor, ou a saudade
de seu talento poetal,
do seu talento artístico,
que lhe flui de forma normal...
Ficamos tristes quando vemos
que aquilo que escrevemos,
ou então que formatamos,
nos é subtraido sorrateiramente,
por alguém que somente
sabe copiar, plagiar, modificar, estragar,
sem capacidade para poetar,
e nem para formatar...
Causa profundo desalento
ver essa gente sem talento,
e sem nenhum sentimento,
usar esse mesquinho proceder...
Se não sabe escrever,
não sabe formatar, ou fotografar,
e quer a alguém com um poema brindar,
basta o nome do autor respeitar...
Use nossas palavras,
nossas figuras, nossas fotos,
mas não roube nosso talento,
nem modifique o que fazemos...
Fica melhor pra você...
Até deixei de rimar,
pra quem sabe, você entender
que não deve mais plagiar,
e nem tampouco mal copiar,
aquilo que artistas fizeram com arte...
 
**********
03-Plágios !
 
Mãos que pintam outros rostos
no próprio rosto sem dar satisfação
com profundo mal gosto
palhaços da vida  sem vida
 como fossem artistas
nada mais são que malandros
sem imaginação , profissão
não merecem perdão, sim prisão!
 
16/09/07
Maria Thereza Neves
*****
04-PLAGIO
Ilze Soares
 
Se as pessoas tivessem noção,
do quanto doi no autor,
ver seu trabalho ser alterado,
repassado sem autoria
ou plagiado,
sem nenhuma consideração,
talvez pudessem deixar
esta prática de lado!
Cada um tem um talento,
alguns sabem cantar,
outros compõem músicas
belíssimas,
muitos sabem poetar,
nos versos colocar
o que lhe sai do coração...
Mesmo sem ter talento
para nenhuma arte,
cada um tem algo especial,
que o diferencia do normal.
É so procurar
e tentar lapidar,
aquilo que melhor saiba fazer,
para se destacar
sem precisar copiar de ninguem.
Voce quer escrever?
Pois escreva tambem,
deixe as palavras sairem
da sua maneira,
transmita a sua emoção...
Mas nada de plagiar
o que alguem
soube tão bem
nos passar!
**********
05-PLÁGIOS
Lairton Trovão de Andrade
 
O plagiário é caricato
que no mundo se repete;
é escritor co´a mão do gato
é pintor que pinta o sete.
**********
06-O PLAGIADOR
Mário Osny Rosa
 
Esse tal plagiador
Um mero copiador.
Pensa ser um autor
É grande usurpador.
 
Nunca tem respeito
Pensa ser um poeta.
E logo estufa o peito
Vive pregando a peta.
 
Acha que faz bonito
Copiando outros escritos
Ser Autor Desconhecido.
 
Seja um bom leitor
É lendo que se aprende
A respeitar o autor.
 
São José/SC, 16 de setembro de 2.007.
**********
07-ASSALTO!
Efigênia Coutinho
 
Assaltaram a minha inspiração
Mãos ao alto! Devolva minha emoção
Policia!...lá se vai meu coração...
Plagiaram minha grande paixão...
 
Quero punição, não escapa ilesa
Tanta confusão que fiquei indefesa
Policia!...vou na contramão, dobro
a encruzilhada e mudo de mão...
 
Foi assalto, plagiaram minha emoção!
Quero de volta minha inspiração!...
 
Balneário Camboriú
2007 Setembro
**********
08-Plágio
Tarcísio R. Costa
 
Nada mais vil
do que subtrair
de outrem uma criação...
 
O ignóbil plagiador
não tem consciência,
se a tem é conspurcada,
É um ser sem inspiração,
Vive à contra-mão da verdade,
Vive num mundo de ilusão,
Na verdade, é um ladrão...
Sem capacidade...
 
O bom da vida são as boas ações
que ficam nas nossas almas
arquivadas eternamente...
Guardar mentiras
nesse sacro arquivo,
 é ignominioso, uma maldade!
 
Nada mais incoerente
do que ir de encontro à inconsciência
 e à verdade,
além de uma improbidade,
é indecoroso e uma indecência...
 
Como é feio roubar a coisa alheia!
Para esses plagiadores
Merece um fedida cadeia!
**********
09-Plágio
 Thereza Mattos
 
Pessoas sem  muito talento
ladrões silenciosos de inspiração
não sabem esperar o momento
de deixar falar e ouvir seu coração!
 
Não sabem sentir,
não sabem amar,
ignoram toda beleza
que existe  no amor
em plena natureza,
na harmonia da cor
nas flores e sua singeleza ...
 
Não tem a sensibilidade
de caminhar em prateadas areias
e ver a imensidão do mar,
no sangue correndo pelas veias
sentindo a suprema felicidade
de ser amado e amar....
 **********
10-Plágio
 
Onde não há
algo acontece
como se existisse...
 
Priscila de Loureiro Coelho
**********
11-PLÁGIO? NEM PENSAR!
Antonio Cícero da Silva
 
Plagiar é subtrair dos outros a criação
é escuridão na alma, por não possuir
uma boa inspiração.
O plágio é cópia infiel, é espelho apagado.
Por que plagiar? Bem melhor não é reciocinar?
Mas pensar positivo, criar e divulgar, através
das próprias inspirações.
O plágio é desvio, apropriação do alheio,
é ferimento as leis e as criações alheias
e por que não dizermos, que é um estelionato,
um roubo?
Que coisa feia...
vamos então; pensar, imaginar e pessoalmente
criar...ai sim, parabéns!...
**********
12-PLAGIOS
Naidaterra
 
O plagiador respira a inveja,
se alimenta momentâniamente
das emoções alheias...
Lamentável...
 
Esquece ou ainda não sabe que
somente a sutileza alcança as esferas
mais sutís, moradia eterna dos
poetas que amam a arte...
 
Sentimento fútil, inútil e ilusório,
não sobrevive à essência da poesia,
não sente o vento, o mar, as estrelas
e o luar, pois, ignoram a mesquinharia...
 
Mas não viverá o segredo do momento
poético, a magia da inspiração permanece,
é um eco único no universo, o resto, perece...
 
Nada sabe sobre o real valor de uma poesia
soprada por uma alma que se alimenta de emoção...
Nunca verá o horizonte com seus próprios olhos.
**********
13-À QUEM PLAGIA
Sá de Freitas
 
Plagiar é um demonstrar de indecência,
De quem quer ser o que não poder ser;
É um ato vil de quem não pode ter,
Daquele de quem rouba, a competência.
 
O plágio é mais que um crime, é uma baixeza,
Um gesto de quem honra alguma, tem;
É a marca de quem sonha em ser alguém,
Mas nem caráter tem, nem tem nobreza.
 
Um poeta de escol jamais plagia,
Porque sua alma é feita de poesia,
E  inspiração jamais lhe faltará.
 
Mas você que se apossa de um poema,
Mesmo de um verso só, mesmo de um tema,
Poeta nunca foi... nunca será.
**********
14-Plágios!!!
Schyrlei Pinheiro
 
Assunto maçante,  fonte inesgotável da falta de respeito,
que agride o feito original, ou um retrato fiel do que somos,
sem querer sermos, chamados de fraudes,
na escala da reprodução natural.
 Em verdade, nada se cria, tudo se copia,
à partir de um ponto comum:
falar de amor em versos, reproduzi-lo entre linhas,
ou, nas telas, o sentido.
Cantar uma canção, já vista no ar,
copiando o som, expresso, ou impresso
entre ditos e  palavras,
vendo a verdade vestida de cores ou fantasias;
sentir no calor na pele, o gosto único do prazer,
ou da lágrima, que respira, e seca no mesmo ar,
ao sentar-se em uma bancada escolar;
viajar de um lugar para outro,
ao entrar no mundo dos sonhos.
 Será que, ao colher com o olfato
o extrato das flores,
também seria, ua forma de  plagiar o perfume?
Vejo  no autor, totalmente desconhecido,
o mérito, de quem nunca se preocupou em assinar seus feitos,
e, por tantos, ser completamente ignorado,
sem o ser reconhecido no retrato.
 Entretanto, suas cópias vivem em guerra,
por pontos que não fazem a menor diferença.
O que, afinal de contas, seria meu, teu, ou nosso, de  fato,
 se apenas misturamos tintas,
desenhamos sobre o papel pontos comuns,
de um total abstrato,
se queremos deixar, de nós,  fluir uma gota bonita da vida,
 pincelada na arte de ser,
 por que  temos que perder tanto tempo
escutando os jugos incertos do eu,
acusando o outro, que não construiu, não viveu,
não sentiu, não concebeu,
apenas em seu  eu, pegou a gota da ilusão
e a vestiu por uma  vaidade que vai feri-lo.
À sós, ele amargará tristezas,
ciente que não  pode gerar uma cópia autêntica do seu viver.
Por si só, o plagiador se fez um eterno condenado,
tão insignificante, que não merece ser discutido
 e propalado no vento, confundindo a razão
 de quem a tem como direito outorgado,
assinado e carimbado pela certeza do seu feito.
Este  existirá, e sempre  será abençoado.
 O tempo fala, canta, mas não apaga da sua história
o impar direito, que credita a cada fato,
um  fator indiscutível.
**********
15-PLÁGIOS
Manuel Jorge Monteiro de Lima
 
Oh Humberto porquê não és ainda imortal?
Pois teus versos são de um lirismo sagaz,
Sei eu quando por teus versos és capaz
De sacudires um falso, um poeta marginal.
 
Sacode esses bastardos imitadores de uma figa,
Que se orgulham do produto de seu plágio,
Furtam o direito de outrem, em seu estágio
De mediocridade , de inveja  e de intriga.
 
Que mérito pode o plagiador, esse infeliz,
Que se vangloria de uma obra que não é sua?
Que prazer? Que vã glória na falcatrua?
Vã ilusão. Vã inspiração. Falso verniz.
 
Por que escrever paginas de descaminho?
Das letras mortas de decadente merecido
Que jaz no ostracismo pela vida sem sentido.
 
Canta o verso sussurrado a nos ferir o ouvido,
Plana no vácuo da mentira, no burburinho,
Na arruaça de uma cabeça em desalinho.
**********
16-Um dia a justiça chegara...
 Ary Bueno [ O Príncipe dos poemas e do amor ]
 
Fala " mano" aonde vamos agir desta vez?
Ora"mano" no Blog da " mina "Maria Inez
E assim, os "rackers "  estes bandidos virtuais
Atacam na calada da noite, traiçoeiros animais
 
Não tem eles capacidade, para poesias, vir a criar
Então se aproveitam, das falhas, para poder agir
E nós pobres e inocentes vitimas, podemos gritar
Podemos denunciar, que ninguém a eles vão punir
 
E os crimes virtuais, aumentam de modo assustador
Não se tem respeito, pelo artista de espirito criador
Mais dia a de vir com certeza meus amigos poetas
Em que se fará justiça, e terão fim estes pobres patetas
 
Não sabem eles o que fazer, pois não tem inspiração
Não tem inteligência dentro de si, nem amor no coração
Portanto, ficam neste plágio virtual, sempre a margem da lei
Mais um dia se fará a justiça, quando? Bem...isto não sei.
**********
17-PLÁGIO
 Clara da Costa
 
De acordo com o dicionário da Língua
Portuguesa, PLÁGIAR quer dizer:
"Apresentar , como seu, trabalho literário
ou científico, copiado de obra alheia;
copiar, reproduzir, fazendo passar por
original;
imitar servilmente (trabalho de outrem)".
 
Fica bem claro que Plagiar é se apropriar
de algum tipo de trabalho alheio, seja na arte,
literatura ou ciências.
É melancólico assistirmos o que acontece,
a cada dia mais, pessoas se apropriando do trabalho
de outrem...
Vejo arte, em qualquer de suas ramificações,
algo pessoal... que vem da alma do artista...
No seu poetar, o poeta expõe, o que vem do fundo de
sua alma...
O formatador, com todo carinho, enfeita este poetar,
tendo o cuidado de fazer um cenário que convém ao
sentimento que o poeta exprimiu...
Tanto poetar como formatar, são feitos com carinho,
amor e uma entrega emocional...
Nesse sentido, o agressor e o agredido, seriam o próprio
plagiador...que usou de um sentimento alheio, que se apropriou
de um momento poético, de um momento de arte, de outra pessoa..
Só nos resta lamentar tal atitude...
Porque há espaço para todos...e todos nós , temos talento para
a ação de criar...Prá que copiar?
********
18-ESCRITORA BURRA,
ESCRIVINHADORA GENIAL!
Renate Emanuele
 
À você que é amiga ou amigo
Agora vou dizer como me sinto
Visando meu próprio umbigo
Falando verdades, não minto
Gosto e sempre que falei isto
Como escrevem as crônicas
Palavrões entre todos insisto
São apenas palavras irônicas
 
Seriam agressões, desacato
Ditas a alguém diretamente
São, no entanto, o desabafo
De algum escritor eminente
 
Fica bem na crônica na verdade
Quem as usa no momento certo
Um deguste real sem maldade
Destes pensamentos em aberto
 
Pior quem rouba a poesia alheia
Não merece confiança de ninguém
Igual rouba e deve ir para a cadeia
Aquele que apóia o falsário também
 
Escrever não é para qualquer vil
Mesmo que seja um bem letrado
Precisa sim ter sentimentos mil
Amar, ser e ter sido muito amado
 
Um ilustre da net, sei lá, um porra
Como criticando poesias banais
Me designou uma escritora burra
Por causa dos erros gramaticais
 
Nas poesias o que mais importa
É o que se escreve com emoção
Com a letra feia, errada ou torta
Mas coisas que vem do coração
 
Nunca me designei uma escritora
Eu sou na verdade e com louvor
Sou somente uma escrivinhadora
Dos meus sentimentos de amor
 
Falei e esta dito!!!
**********
19-LADRÃO DE ALMAS
(PLÁGIO)
Carmo Vasconcelos
 
Se és mulher, podes livremente plagiar
As minhas vestes, meus adornos, as pinturas
Copiar, até, meus requebros, formosuras
Quiçá, meus gestos sedutores imitar
 
Se és homem, plagia meu corpo em tuas mãos
As minhas mãos no teu em decalque perfeito
Te oferto sem relutância esse direito
Fazeres de teus dedos falsos artesãos
 
De todo o corpóreo te cedo a mais valia
Que ele nada vale, como tu, que em cobardia
Ousas roubar do poeta a inspiração
 
Mas o que brota da minh’alma te recuso
E sem piedade, ladrão de almas, te acuso
Plágio impune da minha poesia, não!
 
Lisboa/Portugal
17/09/2007
**********
20-PSEUDO POETA
Ceres Marylise
 
Não te importa plagiar,
vil poeta imitador,
Enganas teu coração
e ao teu humilde leitor.
 
És um plagiador de idéias,
falso escritor e profeta!
Fazes xerox de sonhos,
ó triste e pseudo poeta.
 
Espero que pela vida
recebas tua recompensa,
autor vazio, de mentira,
cura esta tua doença!
**********
21-USURPADORES
Lucia Amberget.
 
Infelizmente, desde a criação
a inveja começou:
A primeira foi de satanás
com inveja da criação e da criatura
que Deus formou.
Enganou Eva que levou Adão
a cair na tentação...
O resultado foi à expulsão
do lindo Jardim...
Não só Adão, Eva e a serpente
como todos que ali estavam...
O jardim foi lacrado!
Do pecado nasceu Caim e Abel.
A inveja de Caim foi tão grande
que matou seu próprio irmão.
E em tantas e tantas invejas
chegamos ao rei Saul que sentiu
 inveja de Davi, e o perseguiu durante
muitos anos!
E assim veio crescendo entre tantos
até que chegamos em Judas
que traiu Jesus porque queria ser como Ele.
Mas, a inveja maior foi de Anás e Caifás
os articuladores de todo o plano.
Chegamos a nós poetando
com tantos nos invejando e puxando nosso tapete...
É cada tombo!
Levantamos, levantamos e continuamos!
Não satisfeitos com o puxar do tapete
agora usurparam nossos poemas
que como filho tiramos de dentro de nós
expondo  para quem precisar aprender  sobre
amor, fé, compreensão, atitude, bondade, misericórdia ...
Que nossos poemas transmitem aos que precisam.
Por causa das intenções tão maliciosas
os plágios são tão vergonhosos
que o usurpador respira serragem.
Não podemos parar!
Temos que continuar a poetar
com todos os invejosos a nos rodear.
 
Macaé,17/09/2007.
*******
22-Plágio
Olhos De Lince
 
Plagiar é desrespeito
é querer a si próprio enganar.
Não plagie, você não tem o direito
de um poeta magoar.
 
Poesia nasce na alma,
enraiza-se no coração.
O poeta com todo sentimento
extravaza sua emoção.
 
Se você não tem o dom de escrever,
procure outra coisa pra fazer
usando sua própria imaginação,
mas não roube do poeta a inspiração.
**********
23-RAMIFICAÇÕES DE UM PLAGIADOR
Jorge Humberto
 
Quem se serve de trabalho alheio,
Não colhe fruto algum; ser banal,
Que se aproveita do sinuoso meio,
Fazendo-se valer de todo o mal.
 
Roubando dos outros toda a mestria,
Em ladrão se torna e à sua conduta;
Sem repararem, contudo, que havia,
Dos outros, uma fácil permuta.
 
Assim libertos de todo o mal, copiam,
Sem pudor algum, o que é dos outros;
Com sua arrogância letras espargiam.
 
Mas o que eles não sabem, a ninguém
Falta; nem a humildade nem doutros
A ciência; presente exclusivo de alguém.
 
 17/09/07
***********
24-Plagiadores?
Helô Abreu
 
Seres já cansados?
Ou apenas de idéias poucas,
reduzidos,
inconformados,
 
Não querendo permanecer calados,
 
Querendo ser o outro,
 
Que no fundo admiram
 
Mas sentindo-se incapaz
 
Se sentem desenganados,
abandonados,
sem inspiração,
sem musas, nada dizem,
 
Copiam
dos que sentem esta emoção...
dos que comungam,
 
Dos que morrem cada dia, um bocadinho?
 
Os plagiadores todos os dias,
solitários que são,
 
Sendo incapazes
 
De expressarem o que  sentem,
dor, ansiedade, carinho amor,
 
Copiam sem pestanejar
palavras,
 
Dos que sabem com as palavras
 
Amenizar o sofrimento,
da que a que morte sabe cantar,
Estes vilampiadores sofrem,
 
Ou têm medo de ousar
por isto estes pobres seres
 
Copiam
 
Sem nem mesmo se envergonhar...
**********
25-O plagiador
Eugénio de Sá
 
Anacronismo puro e execrando
Que nega o original ao seu autor
O plágio é dos males o mal maior
Pois brota de quem cria invejando
 
E assim o medíocre se projeta
Num mundo que não pode ser o seu
E que cedo lhe extingue o apogeu
Mostrando-lhe o caminho da valeta
 
Incapaz de assumir os vis desmandos
da sua obsessão persecutória
rumina, moí, injurias recalcado
 
Até que finalmente derrotado
Apontado por todos como escória
Se esconde qual ralé, dissimulado.
**********
Guida Linhares
Enviado por Guida Linhares em 25/09/2007
Código do texto: T667699
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Guida Linhares
Santos - São Paulo - Brasil, 71 anos
1989 textos (163698 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 20:57)
Guida Linhares

Site do Escritor