Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ASSIM COMEÇAVA O AMOR

ASSIM COMEÇAVA O AMOR

Sol de primavera,
Calor de verão,
Vento de outono,
Tudo de uma vez naquela tarde de inverno.
Foi num clima desses que ao pé de manjericão,
Nasceu o amor de Rodolfo e Priscila.
Um olhar com jeito de inocência
Saía dos olhos daquela trigueira menina.
Um vestido de godê cor-de-rosa com algumas listas brancas,
Sandálias de coro cru nos pés empoeirados daquelas terras,
Um lacinho de tira cor de abacate prendendo seus lindos e longos cabelos castanhados.
E aquelas lindas e meigas mãos transportando apenas um anel,
Segurava firme o tronco daquela imponente árvore naquele campo aberto de Asas novas, enquanto ouvia as palavras meio tortas do guri que ela sonhava namorá-lo.
Rodolfo, querendo mostrar ser muito homem,
Com a camisa semi-aberta sobre o peito,
Ficava chutando o capim com sua bonita meio torta nos pés.
Enquanto falava com a menina que tanto sonhava tê-la em seus braços.
Raramente, Rodolfo olhava para os olhos da prenda,
Mas contava tantas coisas, menos o seu desejo de ser o seu príncipe encantado.
Há muito tempo eles já conversavam e sentiam o desejo de um enlace profundo.
E era a primeira vez que se encontravam sem ninguém por perto.
Ele pensava: - não vou embora sem falar com ela!
Ela pensava: - será que hoje é o grande dia que sempre sonhei?
De tanto chutar o chão e olhar para longe, seus pés já estavam doendo.
De repente, ele foi chutando o capim e aproximando dela que o esperava ansiosa.
Quando chegou perto, estava tremendo e suando frio,
Quase não conseguia falar.
Ela estava com queda de pressão e o coração em disparada.
Ele tirou o chapéu da testa, coçou a nuca,
Olhou para ela e disse:
- eu gosto do sê!
Agora já disse!  Pronto!
Ela morrendo de felicidade, olhou meio envergonhada para ele e disse:
- eu tamém gosto muito do sê!
Ligaram-se as mãos, um gesto que os levou ao infinito.
Ele tentou dar-lhe um beijo e ela aceitou somente na testa.
Em seguida, saiu saltitante pasto abaixo, olhando para trás e dizendo:
-Amo você!
Ele lá parado debaixo da sombra do jatobá saltava de alegria e dizia:
-Eu também!
Namoro no passado começava assim!
E é romântico até para descrever!
É isso!


Acácio

 
Acácio Nunes
Enviado por Acácio Nunes em 18/10/2007
Código do texto: T700256
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Acácio Nunes
Pouso Alegre - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
368 textos (156025 leituras)
1 e-livros (13 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 18:00)
Acácio Nunes