Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

     MANTRA DOS NÚMEROS

 
A minha vida que até agora chegou aos 75 anos e ela ainda esta me devendo mais vidas... porque a saúde prevê isso, não sei até quanto mais. Ela foi bem vivida, isso eu posso afirmar, mas nunca me precavi de querer cortar o caminho, ou usar de subterfúgios ou crenças que pudessem me ajudar, faço como os animais, vivo a vida pela vida – a vida se apresentou da sua forma e ela está me ensinando as melhores maneiras de se esquivar das ameaças e seguir o caminho mais correto... sem pressa, e ela... a pressa ou crenças, poderiam atrapalhar-me. A vida é assim...como ela é, mas eu posso melhorar ou até prejudicá-la, depende de mim, e de minhas atitudes positivas.
Eu tive um amigo, hoje em memoriam, que acreditava muito na crença da numerologia... uma crença antiga, baseada nos sete Deuses da sorte... ele  envolveu sua vida e acreditou na numerologia... assim como outros acreditam em diferentes dogmas da sorte... e até queria que eu a seguisse, mas eu nunca quis porque a vida quem decide o seu caminho é a própria pessoa... e o seu próprio destino ela decidirá. Assim penso, e só acredito que dá sorte,  se tivermos uma boa conduta de vida e seguirmos as regras do certo e do errado.
Este meu amigo ganhou muito dinheiro e com isso ele tinha argumentos... no ganhar dinheiro e que a numerologia estaria certa – sua afirmação é de que os números sete e seus múltiplos dariam sorte... mas esqueceu que não era só a situação financeira que lhe trouxe patrimônio, comprando tudo o que o dinheiro lhe permitia, achando que ali estaria a felicidade... mas esqueceu que a saúde e a direção do seu maior patrimônio constituído pela família, deixaram a desejar.
 Veio a idade as doenças e a vida se tornou cada vez mais ameaçada pelas enfermidades e a pouca vida restante o levou a morte antes do tempo... me pareceu de que nada adiantaram o meu amigo ter sempre adquirido patrimônios que envolviam os números  sete... assim como todos os seus carros adquiridos exibiam os três setes  (777) e ele sempre pagava o valor exigido para isso...  Quando um carro estacionava em sua cidade com os três setes, os moradores já sabiam quem era o dono. Valeu a pena esta crença na numerologia? Não sei!  Mas ficaram as duas esculturas que fiz em bronze, que lembrarão a sua crença na numerologia que ainda enfeitam o seu patrimônio “deixado” e que lembram o mantra dos números.  
Scaramouche
Enviado por Scaramouche em 17/01/2019
Código do texto: T6553225
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Scaramouche
São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil, 75 anos
286 textos (12559 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/02/19 21:45)
Scaramouche