Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma História sem fim parte 2

3 dias depois; estávamos no cinema e depois na sorveteria, eu não tinha dinheiro e ela simplesmente pagou pra gente, dessa vez foi a oportunidade de termos nosso primeiro beijo: e aconteceu? Não. Quero contar com mais detalhes: Chegamos no cinema com antecedência e ficamos conversando. No escuro, o filme passando, eu coloquei minha mão sobre o assento dela e depois de alguns minutos retirei, e ela logo em seguida colocou a mão dela sobre o assento. Era minha oportunidade, em questão de segundos eu planejei tudo na minha cabeça. Iria colocar minha mão sobre a dela e depois tentaria um beijo lentamente. Mas nada disso aconteceu; ficou tudo na minha cabeça. Simplesmente, minha mão paralisou, que coisa mais ridícula de se contar. Não sei o que me aconteceu, veio uns pensamentos na minha cabeça, e se ela não quisesse? Hoje eu penso foda-se, eu estaria pensando que eu pelo menos tentei, e não porque eu não tentei nada. E pior, outra possibilidade que me afligem mais, eu teria dado um beijo nela. “ Atitude, esse é o ponto: “ eu penso que a partir daquele momento ela pensou, esse cara só quer amizade, não quer nada a mais”. Quem mandou ser um cara sem atitude, só fica conversando…. o que que tem? Gosto de me expressar em palavras, assim como eu estou me expressando nesse texto. Gosto de expressar sentimentos através das palavras. Mas só palavras não irá resolver as coisas, você queria ser um conselheiro, um amigo? Pois você  conseguiu. A caminho da sorveteria encontramos no ponto de ônibus, uma amiga dela, gente boa. “ Pensei que poderia ser uma aliada no futuro. Futuro esse que pode ser que não exista mais.” Quando estávamos na sorveteria ela disse que ia viajar no dia seguinte, e que não poderia ir para o apartamento aquela noite, eu falei que tudo bem, e fiquei lá saboreando aquele sorvete, e cheguei a perguntar sobre o ex dela. “ Você merece ficar sozinho mesmo em Carlos. Perguntar de ex?” Acompanhei ela novamente até o ponto de ônibus, tava frio e eu pedir que ela me desse um abraço pra esquentar. Que abraço quente, abraço de alguns instantes até o ônibus dela chegar. “ Pronto é isso que você tem pra lembrar? Você poderia está se lembrando do beijo de vocês que não aconteceu” .

Na mesma noite, ela disse que iria no apartamento de novo pela manhã para se despedir,
quando ela chegou, conversamos durante 40 minutos depois ela se despediu e no dia seguinte ela foi viajar.








Carlos Daniel de Sousa Rocha
Enviado por Carlos Daniel de Sousa Rocha em 26/03/2020
Código do texto: T6898053
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Carlos Daniel de Sousa Rocha
Itapetinga - Bahia - Brasil, 20 anos
8 textos (60 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/03/20 21:02)